PERGUNTAS FREQUENTES


Este exercício exige que você “tire uma fotografia” do ano passado, observando quanto dinheiro entrou e saiu da sua conta. 
Quanto desse recurso foi repassado ao governo em forma de impostos? 
Quanto foi usado para pagar por serviços essenciais, como educação e saúde? 
Quanto foi repassado a dependentes, como cônjuge, filhos ou pais?


ATENÇÃO:  ATUALIZAÇÃO PARA 2020 
Por conta da pandemia do Covid-19, o governo federal decidiu prorrogar para 30 de junho o fim do prazo de entregada da Declaração de Imposto de Renda. Antes, o prazo se encerrava no dia 30 de abril. 



Bitcoin, altcoins e tokens ganharam códigos próprios na declaração deste ano

Com o crescimento da popularidade das criptomoedas - como o bitcoin - entre investidores, também surgem mais dúvidas a cada ano sobre como declarar essas operações à Receita Federal.
Desde 2019, pessoas físicas e jurídicas são obrigadas a informar todas as operações e transferências envolvendo criptomoedas quando o valor, isolado ou conjuntamente, ultrapasse R$ 30 mil reais.

Em 2021, a Receita lançou novos códigos para que os contribuintes possam declarar de maneira mais específica na plataforma.
Tanto a posse como os lucros obtidos com a venda de bitcoins ou outras moedas virtuais devem ser informadas ao Fisco.

Atenção: a declaração de imposto de renda é feita em reais e sua base são sempre os preços de aquisição, não os valores de mercado.

O QUE SÃO CRIPTOMOEDAS?

Criptomoedas são representações digitais de valor, expressadas em moeda estrangeira ou nacional, onde as transações são realizadas por exchanges, que funcionam como corretoras no mercado de ações, conectando pessoas que querem comprar com quem quer vender suas criptomoedas.

COMO DECLARAR BITCOIN OU OUTRAS CRIPTOMOEDAS À RECEITA?
No sistema da Receita Federal, o contribuinte deve buscar a aba "Bens e direitos" e clicar no item "novo".
Neste ano, em vez de selecionar a opção "outros", a Receita criou três novos códigos para declaração de criptoativos:

  • 81 - Criptoativo Bitcoin - BTC 
  • 82 - Outros criptoativos, do tipo moeda digital, conhecidos como altcoins, entre elas: Ether (ETH); XRP (Ripple); Bitcoin Cash (BCH); Tether (USDT); Chainlink (LINK) e Litecoin (LTC). 
  • 89 - Demais criptoativos: criptoativos não considerados criptomoedas (payment tokens), mas classificados como security tokens ou utility tokens.

No campo "Discriminação", é preciso dar detalhes das operações: qual criptomoeda foi adquirida, a quantidade, a data da compra e nome e CNPJ da corretora que realizou a operação - ou nome e CPF se a compra foi feita a uma pessoa física.
Cada operação de compra deve ser declarada individualmente.

Depois disso, o contribuinte deve informar os saldos relativos a cada data nos campos de “Situação em 31/12/2018″ e “Situação em 31/12/2019”. Essas informações podem ser buscadas com a corretora.


TRIBUTAÇÃO DE GANHOS

Se em 2020 o contribuinte tiver vendido bitcoins ou outros criptoativos e tido lucro superior a R$ 35 mil em um mês, o valor será tributado.
Nesse caso, o ganho de capital deve ser declarado no Programa de Apuração dos Ganhos de Capital da Receita Federal até às 23h59 do último dia útil do mês seguinte à venda.
O rendimento é tributado conforme a tabela de alíquotas do Imposto de Renda.






Tabela progressiva do ganho de capital
Ganhos de capitalAlíquota
Até R$ 5 milhões
15%
De R$ 5 milhões a R$ 10 milhões
17,5%
De R$ 10 milhões a R$ 30 milhões
20%
Acima de R$ 30 milhões
22,5%

Esses dados devem ser importados do programa na hora do preenchimento da declaração.
Ganhos inferiores a R$ 35 mil em um mês não são tributados, mas é preciso declarar o lucro na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, no código 5.
Se você possui mais de R$ 5.000 em bitcoins ou outras criptomoedas, deve informar a posse dessas moedas virtuais.

Vendas de moedas digitais acima de R$ 35 mil por mês estão sujeitas a imposto sobre ganho de capital 

RISCO DE CAIR EM MALHA FINA
Desde 2019, a Receita passou a exigir que investidores e exchanges a declarem as transações. As empresas brasileiras precisam informar todas as compras e vendas de criptomoedas que intermediaram.

