CRIPTONÁRIO


CRIPTONÁRIO

Os termos estão em português e inglês. Para facilitar a busca, procure o conceito que deseja conhecer a definição com a função Ctrl+F de seu teclado.



  • A
     Altcoin
Geralmente refere-se a qualquer criptomoeda que não seja o bitcoin.
De certa forma, essa denominação vem se tornando obsoleta porque o bitcoin está perdendo participação de mercado para outras criptomoedas.

Ataque de 51% (51% percent attack) 
Protocolos abertos de blockchain são vulneráveis a ataques que poderiam tirar proveito da necessidade de consenso.
Se mineradores são capazes de controlar 51% dos nós que operam a rede, eles podem manipular regras fundamentais e assumir o controle do sistema adotando suas próprias mudanças no código e substituindo a necessidade de outros envolvidos no sistema concordarem com essas mudanças antes de serem implementadas.

Ativos digitais (digital assets)
Descrever uma criptomoeda simplesmente como moeda é considerado uma maneira empobrecida para explicar o que são ativos digitais emergentes.
O termo criptomoeda pode ser um pouco confuso (uma vez que, em certa medida, os tokens digitais não satisfazem todas as funções de dinheiro).
Ao invés disso, denominar criptomoedas como ativos digitais traduz melhor valor intrínseco destes instrumentos.

Assinatura múltipla (multi-sig)
Rrefere-se a um endereço de criptomoeda que necessita de mais de uma chave privada para transferência de fundos.
A função de assinatura múltipla é comumente usada em transações comerciais nas quais uma empresa não quer que apenas uma pessoa tenha as chaves de um endereço.
Também é utilizada em transações feitas por meio de uma conta-garantia (escrow) ou quando aplicações necessitam camadas extras de segurança.

Tecnicamente falando em fim assinatura criptográfica é um mecanismo matemático que permite que alguém prove ser o proprietário. No caso do Bitcoin, a carteira Bitcoin e suas chave(s) privada(s) são ligadas por alguma mágica matemática. Quando o seu programa Bitcoin assina uma transação com a chave apropriada, toda a rede poderá ver que a assinatura é igual aos bitcoins que forem gastos. No entanto, não existe uma maneira para o mundo adivinhar a sua chave privada para roubar os seus bitcoins ganhos com seu trabalho suado.

Asset

Refere-se a um ativo. No mundo das criptomoedas, refere-se a um tipo de Token que pode representar qualquer coisa (física ou não) e é transferida digitalmente.

Airdrop
Distribuição de criptomoedas completamente gratuita. Elas são distribuídas entre todos os usuários que atendem a vários requisitos.

Altcoin

Uma altcoin, ou moeda alternativa, é bastante autoexplicativa. Uma altcoin é toda alternativa de criptomoeda ao Bitcoin - . Altcoins podem diferir da Bitcoin de todas as formas possíveis, como mecanismos de mineração, métodos de distribuição de moedas ou a capacidade de criar aplicativos descentralizados. Embora o Bitcoin seja inovador e massivamente influente, ele tem alguns problemas que os desenvolvedores estão tentando consertar com seus próprios produtos. Existe uma altcoin que faz transações mais rápidas, existe outra que é menos volátil, uma que é mais privada e assim por diante. Há mais de um milhão e meio de altcoins no mercado no dia em que este texto é escrito, de acordo com a coinmarketcap.com. As Altcoins estão desempenhando um papel muito importante expandindo os limites das possibilidades de blockchain e o escopo das aplicações.

Altura de bloco (Block Height)
É um número que indica a posição de um bloco específico dentro da cadeia de blocos (blockchain). Como o hash do bloco, ele também pode ser usado como um identificador para localizar um determinado bloco.
Árvore Merkle (Merkel tree)
Nome que recebe a estrutura que relaciona todas as transações de um bloco e as agrupa entre pares com o objetivo de obter um hash que atua como um identificador único (chamado Root Hash) para todas essas transações.

ASIC
Acrónimo em inglês de circuito integrado de aplicação específica, são equipamentos de informática especializados em cálculos computacionais concretos. Há uma variedade de ASICs especializados em mineração de criptomoedas. Inicialmente eles foram desenvolvidos para o algoritmo Bitcoin, mas agora podemos encontrá-los para quase todos os algoritmos existentes.

ASIC Resistant
Protocolo implementado dentro de uma criptomoeda, que impede o uso de ASICs para mineração. Isso acontece em criptomoedas baseadas em mineração por prova de trabalho (PoW) com o objetivo de evitar a centralização da mineração em poucas mãos com muito dinheiro.
Ataque de 51%
Tentativa de obter o controle de uma criptomoeda, obtendo 51% ou mais do poder da rede ou das criptomoedas da rede.



  • B
     Baleia (whale) 
É uma pessoa ou entidade que possui uma posição importante, ou seja uma grande quantidade, em criptomoedas.
As baleias podem influenciar o preço quando vendem.

À medida que as criptomoedas amadurecem, ou o valor de mercado (market cap) delas aumenta, é possível que as baleias tenham uma influência menor nas flutuações de preços das moedas digitais.
Bifurcação da rede (fork): divisão no código que sustenta o sistema da blockchain.
A blockchain pode ser bifurcada por uma série de motivos: desde atualizações de códigos planejadas até cenários de mudança completa do sistema.

As bifurcações simples de rede (soft forks) referem-se a atualizações ou alterações de código planejadas e que não alteram a estrutura base ou o funcionamento do sistema da blockchain.
Uma bifurcação complexa da rede (hard fork) é uma mudança que pode ter impactos consideráveis na blockchain e nas moedas relacionadas.
As bifurcações complexas de rede são difíceis de implementar, e devido à necessidade de consenso para gerenciar as redes descentralizadas, como o bitcoin e o ethereum, pode resultar em duas redes diferentes.

Bit
Bit é uma unidade de medida comum usada para designar uma subunidade de um bitcoin - 1.000.000 bits é igual a 1 bitcoin (BTC). Esta unidade é geralmente mais conveniente para representar preços de bens e serviços.

BTC
BTC é uma unidade de medida comum usada para designar um bitcoin.

Baleia (whale)
Um termo simbólico que descreve uma pessoa ou grupo de pessoas coordenadas entre si que acumulam grandes quantidades de uma moeda e são capazes de mover o mercado (a maré) para aumentar ou diminuir os preços (as ondas).

BIP
Bitcoin Improvement Proposal é um procedimento que foi consolidado como padrão para propor novas funcionalidades no Bitcoin. Este procedimento foi proposto e descrito no BIP0001 por Amir Takir em 2011.

Bitcoin (minúsculo)

Refere-se à unidade de medida. É a unidade de conta da rede Bitcoin. Um bitcoin é divisível em 100 milhões de pedaços, satoshis.

Bitcoin (maiúsculo)
Rede e protocolo de pagamento de usuário aberto e gratuito, não pertencente a nenhuma empresa ou governo, que gerencia um livro descentralizado chamado Blockchain através de matemática avançada (criptografia).

Bitcoind
Primeiro cliente Bitcoin a implementar um protocolo de comando usando chamadas de procedimento remoto. É licenciado pelo MIT em versões de 32-bit e 64-bit para sistemas baseados em Windows, Mac OS X e GNU/Linux.

Bitcoin Cash (BCH)
É uma criptomoeda que nasceu em 1º de agosto de 2017 como resultado da mais notória bifurcação da rede Bitcoin até agora. Nasceu com o objetivo de alcançar a realização de pagamentos e oferecer maior capacidade de transações por segundo, menos comissões e validação mais ágil. Seu símbolo mais comum em mercados e locais onde é aceito é o BCH.

Bitcoin Evangelist
Nome dos usuários que se dedicam à difusão do Bitcoin tornando conhecida sua operação, vantagens e precauções.

