Aumento considerável de mulheres investindo em criptomoedas cresce em 2021


2 min de leitura
08 Jun
08Jun

As mulheres estão ganhando espaço no mercado de criptomoedas. 

Segundo um estudo do PointPay enviado ao CriptoFácil, em 2021 as mulheres representam 14% dos investimentos. 

Embora pareça um número baixo, trata-se de um aumento de 4% em relação a 2020.

Além disso, a empresa revela que entre 43% e 45% de seus novos clientes nunca investiram anteriormente em criptomoedas. 

Porém, estão mais dispostos a aplicar valores mais altos em ativos digitais.

Outro destaque do levantamento é a mudança do perfil do investidor. Hoje, o mercado está mais “amadurecido”, já que a idade de aproximadamente 59% dos entrevistados varia entre 31 e 40 anos.

Mulheres ganham espaço

O recorte dos números da pesquisa é referente aos meses de fevereiro e março de 2021.

À época, o banco em blockchain entrevistou 58 mil clientes de 120 países diferentes.

Ao comparar com o mesmo período do ano passado, o PointPay descobriu que a participação feminina no mercado de criptomoedas cresceu em 4%. 

Agora, as mulheres representam cerca de 14% dos clientes da empresa.

Já na bolsa de valores esse número é ainda mais alto, com as mulheres representando aproximadamente 20% dos investidores.

“As mulheres que participam do mercado tradicional têm se mostrado corretoras equilibradas e bem-sucedidas. 

Assumem menos riscos e são mais consistentes em suas negociações”, pontuou o estudo.

Outro levantamento, este da Robinhood, revelou uma adesão expressiva de mulheres no mercado. De acordo com a empresa, este grupo cresceu sete vezes em sua plataforma este ano.

Conhecendo o mercado

Segundo o estudo, a alta do mercado de criptomoedas um grande número de novos investidores. 

Entre 43% e 45% dos novos clientes do PointPay ainda não tinham experiência no mercado de criptomoedas.

“Trata-se de investidores não profissionais, que pouco entendem da mecânica do mercado. Contudo, acreditam que as criptomoedas têm um grande potencial, até maior do que deixar o dinheiro no banco”, disse Andrey Svyatov, CEO do banco em blockchain, ao CriptoFácil.

Apesar de uma análise positiva, o executivo destaca que o grupo ainda está muito propício ao pânico do mercado, assim como em ações arriscadas.

Svyatov aconselha que esses investidores façam cursos e procurem informações importantes antes de decidirem por um investimento.

Investidores mais amadurecidos

A pesquisa observa que, em 2018, o mercado era formado por investidores mais jovens. 

À época, cerca de 60% dos clientes do PointPay tinham menos de 31 anos. 

Entretanto, o perfil do investidor mudou consideravelmente nos últimos anos.

“Hoje, a proporção mudou a favor dos investidores mais velhos. Isso revela seus prós e contras para o mercado. 

Cerca de 59% dos investidores de criptomoedas têm entre 31 e 40 anos”, comentou Svyatov.Além disso, o relatório revela uma mudança na hora de investir. 

Enquanto os mais jovens optavam por aplicações mais estáveis em 2018, os amadurecidos estão dispostos a gastar valores mais elevados.

“Eles estão prontos para gastar a partir de US$ 6,5 mil por ano em criptomoedas. 

Além disso, não têm pressa em retirá-los da conta na primeira correção de mercado. 

Esses investidores estão muito mais inclinados a investimentos de longo prazo.

”Por fim, a pesquisa observou que, apesar das consecutivas correções do Bitcoin, os investidores ainda estão dispostos a apostar em seu valor.