Já em operações entre pessoas físicas ou usando exchanges no exterior, só é preciso declarar movimentações acima de R$ 30 mil.
Por isso, se o contribuinte deixar de declarar saldos ou rendimentos, é grande a chance de que outra parte (o comprador ou o vendedor, ou a exchange) cite o CPF e gere inconsistência, caindo na malha fina.


Ele tem valor em qualquer lugar do mundo.
É um ativo escasso e descentralizado, como o ouro.
Até hoje, já foram criados 18.480 milhões, e faltam apenas mais 2,520 milhões de unidades.

Através da construção de uma robusta arquitetura de rede, apenas existirão um total de 21 milhões de Bitcoins no mundo. Até o presente momento, 88% de todos os BTC's já foram minerados, os 12% restantes serão ofertados até 2140.



Com o passar do tempo, se tornará cada vez mais valioso. Se o seu receio é a falta de lastro no bitcoin, saiba que as moedas fiduciárias, como o real ou o dólar, também não possuem lastro desde o fim do acordo de Bretton Woods e estão sujeitas a variações do mercado.

Em vez de ter seu valor ligado a governos ou bancos centrais, o bitcoin tem seu valor baseado na tecnologia e na matemática. Ele pode ser enviado pela internet, sem intermediários.
Ou seja, o seu saldo é transferido de pessoa para pessoa – mesmo em transações internacionais.
Um exemplo, existem várias plataformas que facilita a compra e venda de criptomoedas, é possível carregar o saldo da sua conta por transferência bancária e é possível sacar suas criptomoedas em saldo fiduciário para sua conta bancária, basta cadastrar sua conta bancária em um formulário disponibilizado dentro dessas plataformas.
Vale lembrar que para cada transação, seja saque, transferência ou compra de criptomoedas dentro da plataforma, existem taxas.

Todas as operações são registradas em blockchain, que funciona como um livro de registros virtual com dados imutáveis.

Por isso, a moeda digital pode ser comprada e armazenada com segurança em uma carteira virtual de uma instituição financeira. O seu saldo pode, então, ser transferido de pessoa para pessoa de maneira fortemente codificada, sem fraudes ou alterações.

É fato, também, que o bitcoin pode ajudar você a se proteger da inflação ou de crises econômicas, por exemplo.
Quando olhamos para a história dele ao longo dos anos, seu valor sobe de maneira consistente. “Do primeiro momento até hoje, quem comprou bitcoin em 98% dos dias já teve lucro”,

Claro, o preço do BTC apenas sobe se houver demanda. Como qualquer pessoa com o mínimo de pensamento crítico, você já deve estar se questionando porque alguém demandaria um protocolo de computador.


Antes que você se apresse, não custa lembrar: a internet é construída em cima de um pedaço de protocolo, o TCP/IP. E, aparentemente, há uma grande demanda pela rede mundial de computadores na Era da Informação.

Mas voltemos ao Bitcoin. como é de se esperar, após cada Halving do Bitcoin se inicia um ciclo de alta no preço do ativo. Após o primeiro Halving, o BTC se valorizou 9246% frente ao dólar em apenas 13 meses.

Após o segundo Halving, a valorização foi de 2892% contra a moeda norte-americana em 18 meses. Já no terceiro Halving, o ativo acumula alta de 321% em dólar nos últimos 8 meses.
No entanto, a alta do atual ciclo é diferente das duas últimas. Enquanto em 2012 e 2016 a valorização do ativo ocorreu por causa do varejo e dos fiéis do Bitcoin, o terceiro halving inaugurou um novo tipo de HODLer, o investidor institucional.
De maio para cá, os anúncios de bancos de investimento, grandes fundos e investidores carimbados comprando Bitcoin se amontoaram no noticiário especializado.
Dentre os diversos nomes que entesouraram BTC ou anunciaram produtos especificamente voltados ao criptomercado, se destacam: MicroStrategy, Galaxy Digital Holdings, Square Inc., SkyBridge, MassMutual, JPMorgan, Jefferies, Three Arrows, Ruffer Management, PayPal, Facebook e, claro, isso sem incluir o fenômeno do Grayscale Bitcoin Trust (GBTC). Elon Musk (Tesla, SpaceX)
Esta movimentação inédita ocorre porque essas gigantes estão vendo algo que a maioria do mercado ainda não viu: o Bitcoin vem se tornando uma robusta reserva de valor em um mundo onde a moeda fiduciária é cada vez mais subjetiva e desvalorizada.
Comprar Bitcoin, para essas empresas, deixou de ser uma questão ideológica, mas sim uma proteção contra a intensa crise política e monetária que o planeta inteiro passa pelo momento.
É claro, nada dura para sempre. O BTC não permanecerá neste atual ciclo de alta de forma indeterminada.
Assim como nos dois últimos Halvings, o preço do Bitcoin deve encontrar um pico e, então, começar seu período de queda.
Esta certeza é ótima para o ativo, ajuda o mercado a se profissionalizar entre ciclos, atrair novos investidores e continuar sua longa jornada até o ano de 2140.
Ao que tudo indica, ninguém que está lendo este texto hoje estará vivo para observar o dia que o Bitcoin cumprirá o destino de seu algoritmo monetário e se tornará o primeiro ativo da história a ser definitivamente escasso. No entanto, todos nós temos a chance de fazer parte dessa longa jornada cada vez mais inevitável.
Você não precisa acreditar em nada do que está escrito aqui. Tudo o que você precisa fazer é estudar o Bitcoin e verificar se a tese se sustenta por si própria.