Blockchain
É o primeiro tipo de rede distribuída baseada em criptografia na qual a informação é armazenada em um conjunto de blocos entrelaçados. Permite a validação de informações e a troca de valores entre pares sem autoridade emissora central ou administrador central.

Blockchain permisionada (Permissioned Ledger)
É uma blockchain privada onde seus nós devem ser previamente autorizados por uma entidade central. As transações incorporadas no livro-razão, tiveram um teste de consenso limitado e foram feitas por participantes confiáveis, sendo mais simples de manter e mais rápidas que as redes de acesso aberto.

Blockchain pública (Public Ledger)
Ao contrário de uma blockchain permitida, a blockchain pública, como o Bitcoin, é completamente livre e pública, qualquer um pode fazer parte dela e ninguém a controla. Eles são resistentes à censura, pois nenhuma entidade central é impedida de impedir que uma transação ocorra.

Block Explorer (Explorador de blocos)
Web site onde você pode ver as informações e o estado das transações de uma rede pública blockchain, e, portanto, verificar o estado de uma transação realizada com uma certa cryptomoeda.

Bloco
Um elemento fundamental da blockchain criada pelos mineiros e que permite vincular as transações realizadas em uma rede. Os blocos são criados em intervalos de tempo e ligam novas transações a transações existentes na cadeia de blocos. Se podemos dizer que a blockchain é como um livro de contabilidade digital, cada bloco seria cada uma das páginas desse livro.

Bloco Génesis
O primeiro bloco que foi gerado na rede Bitcoin. Foi extraído por Satoshi Nakamoto em 3 de janeiro de 2009.

Bloco Órfão

São blocos que foram resolvidos corretamente, mas por diferentes razões os demais nós da rede não o aceitam por consenso.


  • C
     Carteira
A carteira Bitcoin é mais ou menos o equivalente a carteira física na rede Bitcoin. A carteira na realidade contém a sua chave(s) privada que permite que você gaste os bitcoins alocados a ela na corrente de bloqueio. Cada carteira Bitcoin pode mostrar a você o balanço de todos os bitcoins que controla e deixa que você pague uma quantia específica a uma pessoa específica, exatamente como uma carteira real. Isto é diferente de cartões de crédito onde você é cobrado pelo comerciante.

Confirmação
Confirmação significa que uma transação foi processada pela rede e é altamente improvável que seja revertida. As transações recebem uma confirmação quando são incluídas em um bloco e para cada bloco subseqüente. Mesmo uma única confirmação pode ser considerada segura para transações de baixo valor, embora para quantias maiores como $ 1.000 USD, faça sentido esperar 6 confirmações ou mais. Cada confirmação diminui exponencialmente o risco de uma transação invertida.

Cadeia de blocos (blockchain)
É uma tecnologia que visa a descentralização como medida de segurança.
São bases de registros e dados distribuídos e compartilhados que possuem a função de criar um índice global para todas as transações que ocorrem em um determinado mercado.
Funciona como um livro-razão, só que de forma pública, compartilhada e universal, que cria consenso e confiança na comunicação direta entre duas partes, ou seja, sem o intermédio de terceiros.

Está constantemente crescendo à medida que novos blocos completos são adicionados a ela por um novo conjunto de registros. Os blocos são adicionados à blockchain de modo linear e cronológico.
Cada nó — qualquer computador conectado à essa rede tem a tarefa de validar e repassar transações — obtém uma cópia da blockchain após o ingresso na rede.
A blockchain possui informação completa sobre endereços e saldos diretamente do bloco gênese até o bloco mais recentemente concluído.
A blockchain é vista como a principal inovação tecnológica do bitcoin visto que é a prova de todas as transações na rede.
Seu projeto original tem servido de inspiração para o surgimento de novas criptomoedas e de bancos de dados distribuídos.

Carteira digital (wallet)
Peça vital do sistema de criptomoedas e algo que os usuários precisam ter familiaridade para armazenar com segurança suas moedas digitais.

As criptomoedas são desenhadas usando chaves criptográficas pública e privada.
A chave pública é uma série única de letras e números que é visível a todos e pode ser identificada na blockchain.
A chave privada é mantida apenas pelo usuário custodiante da moeda digital e é necessária para acessar os fundos e completar transações.
Ou seja, a chave pública pode ser compartilhada com outras pessoas com o objetivo de, por exemplo, receber fundos.
Já a chave privada jamais pode ser revelada ou armazenada de maneira digital, pois pode ser roubada por hackers.
Existem vários tipos de carteiras, incluindo carteiras em papel e carteiras-dispositivo (hardware wallet) que são usadas para armazenar as moedas digitais de maneira off-line.
Este dois exemplos são considerados formas de armazenamento frio (cold storage ou cold wallet).
Por outro lado, a forma de armazenamento quente (hot storage ou hot wallet) é uma carteira que pode ser acessada on-line, o que facilita realizar transações, mas pode ser vulnerável a ataques.
Uma carteira digital em seu celular é um exemplo de hot wallet.

Conheça Seu Cliente (Know Your Customer, KYC) 
São procedimentos que pretendem evitar que pessoas utilizem criptomoedas para lavagem de dinheiro ou para financiar outras atividades criminosas.

Obrigam as corretoras de criptomoedas à exigirem de seus usuários informações básicas de identificação antes de permitir transações entre moedas fiduciárias e criptomoedas.

Consenso (Consensus)
Este é o pilar central das blockchains abertas, como a do bitcoin e de outras criptomoedas.
Atingir o consenso é um processo de tomada de decisão complexo, contudo é necessário para que um sistema opere de maneira verdadeiramente descentralizada.
O consenso é obtido a partir dos usuários que rodam nós (computadores) da rede e sinalizam suas preferências em relação a alterações no código e atualizações.
Se uma quantidade suficiente de nós aceitar uma mudança no código, então aquela alteração é implementada por todos os participantes da rede antes que novos blocos sejam adicionados na blockchain.

Contrato inteligente (smart contract)
A possibilidade de usuários interagirem em um ambiente não confiável e poderem verificar informações sem a necessidade de terceiros é a proposta do contrato inteligente da ethereum.
Os contratos inteligentes podem ser definidos antecipadamente pelas partes, executados em algoritmo e verificados na blockchain, tudo sem a necessidade de um intermediário.

Contratos inteligentes podem ser usados para economizar tempo e dinheiro, e é esperado que tornem-se cada vez mais úteis e populares, pois cada vez mais dispositivos estão conectados à internet executando interações mais complicadas com o passar do tempo.

Corretora ou casa de câmbio (exchange)
Plataforma on-line para comprar e vender criptomoedas utilizando moeda tradicional emitida pelo governo (moeda fiduciária), ou para executar trocas entre diferentes criptomoedas.
A maioria das corretoras legítimas que aceita moeda fiduciária para compra de criptomoeda adere, em algum nível, ao procedimento conhecido como “Conheça Seu Cliente (Know Your Customer, em inglês)”, destinado a prevenir lavagem de dinheiro e outras atividades criminosas.
Essas medidas exigem que os clientes revelem informações básicas de identificação antes de realizarem transações.
As corretoras têm níveis diferentes de exigência de identificação dos seus clientes, de modo que seus usuários devem compartilhar informações em relação a quanto e com que frequência estão trocando criptomoeda por moeda fiduciária.

