Tokens nativos em Cardano


4 min de leitura
09 Dec
09Dec
9 de dezembro de 2020 Tim Harrison 5 minutos lidos
Tim Harrison

Tim Harrison

Diretor de Marketing e Comunicações

Comunicações

Tokens nativos em Cardano


Tudo começou no éter. O Ethereum foi lançado em julho de 2015. O Bitcoin já existia há seis anos, mas todo o mundo da criptomoeda ainda era um nicho.

O Bitcoin foi projetado (e continua até hoje) puramente como uma moeda digital. Quando o Ethereum apareceu, ele tinha um ás na manga: contratos inteligentes, direto da caixa. Isso significa que os desenvolvedores terceirizados podem construir seus próprios aplicativos e executá-los de maneira descentralizada no topo do blockchain Ethereum. Ethereum superou o Bitcoin com melhor comercialização e mais versatilidade.

Os contratos inteligentes possibilitaram a criação de tokens definidos pelo usuário no blockchain Ethereum. Os tokens Fungíveis Ethereum podem ser desenvolvidos com o padrão ERC-20, enquanto tokens exclusivos e não fungíveis foram criados sob a estrutura ERC-721. No entanto, tokens Ethereum definidos pelo usuário (fungíveis e não fungíveis) carregavam uma ineficiência inerente: eles exigiam a criação e implementação de código personalizado porque a cadeia Ethereum não oferecia suporte a token nativo.

Tokenização em breve

Vamos nos lembrar do propósito e valor dos tokens. A tokenização pode ser definida como o processo de substituição de um elemento de dados confidenciais por um equivalente não confidencial. Esse equivalente não sensível é conhecido como token e não tem nenhum significado ou valor extrínseco ou explorável. Simplificando, a tokenização é o processo de transformar coisas em ativos digitais.

Essa abordagem oferece vantagens distintas: custos de transação reduzidos, transparência, maior liquidez, descentralização e maior eficiência, para citar alguns. Em si mesma, a tokenização é um recurso altamente versátil que abre o caminho para alcançar muitos objetivos comerciais. Esse utilitário decorre do fato de que os tokens são programáveis, portanto, podem ser exclusivos.

Por exemplo, os tokens podem ser programados para conceder ao detentor acesso a conteúdo exclusivo, mercadorias personalizadas ou até mesmo uma participação na votação. O propósito real do processo de votação é irrelevante. Em última análise, simbolizar a capacidade de votar dá aos participantes a sensação de que fazem parte de algo maior do que eles e podem ter seus pontos de vista representados nisso.

A tokenização pode ser usada para criar produtos financeiros e modelos econômicos. Os exemplos podem ser considerados em campos tão diversos como colecionáveis, investimentos alternativos, cartões-presente, apostas esportivas, ativos no jogo, commodities e muito mais. Isso tem o potencial de conectar bens, serviços e atividades do mundo real ao espaço digital.

Transformando coisas em ativos digitais, à maneira Cardano

Goguen apresenta um mecanismo pelo qual a tokenização é tratada nativamente. Ou seja, a lógica é baseada no livro razão Cardano, ao invés de contratos inteligentes. Ao adotar essa abordagem, podemos implementar uma estratégia de tokenização eficiente que é superior aos padrões ERC-20 e ERC-721 com suporte no blockchain Ethereum.

Os tokens definidos pelo usuário na cadeia Ethereum (ambos os tokens ERC-20 fungíveis e ERC-721 não fungíveis) são não nativos, ou seja, o razão subjacente não suporta diretamente esses tokens. Isso ocorre porque os tokens criados com os padrões ERC-20 e ERC-721 são fundamentalmente diferentes do Ether, a criptomoeda nativa do Ethereum.

A abordagem Cardano para a tokenização permite a representação de ativos personalizados no blockchain sem a necessidade de contratos inteligentes e também permite que esses ativos se comportem de maneira semelhante à moeda principal, ada, exceto que:

  • tokens nativos podem ser criados e destruídos, ao contrário de ada.
  • ada é a única moeda que pode ser usada para taxas de serviço, recompensas e depósitos.

Tokens nativos, alguma terminologia

Os termos 'moeda' e 'token' são freqüentemente usados no mundo criptográfico. Às vezes, esses termos são intercambiáveis, às vezes não. E às vezes, 'token' é uma espécie de termo abrangente que abrange todos os ativos digitais.

Vale a pena destacar aqui. A abordagem de Cardano para a tokenização é tão exclusiva quanto o próprio livro-razão, então aqui estão algumas terminologias para ajudar a entender a estrutura de tokens nativos.

Em Goguen / Cardano:

  • Um token é definido como a representação de um ativo armazenado no blockchain Cardano
  • Um ativo é tudo que pode ser quantificado
  • Um pacote de tokens é uma representação de vários tokens
  • Nativo se refere à lógica de token em execução no livro razão do Cardano, em vez de usar contratos inteligentes.

Tokens nativos em Cardano

Ethereum requer código customizado para tokens definidos pelo usuário para serem suportados na cadeia; isso adiciona uma camada de complexidade, custo (o gás é necessário para pagar pela execução do código) e ineficiência, uma vez que o código de token para ambos os padrões é replicado e adaptado, em vez de ser parte do próprio sistema. Esta é uma fraqueza inerente da cadeia Ethereum, porque deixa espaço para o erro humano. O código personalizado, se feito de maneira descuidada, pode introduzir bugs que podem levar a grandes perdas financeiras. Em um incidente particularmente infame , bugs de software levaram à perda do ether no valor de US $ 300 milhões. A abordagem Cardano visa prevenir esses erros catastróficos.

Cardano oferece suporte a tokens definidos pelo usuário nativamente, ou seja, sem a necessidade de código personalizado, por meio da estrutura de tokens nativos. Tokens nativos é um sistema de contabilidade definido como parte do livro de criptomoeda e permite que os tokens sejam negociados (rastreados, enviados e recebidos). Isso elimina a necessidade de usar código personalizado ou contratos inteligentes caros. Resumindo, os tokens nativos removem a camada desnecessária de complexidade cara e ineficiência inerente encontrada na cadeia Ethereum.

Por que os ativos nativos são necessários no Cardano?

Cardano é um livro razão distribuído. Normalmente, quando um livro-razão distribuído é projetado, ele pode rastrear apenas um único tipo de ativo (sua própria criptomoeda, por exemplo). Mas, à medida que o livro-razão evolui em termos de descentralização adicional, a necessidade e a possibilidade de rastrear vários tipos de ativos usando o mesmo a infraestrutura se torna aparente, e é por isso que muitos blockchains podem oferecer suporte a vários ativos, como stablecoins, tokens de utilitário, tokens de credencial e tokens de segurança.

A funcionalidade de token nativo estende a infraestrutura de contabilidade definida no modelo de razão (que é projetado para processar transações somente ada) para acomodar transações que usam diferentes tipos de ativos simultaneamente.

Os tokens nativos no Cardano têm vantagens sobre os tokens ERC-20 e ERC-721, em termos de segurança e acessibilidade. Na próxima postagem do blog, a ser publicada amanhã, nós nos aprofundaremos nisso e também descreveremos como os desenvolvedores podem se envolver nos próximos meses.