O bitcoin nunca foi hackeado e é praticamente impossível que isso aconteça devido à complexidade da sua rede mundial. Criado em 2008 por uma entidade anônima identificada como Satoshi Nakamoto, o bitcoin é baseado em uma plataforma digital de código aberto.


Portanto, programadores de todo o mundo ajudam a auditar e tornar o código seguro e confiável para todos.O que pode acontecer é uma instituição financeira de compra e venda de bitcoins ser hackeada.
Por isso, é importante escolher uma plataforma confiável e que adote protocolos avançados de segurança digital para garantir a integridade dos bitcoins.
Ou seja, são as instituições que podem estar vulneráveis a ataques virtuais, mas não o bitcoin.

Bitcoin não é um golpe financeiro, pirâmide, nem nada do gênero. Na verdade, é a moeda mais democrática e segura porque ela pertence a todos.



É possível comprar ou vender bitcoins a qualquer momento.
Mas é preciso ter cuidado com promessas de grandes retornos financeiros em pouco tempo. Isso, sim, pode ser um golpe.

A moeda digital é para todos. 
Ainda que tenha surgido como um projeto experimental e sido adotada inicialmente por profissionais e entusiastas da ciência da computação, ela evoluiu rapidamente para uma grande rede monetária que pode ser usada por qualquer pessoa.
 “O bitcoin é um ativo importante e, hoje, cerca de 90% do público que possui essa moeda digital é formado por pessoas comuns”, afirma Da Ros.


Ao observar a evolução do bitcoin no longo prazo, é fácil perceber como ele não é tão volátil como pode parecer.
Um dos motivos é a desvalorização do próprio real brasileiro diante do dólar, o que pode influenciar essa percepção. “No longo prazo, a volatilidade é baixa.

Nos últimos meses de 2017, houve um grande pico de valorização da moeda, que chegou a
US$ 20 mil.
Em janeiro de 2018, caiu para US$ 3.500.


Olhando assim, pode parecer extremamente volátil, mas não é.
Se compararmos o valor do bitcoin em janeiro de 2018 com o valor em janeiro de 2017, veremos que houve uma valorização considerável, passando de US$ 1 mil para US$ 3.500”, afirma Da Ros.
Não à toa, a MicroStrategy, maior empresa de business intelligence do mundo, adotou o bitcoin como sua moeda de reserva.

A companhia trocou a moeda fiduciária pela digital e comprou mais de 21 mil unidades em agosto de 2020.
Em nota, a própria empresa chamou a moeda de “ouro digital”.

Hoje à adoção por Bitcoin tem vivido um novo patamar ao comparar com sua primeira alta vivida em 17 de dezembro de 2017 onde sua marca chegou à U$ 20.000 dólares por 1 bitcoin e essa tendência sempre é superar novos patamares pelo fato de novas adoções por grandes instituições e grandes players do mercado como Elon Musk que passou a aceitar bitcoins como forma de pagamento por um carro elétrico em sua empresa Testla, como à PayPal que também passou a aceitar bitcoin, notícia que veio à midia no dia 30 de Março de 2021
Um bitcoin nos dias de hoje na data de 04 de Abril de 2021 possui por enquanto à marca de  U$ 57.300 dólres

A oscilação da cotação do Bitcoin, por sua vez, é muito influenciada pela demanda de oferta e procura, de forma que, quanto maior for a busca pela criptomoeda, maior será o valor cotado para o investimento e o contrário acontece da mesma forma quando a moeda está desvalorizada.


Com a valorização da criptomoeda, suas taxas de transferência também se elevaram.
Ainda assim, não faltam exemplos de itens que podem ser comprados com bitcoin, de carro elétrico a hambúrgueres.