Criptomoeda (Cryptocurrency)
Esta palavra geralmente refere-se a tokens digitais ou moedas digitais que são produzidas por um sistema de blockchain, como o bitcoin e o ethereum.
Existem outras formas de dinheiro digital, como unidades de valor produzidas dentro de video games ou, até mesmo, sistemas alternativos de dinheiro baseados em plataformas digitais, como o e-gold.
Porém, estes sistemas não são criptomoedas.
Devemos notar também que mesmo se uma blockchain tiver um token digital associado, ele pode não ser necessariamente considerado uma criptomoeda.
Como o próprio nome diz, criptomoedas apoiam-se em criptografia para prover segurança e proteger (ou ao menos blindar) a identidade dos usuários.
Criptomoedas compartilham algumas características do dinheiro tradicional respaldado pelo governo, pois algumas são usadas como reserva de valor ou meio de troca.
Contudo, criptomoedas continuam a ser reguladas diferentemente ao redor do mundo.
Em alguns países, criptomoedas são consideradas dinheiro, em outros elas são reguladas como commodities ou valores mobiliários.

Checksum
Função Hash que tem a missão de detectar mudanças acidentais dentro de uma sequência de dados e proteger a integridade dos mesmos, verificando que não há alterações entre a verificação inicial e a transmissão final.

Chave privada
Um conjunto de caracteres de qualquer tipo que são gerados aleatoriamente e têm a função de uma senha única e intransferível. Ele é gerado com base em um algoritmo matemático e é sempre acompanhado por outro texto chamado chave pública. Ao contrário da chave pública, a chave privada NUNCA deve ser revelada, dada ou perdida.

Chave pública
Identificador pessoal baseado na nossa chave privada que podemos partilhar sem medo com outras pessoas. Em criptomoedas são usadas para gerar endereços para os quais outras pessoas podem enviar criptomoedas.

Coinbase (conceito)
Também chamada “Generation Transaction”, é um tipo de transação especial no protocolo de criptomoedas como Bitcoin, que ao contrário de uma transação normal, a origem da transação vem “do nada”. Ocorre quando um mineiro cria um bloco e é o tipo de transação pela qual novas criptomoedas entram em circulação.

Coinbase (Exchange)
Casa de câmbio localizada em São Francisco, Califórnia, que permite a troca de criptomoedas por dinheiro fiduciário e vice-versa.

Cold Wallet
Carteira que não está conectada à blockchain, mas cujas moedas estão dentro da blockchain. Pode ser um USB que armazena moedas ou uma folha de papel com um código QR.

Collectible token (token coleccionável)
São elementos coleccionáveis da cadeia de blocos Ethereum da ERC-721, em que cada ficha se refere a um elemento único com um determinado valor. O que se tornou mais popular é o CryptoKitties, mas há muitos outros.

Comissão de rede
É a comissão que cada usuário de Bitcoin paga ao realizar uma transação nesta rede e faz parte dos incentivos que os mineiros recebem pelo seu trabalho para manter a rede ativa e operativa. Cada criptomoeda estabelece o valor mínimo das comissões.

Consenso
O consenso é baseado no fato de que todos os membros da blockchain devem concordar com a validação dos blocos e seu conteúdo.

Criptomoeda
É um tipo de token criptográfico baseado na tecnologia blockchain que atua como um ativo monetário, pois permite a transferência e a reserva de valor.

Criptografia assimétrica
También denominada criptografía de clave pública se utiliza para enviar mensajes en base a un par de claves, una es la clave pública y la otra la clave privada. Ambas participan en el cifrado de la información trasferida, así como en la verificación de que la información original no ha sufrido alteraciones.

Criptografia simétrica
Chamado criptografia de chave secreta ou uma chave, que serve para criptografar e descriptografar a mensagem no remetente e no destinatário, que concordaram com a chave para usar para criptografar a mensagem enviada pelo remetente e descriptografá-la pelo destinatário.

Cypherpunk (também cipherpunk)
Surge da mistura de ‘cipher’ e ‘cyberpunk’, e é o termo usado para nomear ativistas que promovem o uso de criptografia e tecnologias que garantem a privacidade do indivíduo na troca de informações e valor através da mídia digital. Esta denominação foi formalmente estabelecida e difundida a partir de 1992 por Timothy May e John Gilmore, entre outros. As idéias, motivações e propostas da cultura cypherpunk são condensadas desde 1994 em um documento intitulado ‘Cyphernomicon’


Efeito de rede (network effect) 
Refere-se à ideia de que algo se torna mais valioso à medida que mais pessoas o usam.
Empresas e serviços de tecnologia baseadas em usuários são bons exemplos.
O Facebook, por exemplo, torna-se mais valioso à medida que mais pessoas usam a plataforma.
No universo cripto, o bitcoin tem efeito de rede pois foi a primeira grande moeda a atingir uma base ampla de usuários.

Gás
Otermo refere-se ao custo necessário para concluir transações na rede ethereum.
O gás é um reflexo de recursos computacionais que a blockchain do ethereum necessita para verificar e armazenar uma transação.
A ideia por trás do gás é a cobrança de uma taxa que tornará o sistema mais sustentável, especialmente quando o ethereum alterar sua forma de obtenção de consenso de prova de trabalho (proof-of-work) para prova de participação (proof-of-stake).

Hash 
Hashing é o processo de verificação da blockchain que utiliza um algoritmo de hash seguro (no caso do bitcoin, o algoritmo de hash seguro é chamado de SHA 256).
As mineradoras usam o hashing para acessar a blockchain e competir por novos bitcoins.
O processo requer alto poder computacional, portanto, as mineradoras tentam continuamente construir plataformas mais sofisticadas, o que contribui para o seu poder de hash.

Hodl
Essa é uma das palavras que inspirou o desenvolvimento do criptonário.
É uma palavra específica do universo cripto que surgiu em uma conversa famosa sobre bitcoin. “Hodl” é um trocadilho com a palavra hold (manter, segurar, deter).
É um jargão da internet muito conhecido pelos entusiastas das criptomoedas. “Hodl” significa resistir à venda dos ativos digitais durante uma queda de mercado, ou quando uma moeda perde muito valor.

Imutabilidade (Immutability)
Rrepresenta uma viagem sem volta. Imutabilidade significa que, uma vez que um bloco é verificado e adicionado à blockchain, o conteúdo daquele bloco (como os detalhes das transações) não pode ser editado ou alterado.
O conceito de imutabilidade é a chave para a confiança e funcionamento da blockchain.
Desenvolvedores da ethereum viraram manchete quando decidiram substituir a imutabilidade da sua rede após o ataque hacker, em 2016, à plataforma The DAO (A Organização Autônoma Descentralizada, uma espécie de plataforma para desenvolvimento de dApps).
O histórico da rede foi revertido para recuperar os milhões de dólares que haviam sido sequestrados pelo golpista digital e, consequentemente, devolvê-lo aos investidores originais.

A decisão resultou em um hard fork (bifurcação na rede) que criou duas redes: ethereum (nova rede) e ethereum classic (rede original).

Internet das coisas (Internet of things)
Descreve um cenário de hiperconectividade no qual dispositivos, desde itens domésticos até redes inteiras de energia, estão conectados à internet.
Presume-se que a hiperconectividade ou a coleta e monitoramento de informações em tempo real levará à melhoria da qualidade de vida e aumento da eficiência (em termos de uso de energia, por exemplo).
A infraestrutura de internet existente hoje é um fator limitante para o aumento da capacidade da internet das coisas.
A tecnologia blockchain, principalmente por meio dos contratos inteligentes (smart contracts) e redes confiáveis, é vista como um componente chave para o desenvolvimento da internet das coisas.

Internet do dinheiro (Internet of value)
A internet que existe hoje é categorizada como a internet da informação.
O surgimento da blockchain e das criptomoedas tem possibilitado a existência de sistemas de valor que não estão relacionados a sistemas financeiros tradicionais, mas que também podem ser usados para armazenar, verificar e transferir valores, tais como votos eleitorais, direitos autorais e propriedade intelectual.
Assim como a internet mudou a forma como nos informamos e nos comunicamos, uma nova maneira mais segura para a troca de valor está prestes a revolucionar os setores comercial e financeiro, com a criação de bens e serviços que ainda não existem.

Investimento em protocolos (protocol investing)
Estratégia que exige que investidores se concentrem em escolher e investir em protocolos de blockchain que formam base para os sistemas das criptomoedas.
Bitcoin é um protocolo, assim como ethereum e outras moedas digitais.
A lógica implícita do investimento em protocolos é que, à medida que mais aplicativos, produtos e serviços são criados, o protocolo base torna-se mais valioso.

Livro-razão distribuído (distributed ledger)
Este é outro termo, mais descritivo, que representa o que é blockchain.
Livros-razão distribuídos utilizam, como base, redes de pessoa para pessoa (peer-to-peer) para criar um sistema confiável de verificação, no qual computadores, dispositivos diversos e indivíduos conectados à internet possam trocar valor sem a necessidade de nenhum tipo de intermediário.

Lunático (moon kid)
Pessoa que defende a teoria de que o valor das criptomoedas atingirá proporções astronômicas.
Geralmente, essas pessoas postam memes nas redes sociais relacionando o aumento do valor de determinada moeda à foguetes sendo lançados ao espaço, e coisas do tipo.
Tais memes são rotulados com frases como “para a lua” (to the moon).
Os garotos da lua são sempre otimistas durante as ondas de alta (bull trend) e relativamente silenciosos durante os períodos de baixa (bear trend). Nunca tome conselhos de investimentos de um lunático.

Mão de alface (weak hand)
Oposto do hodler (aquele que segura as moedas digitais como investimento de longo prazo).
Tampouco podemos chamá-lo de operador de mercado (trader).
O “mão de alface” se livra das suas moedas durante as baixas de mercado por não entender o verdadeiro potencial ou a vantagem da tecnologia. Não seja um “mão de alface”.

Minerador (miner)
Pparte fundamental do sistema de prova de trabalho para validar e manter a blockchain.
As mineradoras dedicam poder computacional (hash power) para resolver problemas matemáticos, o que resulta na criação de linhas de códigos de dados verificados que são adicionados à blockchain.
As mineradoras são recompensadas por seu trabalho recebendo novas criptomoedas caso sejam as primeiras a verificar um bloco (que pode conter centenas de transações individuais).
Um novo bloco também contém dados do bloco anterior, ou seja, o sistema é construído sobre si mesmo, evitando fraudes ou alterações uma vez que é difícil voltar e manipular um bloco individualmente.
Embora a mineração, ou prova de trabalho, seja interessante na perspectiva computacional, requer muita energia e equipamentos especializados para explorar os principais sistemas da blockchain.

Moeda fiduciária (fiat)
É o dinheiro tradicional. Moedas legalmente reconhecidas, criadas e controladas pelos governos, geralmente através de bancos centrais ou de alguma agência centralizada similar.
O fornecimento das moedas fiduciárias mais modernas não está vinculado a qualquer commodity, como por exemplo o ouro, e pode ser criado pelos governos para lidar com percalços financeiros ou econômicos, levando a situações inflacionárias, que geralmente desvalorizam a força da moeda.

Oferta Inicial de Criptomoeda (Initial Coin Offer, ICO)
Foi assim que alguns projetos de criptomoedas surgiram.
As ofertas iniciais de criptomoedas são uma espécie de cruzamento entre campanhas de financiamento coletivo e oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do mercado de ações.
A principal diferença é que existe uma barreira de entrada pequena para entrar em uma ICO.
Com esforço mínimo, qualquer um pode escrever um artigo técnico e propor uma nova rede ou um novo token com base em uma rede já existente.
É provável que as ofertas iniciais de moedas futuras sejam examinadas pelos reguladores com mais rigor.

Pagamento de pessoa para pessoa (peer-to-peer payment)
A confiabilidade de uma transação digital de pessoa para pessoa foi uma das maiores motivadoras para a criação e a rápida adesão do bitcoin.
A ideia era simples: como os usuários poderiam fazer negócios entre si através da internet sem a necessidade de envolver um intermediário, como um banco, uma empresa de cartão de crédito ou outro serviço de pagamento.
A remoção do intermediário significava que os usuários precisariam de outra maneira para poder confiar uns nos outros antes de executar uma transação.

Para suprir essa necessidade surge a blockchain.
Pessoas, grupos e empresas agora têm um sistema confiável para enviar ativos digitais de um lado para o outro sem a necessidade de passar por um intermediário.
O objetivo dos sistemas da blockchain é tornar as transações mais rápidas e baratas.
Usuários também podem realizar micropagamentos, ou seja, pequenas frações que antes eram muito pequenas para serem rentáveis.

Poder de computacional de mineração (hash power)
As moedas digitais são criadas quando mineradores resolvem complexos problemas matemáticos ao verificar e armazenar dados em blocos.

Criar esses blocos requer uma quantidade cada vez maior de poder computacional.
O poder computacional de mineração é uma medida da capacidade de uma mineradora ou um equipamento de mineração usado para criar e manter blocos.
As mineradoras que procuram lucrar, especialmente por meio da mineração de moedas mais estabelecidas, buscam continuamente maneiras de aumentar seu poder de hash.
Algumas empresas têm criado operações de mineração elaboradas e caras para aumentar o poder de hash, mas o processo requer altos custos de energia.

Protocolo aberto (open protocol)
Blockchains como o bitcoin e o ethereum são protocolos abertos que permitem a participação de qualquer usuário ligado a um computador.
Por sua natureza, protocolos abertos são descentralizados, isolando-os de alguns tipos de falhas de segurança.
Protocolos abertos dependem do consenso para tomar decisões e implementar mudanças no código que alimenta a blockchain.

Prova de participação (proof-of-stake)
aAssim como prova de trabalho, a prova de participação é um algoritmo utilizado para encontrar consenso em uma cadeia de blocos.
Ao invés de usar poder computacional complexo (que requer muita energia) para verificar transações e criar blocos, as provas de participação da blockchain são verificadas por usuários que possuem a moeda.
A confiança da Blockchain é garantida pelo proprietário, diferente do modelo de prova de trabalho.
A lógica é de que os mineradores que participam do modelo de prova de participação trabalhem para manter a integridade da blockchain com intenção de manter o valor da moeda digital.
Também existe aleatoriedade integrada no modelo prova de participação projetada para evitar a centralização do poder.

Prova de trabalho (proof-of-work)
Sistema para verificar e manter uma transação da blockchain, utilizado por muitas moedas digitais.
A prova de trabalho requer alto poder computacional para resolver um problema, mas permite verificação com mais facilidade, tornando-se uma ferramenta útil para prevenir coisas como spam de e-mail e outros vírus.
No universo cripto, a prova de trabalho é usada para incentivar as mineradoras a dedicar o poder computacional para verificar transações da blockchain.

Sem necessidade de permissão (permissionless)
Uma das principais características da blockchain ou dos livros-razão distribuídos é que eles não possuem necessidade de permissão, ou seja, qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode baixar um nó (um software para computador) e se tornar parte da rede.
Os usuários do nó podem acessar os dados criptografados do bloco.
Hospedar um nó, ou oferecer energia do computador para ajudar a criar e manter a rede, é diferente de ser um minerador.

Testemunha segregada (Segregated Witness, SegWit)
Refere-se à uma mudança no código do bitcoin.
O SegWit incorpora alguns reparos importantes na blockchain com o objetivo final de aumentar a eficiência das transações de bitcoin.
Antes de ser ativado na rede, em agosto de 2017, houve muito debate entre mineradores e desenvolvedores em torno dessa alteração do código. O SegWit abre caminho para que outras propostas de escalabilidade da rede do bitcoin sejam implementadas.