No Brasil, é possível fazer uma tatuagem ou até comprar um imóvel e pagar com a moeda.
Mas o foco do bitcoin é mais parecido com o do ouro: ser uma reserva monetária.

O bitcoin é uma rede descentralizada e, portanto, não pode ser desligada dessa forma.
Um governo poderia até criar leis que proibissem o seu uso, mas isso não afetaria a moeda. Na verdade, governos de todo o mundo estão buscando incluir a criptomoeda em seus sistemas financeiros.

A única coisa que poderia acabar com o bitcoin aqui no Brasil, seria desligar a internet o que seria pouco provável que aconteça, seria uma catástrofe sem precedentes para a infra estrutura, imagine um país sem internet nos dias de hoje.


Uma criptomoeda é um meio de pagamento com característica digital e pode ser usada como dinheiro.

Podendo ser centralizada ou descentralizada que se utiliza da tecnologia de blockchain e da criptografia para assegurar à validade das transações e a criação de novas unidades da moeda.


O Bitcoin, à primeira criptomoeda descentralizada, foi criado em 2009 por um misterioso ser que usou o pseudônimo de Satoshi Nakamoto e desde então, muitas outras criptomoedas foram criadas.
Mais recentemente, tem-se assistido a um fenômeno de explosão de inúmeros tokens que têm sido criados com base no protocolo do Ethereum, principalmente após a onda massiva de Ofertas Iniciais de Moedas (usualmente referida como ICO, do inglês Initial Coin Offering) que teve início em 2017.

Ao contrário de sistemas bancários centralizados, grande parte das criptomoedas usam um sistema de controle descentralizado com base na tecnologia de blockchain, que é um tipo de livro-registro distribuído operado em uma rede ponto-a-ponto (peer-to-peer) de milhares computadores, onde todos possuem uma cópia igual de todo o histórico de transações, impedindo que uma entidade central promova alterações no registro ou no software unilateralmente sem ser excluída da rede.

E vamos abrir um adendo importante aqui!
Assim como qualquer mercado que envolve capital, o mundo das criptomoedas deve ter muita cautela para iniciar um investimento. Existem muitos projetos com criptomoedas, bons mas também muitos projetos criados na onda do "oba oba" por pessoas mas intencionadas visando o objetivo de ganhar dinheiro fácil e não pensam nas consequências que isso pode causar na vida financeira de uma pessoa que está iniciando nesse mercado.      No mundo das criptomoedas é possível criar outras criptomoedas, é claro, tendo conhecimento técnico, mas muitos desses  são projetos sem fundamento e levam muitos iniciantes no mercado, a investir sem ter o cuidado de estudá-los e se iludem com uma alta impulsionada por especulações, por isso estudar o projeto, buscar um especialista ou pagar um curso com foco  para que não se envolva em uma roubada é muito válido você estará investindo em conhecimento e esse ninguém tira de você.

Com criptomoedas, você pode usar para pagar a amigos, comprar aquele novo par de meias que você está planejando ou reservar voos, ️ hotéis para as suas próximas férias, para isso existem plataformas conhecidas como exchanges, são verdadeiros câmbios e onde você troca criptomoedas por moeda fiduciária, por enquanto pois esse processo será extinto com o tempo e o que conhece por moeda fiduciária, não mais existirá dando lugar definitivo às criptomoedas e o mundocaminha para esse dia.
Como à criptomoeda é digital, ela também pode ser enviada para amigos e familiares em qualquer lugar do mundo.
Assim como PayPal ou transferência bancária.
Bem, na verdade não, Criptomoedas são muito mais interessantes!

Já abrindo um adendo, à PayPal já está aceitando criptomoedas como Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum e Litcoin, à notícia veio às mídias na  terça-feira (30) de Março de 2021
Fonte: Olhar Digital
Você vê, os gateways de pagamento online tradicionais são propriedade de organizações, eles guardam seu dinheiro para você, e você precisa pedir a eles que o transfiram em seu nome quando quiser gastá-lo certo?
Com criptomoedas, não existe uma organização, um intermediário, você, seus amigos e milhares de outras pessoas podem atuar como seus próprios bancos executando software livre.

Seu computador se conecta a computadores de outras pessoas, o que significa que você se comunica diretamente, sem a necessidade de intermediários!

Para usar criptomoeda, você não precisa se inscrever em um site com um endereço de e-mail e senha. Você pode baixar uma grande variedade de aplicativos em seu smartphone para começar a enviar e receber criptomoedas em minutos.

Por que eles chamam de criptomoeda?
O nome criptomoeda é uma combinação (acrônimo) de criptografia e moeda . Com a criptografia, usamos matemática avançada para proteger nossos fundos, garantindo que ninguém mais possa gastá-los.