  • D
    DAICO
Evolução de uma ICO. O investimento é integralmente arrecadado na fase da ICO, mas os fundos são liberados à medida que o progresso é alcançado no desenvolvimento, metas estabelecidas são alcançadas ou financiamento contratado é necessário. O DAICO foi criado para que os investidores tenham controle de liquidez.

DAPP
São aplicativos descentralizados que são executados de forma autônoma, armazenando os dados dentro do blockchain e operando de acordo com os parâmetros estabelecidos.

É uma entidade autônoma de código aberto que pode ser atualizada ou modificada por um grupo de usuários mediante consenso.
O objetivo de um dApp é remover a necessidade de autoridade central, como governos ou corporações.
Exemplo: um aplicativo de compartilhamento de caronas (como o Uber) sem nenhuma empresa por trás.
As transações entre as pessoas ocorre por meio do aplicativo sem a existência de um intermediário.

O bitcoin pode ser considerado um dApp
Um dos primeiros dApps da rede do Ethereum foi hackeado, o que gerou uma enxurrada de controvérsias e levou a rede do ethereum a passar por um hard fork (bifurcação da rede).
Os dados dos usuários em um dApp são criptografados em uma blockchain pública para prevenir a existência de um ponto único de falha.
dApps também usam tokens de uma blockchain existente ou produzem seus próprios tokens para incentivar a manutenção e operação da aplicação. O site Github possui um extenso documento técnico sobre aplicações descentralizadas.

DAO (Decentralized Autonomous Organization)
A tradução é Organização Autônoma Independente. Eles são sistemas open source e descentralizados que não precisam de um operador humano ou controlador financeiro. Eles podem operar independentemente de seus desenvolvedores e terceiros, uma vez que os requisitos pré-acordados sejam atendidos e refletidos em um smart contract (contrato inteligente).

Deflação
Processo da economia em que o custo dos produtos diminui fazendo com que o valor do dinheiro fiduciário aumente, provocando assim uma monopolização do dinheiro fiduciário para adquirir os produtos ao menor preço possível.

Descentralização
Elemento fundamental em uma criptomoeda e uma das propriedades básicas. Baseia-se no fato de que usuários e não empresas privadas, estados ou outros órgãos centralizados, que validam operações e determinam o valor de uma moeda.

Descentralizado
Termo usado para indicar que por trás de uma criptomoeda e sua rede de blockchain não existe uma empresa privada, agência ou estado que a regule, controle ou manipule.

Dificuldade
É o valor que indica o grau de complexidade do problema que deve ser resolvido em uma Prova de Trabalho da rede blockchain. É variável e seu valor depende da potência da rede e da potência do minerador, ajustando-se automaticamente de acordo com o estado da rede.

Endereço Bitcoin

É um identificador que contém entre 27 e 34 caracteres alfanuméricos e geralmente começa com 1 ou 3. Eles são gerados de forma simples por meio de um tipo de programa chamado wallet ou carteira. Bitcoin é um sistema baseado em criptografia assimétrica, então quando você gera um endereço Bitcoin, você gera duas chaves: publica e privada. Um endereço de Bitcoin é simplesmente a chave pública, que você usa para receber o dinheiro e exibir seu “número de conta” Bitcoin.

Change Address
Estes são endereços implementados em carteiras Bitcoin que permitem que a ‘mudança’ seja devolvida ao usuário. Essa mudança é semelhante à que recebemos quando compramos e a diferença entre o valor dado e o valor cobrado pela loja é devolvida para nós.

DLT (Distributed Ledger Technology)
Acrônimo de Distributed Ledger Technology. É um termo que engloba toda a categoria de redes descentralizadas ou sistemas de consenso distribuídos que existem. A categoria de ‘redes DLT’ compartilha a característica de que eles não precisam de um banco de dados central ou de uma entidade central que toma decisões. O primeiro DLT funcional e operacional era a rede blockchain do Bitcoin, que funciona continuamente desde 2009.

Doble gasto
Operação fraudulenta de dinheiro de natureza digital que se baseia em usar duas vezes as mesmas moedas para comprar ou pagar alguma coisa. Esse tipo de falsificação é um dos principais problemas que o Bitcoin resolve.

Endereço
O endereço Bitcoin é semelhante ao endereço físico ou a um email. É a única informação que você precisa fornecer a alguém para pagá-lo com Bitcoin. Uma importante diferença, no entanto, é que cada endereço deve ser usado para uma simples transação.


  • E
     ECDSA (Elliptic Curve Digital Secure Algorithm)
O sistema de criptografia de curva elíptica é utilizado para obter a chave pública a partir da chave privada, podendo assinar transações. É impossível obter a chave privada da chave pública.

EIP (Ethereum Improvement Proposal)
É um padrão para fazer propostas de melhoria para o Ethereum e que deve ser aprovado pela comunidade. Eles são de um formato específico e fornecem informações técnicas específicas sobre a proposta e uma justificativa da proposta. Existem diferentes tipos de EIP.

ERC-20 / ERC-223 / ERC-721 / ERC-777 / DEFI / NFT / BIP
São as denominações de diferentes padrões para a criação de tokens criptográficos baseados na rede Ethereum.

BINANCE CHAIN - BEP2
BINANCE SMART - BEP20 (BSC)
outros padrões criados pela Binance (Exchange)


  • E
     Escrow
São contratos de depósitos em garantia onde o dinheiro está em fase de reserva através de um terceiro que garante o cumprimento das partes envolvidas.

Ether
Criptomoeda da rede Ethereum

Ethereum
Uma rede de código aberto baseada na tecnologia blockchain, cuja proposta é o desenvolvimento de aplicações descentralizadas com a intenção de evitar censura, tentativas de fraude ou a interferência de terceiros nelas.

EVM (Ethereum Virtual Machine)
Máquina virtual Turing completa cuja missão é executar o código do EVM. Os nós do Ethereum operam dentro do EVM para manter o consenso do blockchain.

Exchange
Casa de câmbio digital que permite trocar dinheiro fiduciário por moedas criptomoedas e / ou criptomoedas entre si.

Exchange centralizado (CEX)
Casa de câmbio digital centralizada que permite o depósito de fundos em uma conta ou carteira dentro da exchange e é a própria plataforma que faz a troca para nós, de acordo com os parâmetros de dados.

Exchange descentralizado (DEX)

Casa de câmbio digital descentralizada baseada em blockchain e código fonte aberto. Ninguém tem o controle de uma DEX, são os compradores e vendedores que negociam entre pares através de um aplicativo de troca de pares.

Exchange híbridas (Hybrid Crypto Exchange o HEX)

Casa de troca digital híbrida que oferece as funcionalidades e liquidez das plataformas CEX, bem como a confidencialidade e segurança das plataformas DEX. Esses sistemas ainda estão em desenvolvimento.

  • F
     Faucet
Esses são sites que fornecem uma pequena fração de criptomoeda para executar uma ação simples (por exemplo, preenchendo um captcha). Eles foram criados para promover o Bitcoin e qualquer um poderia acessar essa criptomoeda e distribuí-la. Hoje existem faucets de quase qualquer criptomoeda no mercado.

Fee
Comissão que é cobrada quando qualquer transação é feita dentro de uma blockchain

Fiat
Dinheiro fiduciário em uso corrente. A moeda em papel que os diferentes estados ou conjuntos emitem. Exemplos: Euro, Dólar, Yuan, Rublo, Libra, etc.

FUD
Acrônimo de Fear, Uncertainty e Doubt. Em português : Medo, Incerteza e Dúvida. Termo para definir um estado de espírito das pessoas dentro de um mercado em face de uma possível queda nos preços dos ativos, seja por evidência objetiva ou rumores e notícias negativas.

Full node (nó completo)
São todos os nós que verificam completamente todas as regras de uma criptomoeda. Em Bitcoin, o software para nós completos é chamado Bitcoin Core.



Gasto Duplo
Se um usuário malicioso tentar gastar os seus bitcoins em dois recipientes ao mesmo tempo, isto é gasto duplo. Bitcoin mineração e a corrente de bloqueio estão ali para criar um consenso na network sobre qual das duas transações será confirmada e pode ser considerada válida.

  • G
    Github
O maior repositório de código aberto gratuito do mundo. Aqui é onde podemos encontrar o código Bitcoin e todas as contribuições feitas para ele. Neste local, desenvolvedores e pesquisadores publicam seu software ou código para que todos tenham acesso e possam modificá-lo ou utilizá-lo em seus sistemas.



  • H
    Halving
Evento que serve para reduzir pela metade a recompensa dos mineiros da Proof-of-Work que operam na rede blockchain. Cada criptomoeda define a cada cuantos blocos esse ajuste automático é feito. Em Bitcoin, é a cada 210.000 blocos de minados.

Hard fork
Bifurcação forçada de um blockchain, que geralmente é dada quando uma mudança muito importante é implementada no código de software de uma rede e a nova versão dele não reconhece os blocos do outro.

Hash
Termo usado para se referir a ‘funções de resumo ou funções hash’. Tecnicamente, uma função hash é um código de saída (exclusivo e alfanumérico) que obtemos de uma string de entrada, o que nos permite saber se a cadeia original foi alterada.

Hashcash

Medida contra spam em e-mails, blogs e fóruns. Medida que executa um pequeno trabalho de computador com o processador do seu computador como um pagamento e verificação que indica que não é um sistema automatizado que envia milhares de e-mails ao mesmo tempo.

Hashrate
O poder total de processamento de um blockchain ou o que é o mesmo, é a quantidade de valores hash que podem ser feitos em um período de tempo. É usado como um hash de referência de velocidade.

HODL
Erro tipográfico de um usuário do fórum Bitcointalk em 2013. O usuário alterou Holding (manter ou manter) por Hodling. O erro tornou-se popular e agora é comumente usado como um acrônimo para “Hold on to dear life” ou “preserve como se fosse vida”.

HOLD
Termo usado para expressar que uma ou mais criptomoedas são mantidas ou salvas, mesmo que isso esteja perdendo valor no mercado.

Hot Wallet

Carteira que está sempre conectada ao blockchain. As moedas armazenadas podem ser rapidamente trocadas com outros membros da rede ou usadas para fazer trading.

Hybrid PoS/PoW

São redes blockchain que combinam o Teste de Trabalho e o Teste de Participação para obter consenso na rede. Essas redes buscam paridade entre mineradores e detentores ou eleitores, através de um sistema de gestão comunitária onde ambos participam.


  • I
     ICO (Initial Coin Offering)
O significado em português é oferta inicial de moeda, é o que é chamado de criação de um token como meio de financiamento de um projeto baseado em uma rede blockchain em sua fase de desenvolvimento.
Inflação
Processo da economia onde o custo dos produtos aumenta fazendo com que o valor do dinheiro fiduciário diminua, fazendo com que as pessoas gastem apenas em produtos básicos.



  • K
    KYC (Know Your Costumer)
Sua tradução literal é: “Conheça seu cliente”. Processo pelo qual uma entidade ou empresa que realiza um negócio ou transação deve ser identificada com o outro ator com o qual ela realiza a operação. A ideia é verificar a legitimidade e a existência do cliente.

kWU (Thousands Wight Units)
Unidade de peso usada para comparar o tamanho das diferentes transações de bitcoins entre si em proporção ao limite máximo de tamanho de bloco dado por consenso. Cada Weight Unit é representada por 1/4000.000 do tamanho máximo de um bloco.



  • L
    Lambo
Termo usado para obter grandes benefícios com uma criptomoeda ou ficar rico com isso. Refere-se a comprar um Lamborghini com os benefícios obtidos.

Ledger
Sua tradução é Livro Maior e consiste em um registro contábil de todas as transações em um arquivo ou banco de dados desde o início do dinheiro e do comércio. As redes do tipo blockchain de criptomoedas têm a possibilidade de criar livros digitais distribuídos. Existem diferentes tipos de livros na era digital.

Licencia MIT
Uma licença gratuita que permite a qualquer pessoa obter uma cópia deste software e dos arquivos de documentação associados. Permite tratar o software sem restrições, incluindo direitos de uso, cópia, modificação e fusão, publicação, distribuição, sublicenciamento e / ou venda de cópias do software.

Lightning Network
Um sistema de micro-pagamento descentralizado que gera um canal para transações, que visa simplificar as transações e reduzir as taxas. Está em fase de desenvolvimento e pode ser implementado no blockchain de qualquer criptomoeda.

Light Wallet
São carteiras para Bitcoin ou outras criptomoedas instaladas em nossos equipamentos e que ocupam menos espaço em nosso disco rígido e permitem uma sincronização mais rápida, já que não é necessário o download das informações completas do blockchain para utilizá-lo adequadamente.

Litecoin (LTC)
Criptomoeda que decorre da implementação do código Bitcoin com uma série de modificações, entre elas a freqüência de emissão dos blocos e o número de unidades monetárias a serem distribuídas.
Foi lançado por Charlie Lee em 7 de outubro de 2011, e seu logotipo é prata porque aspira a ser a “prata” do mundo da criptografia, onde o “ouro” seria o Bitcoin.

Locktime
É o tempo que uma transação Bitcoin deve esperar para que um minerador adicione a transação ao seu hash da raiz Merkle para formar o próximo bloco que fará parte do blockchain.


  • M
    Mainnet
É a principal rede de Bitcoin, onde as transações desta criptomoeda são registradas e ocorrem. Os bitcoins da mainnet são aqueles que têm valor real.
Master Private Key
Esse tipo de chaves privadas é gerado nas carteiras hierárquicas determinísticas e é baseado em dados derivados da semente raiz.

Master Public Key
Ela permite que você crie quantos endereços públicos desejar de uma carteira Bitcoin baseada em uma chave privada master, que implementa um compromisso que impede que um invasor gaste o que está armazenado nessa carteira. Geralmente é usado para habilitar armazenamento e gastos off-line ou o que é o mesmo, as operações são realizadas com um computador não conectado à rede e o resultado é transportado em um USB para um computador conectado à rede. É o sistema usado por carteiras físicas ou de hardware.

Masternode
Computadores que são responsáveis por processar transações blockchhain e receber uma recompensa quando um bloco é extraído. Para criar um masternode, você precisa de uma quantidade importante de criptomoedas para as quais é desenvolvida.

Mempool
É a abreviação de Memory Pool. Conjunto de transações não confirmadas em um blockchain. Cada vez que uma transação é feita, ela entra diretamente no banco de dados, após o qual os mineiros realizam grupos de transações para construir os blocos.

Mineração
A mineração por criptomoeda é o processo de resolver um problema matemático para dar segurança a uma rede distribuída. Minar é recompensado financeiramente: a mineradora recebe novas criptomoedas recentemente emitidas pelo programa, além das comissões das transações que ele adiciona ao bloco.

Mineiro
Qualquer coisa que tente resolver o desafio matemático de uma rede blockchain baseada em Proof Of Work. Geralmente, são componentes de hardware de computador dedicados exclusivamente à resolução desses problemas.

Moeda Off-Ledger
É uma moeda que é emitida fora do livro razão e usada neste ledger. Por exemplo, poderia ser um livro-razão distribuído de uma moeda fiduciária nacional.

Moeda On-Ledger
É uma moeda que é emitida no ledger e que é usada dentro dela. Qualquer criptomoeda está em conformidade com isso, como Bitcoin, Ethereum, Litecoin, etc.
Multisignal (multi–assinatura)
São wallets que exigem mais de uma chave para que as transações sejam autorizadas. Serve para distribuir a responsabilidade da posse das criptomoedas e para evitar roubos, manipulações ou outros, sem que o resto dos membros esteja ciente disso.



  • N
Dentro da rede blockchain, os nós são computadores que se conectam à rede e possuem uma cópia atualizada do blockchain. Juntamente com os mineiros, eles são os fiadores de que a rede funciona corretamente. Os nós no Bitcoin são muito importantes porque ajudam a manter a rede descentralizada.

Nonce
Significa “umber that only used once” (número que é usado apenas uma vez) e é de importância vital com o hash na verificação dos dados da rede blockchain do Bitcoin.



  • O
    OP_Code
Os códigos de operações do Bitcoin Script são uma série de instruções em linguagem de máquina que permitem a execução ou execução de certas tarefas específicas.

Oráculo
Os oráculos são sistemas automatizados que obtêm informações de diferentes mídias ou usuários para introduzi-los na rede blockchain que será usada em contratos inteligentes. É algo contribuído pela rede Ethereum.

Output (Salida)
Em uma transação de bitcoin ou criptomoedas, cada output ou saída refere-se aos endereços para os quais o dinheiro é enviado. Ou seja, as direções para as quais as moedas “saem”.



  • P
    P2P (Peer-to-peer)
São redes peer-to-peer ou também chamadas ponto-a-ponto. Refere-se a redes descentralizadas onde a informação é compartilhada entre dois usuários através de conexão à rede ou à Internet sem outro intermediário do que um software que os conecta.

P2PKH (Pay To Public Key Hash)
É o nome técnico que os endereços padrão do Bitcoin recebem, eles são de propriedade de um único usuário. Todos começam com o número 1.

P2SH (Pay To Script Hash)
É o nome técnico que os endereços multi-assinatura do Bitcoin recebem, eles são de propriedade de dois ou mais usuários e impedem um indivíduo de gastar as moedas livremente. Todos começam com o número 3.

Proof-of-Stake (PoS)
Em português, pode ser traduzido por ‘teste de participação’ e é um sistema de validação para as transações de uma rede baseada em uma série de masternodes que armazenam criptomoedas em uma wallet ou carteira.

Proof-of-Work (PoW)
Em português ‘prova de trabalho’ é um sistema de validação das transacções de uma rede resolvendo operações matemáticas através de equtipos de computadores especializados.

Pizza Day Bitcoin
É comemorado em 22 de maio de 2010, quando Lazslo Hayneck trocou 10.000 Bitcoins por duas pizzas na rede americana Papa John’s. É considerada a primeira transação de bitcoins para um bem material.

Pool (mineração)
Combinação de recursos de vários mineiros para obter um maior poder de mineração e, assim, obter maiores recompensas pela abertura de blocos. Há alguns que são públicos e alguns são privados.

Plataforma de desenvolvimento (Development Plataforms)
Ambientes especiais focados no desenvolvimento e criação de aplicativos suportados em um blockchain. São sistemas de desenvolvimento na nuvem que permitem um desenvolvimento bastante ágil.

Pump
Termo em inglês que expressa um aumento notável e repentino no valor de uma criptomoeda. Podem ser provocados por uma pessoa ou grupo destes ou por algum evento importante que gere um movimento massivo de compras de uma criptomoeda.


  • Q
    Queima de tokens
É a eliminação de um determinado número de tokens pela equipe de desenvolvedores de um projeto específico. Todos os tokens queimados param automaticamente de funcionar e têm valor.



  • R
    Recompensa de bloco (Block Reward)
Aquisição de criptomoedas após a resolução de um bloco. É obtido como compensação pelo trabalho realizado pela validação dos blocos.

Rede centralizada
A informação é distribuída a partir de um único ponto.
Rede descentralizada
Sistema baseado em nós, onde a informação é distribuída em um esquema de árvore. Os nós centrais distribuem informações para os nós intermediários e estes, por sua vez, podem decidir se distribuir ou não as informações.

Rede distribuida
Qualquer receptor de informação pode ser um transmissor de informação. Os destinatários escolhem a fonte de informação que consideram. Redes sociais e mais especificamente o Twitter podem representar este esquema, onde o receptor de informações também pode fornecer informações.

Substituir por taxa (Replace-by-fee)
Sistema para modificar uma transação não modificada. Para evitar ataques de negação de serviço, é necessário que a nova transação, que substitui a anterior, pague sua comissão e a comissão da transação que deve substituir.

Ripple
É considerada a criptomoeda do sistema bancário tradicional e é classificada como criptomoeda centralizada. Ele é projetado para transações bancárias, tornando-as ágeis, validadas em questão de segundos e com comissões extremamente baixas.



  • S
    Satoshi
Um satoshi é a unidade mínima na qual um bitcoin pode ser dividido e é equivalente a 0,00000001 Bitcoin (BTC). Deve seu nome ao nome do criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto.

Satoshi Nakamoto
Pseudônimo da pessoa (ou grupo de pessoas) que desenvolveu e disseminou a ideia original do Bitcoin e da primeira rede blockchain do mundo. O nome real é desconhecido ou se é uma pessoa física, grupo de pessoas ou empresas.

Stablecoin
Stablecoins são criptomoedas cujo valor está atrelado a um outro ativo estável. Atualmente, as stablecoins mais usadas no mundo são pareadas no dólar, mas elas também podem ser pareadas em commodities, ouro, imóveis, moedas fiduciárias de economias desenvolvidas, uma combinação de todas essas opções ou em qualquer outro ativo que seja relativamente estável.

Essas criptomoedas foram desenvolvidas com o objetivo de minimizar o problema da volatilidade do preço das criptomoedas. Por exemplo, uma stablecoins ligada ao dólar terá sempre o mesmo valor que a moeda fiduciária, na proporção 1 para 1. Isso significa que o valor das stablecoins é sempre o mesmo da moeda fiduciária na qual ela está atrelada.


  • Tether  (USDT) 
O Tether  é uma stablecoin colateralizada com o dólar americano desenvolvida sobre a rede Bitcoin blockchain, através do Omni Layer Protocol.  O token foi criado por uma empresa do mesmo nome, registrada em Hong Kong. A empresa disponibiliza um link em que é possível conferir o balanço dos fundos do USDt.

  • TrueUSD  (tUSD) 
TrueUSD é um token ERC20, baseado na tecnologia do Ethereum e colaterizado com o dólar. A stablecoin foi criada pela plataforma TrustToken, que desenvolveu parcerias com bancos registrados que detém os fundos que garantem a colateralidade dos tokens, de forma que a TrustToken não tem acesso direto aos fundos. Os investidores do TrueUSD tem certificados de saldos garantidos, garantia legal contra a apropriação indevida do USD subjacente.

  • USD Coin (USDc)
A USD Coin é uma stablecoin nativa da Ethereum, lançada e desenvolvida pelo CENTER, um projeto de código aberto que recebe contribuições da Circle e da Coinbase. O USDC é emitido por instituições regulamentadas responsáveis por mantêm as reservas da moeda fiduciária equivalente aos tokens emitidos. Os emissores são obrigados a relatar suas reservas de USD e a Grant Thornton LLP emite relatórios sobre essas as reservas mensalmente.

  • Paxos Standard Token (Pax)
O Paxos Standard (PAX) é um stablecoin pareada em dólares americanos. A Paxos, a empresa por trás da PAX, tem uma carta do Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York, que permite que ela ofereça serviços regulamentados no mercado de ativos digitais.

  • Gemini (gUSD)
A stablecoin Gemini (gUSD) é emitida pela Gemini Trust Company LLC, uma exchange e custodiante de criptomoedas de Nova York fundada pelos irmãos  Winklevoss. A gUSD é colateralizada com o dólar, cuja custódia é mantida pelo State Street Bank e Trust Company. A gUSD é auditada mensalmente pela BPM, LLP, uma firma de contabilidade pública.

  • Dai (DAI)
Dai (DAI) é uma stablecoin cujo valor é pareado em USD, mas, diferente da maioria das stablecoins do mercado, ela não tem autoridade central. Sua estabilidade é mantida pelos smarts contrats. Quando o Dai vale mais de US $ 1, os automaticamente o algoritmo trabalha para diminuir o preço. E quando o Dai vale abaixo de US $ 1, os algoritmos trabalham para aumentar o preço.

Scrypt

É um algoritmo criptográfico mais leve e rápido que o SHA-256, portanto, o tempo de processamento é menor e são necessários componentes mais simples , como processadores e placas gráficas de uso comum.

SegWit

A tecnologia Segregated Witness representa uma mudança no formato das transações Bitcoin que foi proposta pela empresa Blockstream e cujo desenvolvimento foi feito pelo Bitcoin Core. Foi implementado através de um Soft Fork na rede Bitcoin. Outras criptomoedas como Litecoin ou DigiByte também o adotaram.

SHA-256

É o algoritmo criptográfico que é usado na rede Bitcoin para a mineração desta criptomoeda e a criação de seus endereços. SHA significa ‘Secure Hash Algorithm’, um conceito desenvolvido pela Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA).

Shitcoin

É uma palavra pejorativa que se refere a uma altcoin que não tem valor, ou está prevista para falhar devido à inconsistência de seu código, equipe ou projeto.
É um conceito pensado em inglês e consiste nas palavras merda (merda) e moeda (moeda), literalmente significa: moeda de merda.

Smart Contract

Também chamado de ‘contrato inteligente’, é um contrato digital entre duas ou mais partes, para bens, serviços ou qualquer coisa imaginável. Uma vez cumpridos todos os requisitos, é resolvido automaticamente e as partes recebem o previamente acordado.

Soft fork

Pequena atualização do código de software de uma rede blockchain que é compatível com as versões anteriores e não faz com que a rede seja dividida dando origem ao que seria chamado de hard fork.

Solidity

É uma linguagem de programação usada no Ethereum para programação de contratos inteligentes.

SWAP (Atomic SWAP)

A palavra “Swap” significa “intercâmbio “. Atomic Swap é um termo usado para definir um recurso que permite a troca de criptomoedas que operam em diferentes cadeias de bloco, mas sem intermediários. Por exemplo, para mudar de Bitcoin para Ethereum, uma casa de câmbio centralizada é atualmente necessária, uma vez que são cadeias de blocos diferentes. O Atomic Swap permite que você envie seus bitcoins para a pessoa que lhe dá os ethereums em troca de uma única transação blockchain que é refletida nas duas cadeias de blocos.



  • T

     Testnet

É uma rede secundária do Bitcoin para realizar testes com criptomoedas sem valor real. Muito útil para desenvolvedores ou pessoas que querem experimentar a rede Bitcoin sem temer a perda de suas moedas.

Timestamp

O timestamp é um registro de data e hora que é calculado de acordo com diferentes parâmetros e contribui para a verificação de informações na rede.

To the Moon

Literalmente significa: ‘para a lua’. Expressão originalmente usada para dizer que o valor do Bitcoin iria subir muito valor. Agora seu uso é generalizado para todas as criptomoedas.

Token

No mundo das criptomoedas, um token é a representação digital do valor de um ativo (físico ou não). Há uma série de padrões para criá-los e atualmente a rede Ethereum é a que abriga mais de 80% dos tokens existentes.

Trading

Intercâmbio moedas em tempo real para obter lucro.

Transaction block

Grupo de transações de rede agrupadas em um bloco que recebe seu hash e é adicionado ao blockchain.



  • U

UASF (User Activated Soft Fork)

Mecanismo no qual um Soft Fork é executado em uma data específica forçada pelos nós, também conhecida como a ‘maioria econômica’. Eles exigem muito apoio e uma ótima coordenação no setor. Foi proposto para a ativação do SegWit na proposta BIP148.

UAHF (User Activated Hard Fork)

Conjunto de regras criadas por desenvolvedores que são obrigatórias e que alteram o software do nó. Ele permite que os blocos inválidos anteriores sejam válidos novamente após um dia, sem a necessidade de uma maioria hash para ser aplicada.

Unidad de procesamiento gráfico (GPU)

São chips dedicados ao processamento de gráficos ou operações de ponto flutuante, permitindo aliviar a carga de trabalho dos processadores ao jogar videogames, aplicativos 3D interativos ou cálculos matemáticos. Podemos encontrá-los em cartões de expansão especializados, também chamados de cartões gráficos ou integrados no mesmo pacote do processador.

Utility Token

Eles representam o direito de usar um produto ou serviço que terá uma função específica dentro do ecossistema de um projeto. Eles não pretendem ser um investimento, mas oferecem aos usuários acesso a um produto ou serviço futuro. Para diferenciar-se dos ICOs, eles geralmente são definidos como eventos de geração de token (TGE) ou eventos de distribuição de token (TDE)



  • V

Vanity address (Endereço Vanity)

É um endereço que começa com um conjunto de caracteres escolhidos pelo usuário que o cria. Realmente consiste em um endereço ‘personalizado’ dentro do Bitcoin, e é obtido por um procedimento de força bruta.

Vanitygen

Gerador de endereços Bitcoin Vanity através da linha de comando.



  • W

     Wallet

É o software que permite armazenar e transacionar criptomoedas sem permissão ou mediação de ninguém. Existem diferentes tipos (web, desktop ou mobile), existem até wallets físicas chamadas cold wallets.

Wallet determinista hierárquica (HD Wallet)

São carteiras com uma hierarquia determinista que podem ser compartilhadas parcial ou totalmente entre diferentes sistemas, cada um com ou sem a capacidade de gastar moedas. Este tipo de carteira não gera sua chave pública como resultado de sua chave privada, mas através de um algoritmo de curva elíptica matemática.

Wallet Física (Hardware Wallet)

Estão na categoria Cold Wallet e geralmente são unidades de formato USB que se conectam ao computador e nos permitem armazenar nossas criptomoedas com segurança e chaves privadas. Elas geralmente oferecem a opção de adicionar um PIN para desbloquear a unidade.

Wallet Móvil (Smartphone/Tablet)

Aplicativos para Android, iOS ou outro sistema operacional para terminais portáteis que permite armazenar e gerenciar nossas criptomoedas, além de efetuar pagamentos de maneira rápida e fácil.

Wallet Online

São wallets diretamente nas páginas da web onde uma chave pública é oferecida e a chave privada é armazenada no site da empresa ou organização. Um exemplo seria aquele oferecido pelas diferentes exchanges. Existem projetos que também oferecem a possibilidade de ter wallets online.

Wallet em Papel (Paper Wallet)

Processo pelo qual a chave privada de um endereço Bitcoin (ou qualquer outra criptomoeda) está em um pedaço de papel. Dessa forma, você pode enviar fundos para o endereço associado, sem correr o risco de que a chave privada esteja em um programa com uma conexão com a Internet. Por sua vez, este processo também é uma Cold Wallet ou Cold Storage. Quando você quiser recuperar o controle dos fundos, você deve inserir essa chave em um cliente (da criptomoeda correspondente) com uma conexão com a Internet.

Wallet PC ou desktop

São programas de computador especiais projetados para armazenar nossas criptomoedas e nos oferecer uma chave pública e são protegidos por uma chave privada. Eles têm a característica de serem muito seguros e permitem que você veja todo o histórico de transações.

Whitepaper

Documento técnico que descreve as principais características ou propriedades de um projeto com base na tecnologia blockchain e sua correspondente criptomoeda.