Educação financeira em criptomoedas e muita informação sobre os bastidores desse mercado

Dicas - sinais - aprenda a analisar fundamentos de um projeto de criptomoeda - muita informação sobre o mercado - análise gráfica - assine à newsletter e receba semanalmente um conteúdo diferente e exclusivo para seu aprendizado.

*
*
 
 
 
 

-


TOP RADAR


PARCERIA


Wellington P2P:Peer To Peer do Mercado de Criptomoedas

O compromisso é com você, à Wellington P2P atende o mercado de Criptomoedas há 4 anos e sempre com a mesma constância, responsabilidade, seriedade e o fundamental, velocidade com foco total e um suporte dedicado

Clique aqui
Wellington P2P
     

ADASH:Rede de Recompensas em Ada Cardano por Sistema Proof Of Stake (PoS)

Adash Stake Pool, é uma piscina de mineração e estaca de moeda Ada Cardano, única a usar o sistema PoS (Proof Of Stake), com sucesso. Construída na primeira rede Blockchain 3.0 de Cardano, conhecida por ter como objetivo se tornar um novo sistema financeiro global, concorrendo ou rivalizando com os sistemas financeiros atuais.

Clique aqui
ADASH
     

(BTC) BITCOIN


FUNDAMENTOS

O que é Bitcoin? Bitcoin é uma moeda completamente digital, também chamada de criptomoeda. A criação do Bitcoin representa o surgimento de um novo meio de pagamento, descentralizado (ponto a ponto) e digital, destacada como a ( primeira versão Blockchain ). O sistema é gerenciado pelos próprios usuários e não é necessário nenhum intermediador, como empresas de cartão ou o próprio Banco Central.

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(ETH) ETHEREUM


FUNDAMENTOS

Ethereum é uma plataforma que permite a programação de aplicativos descentralizados, contratos inteligentes e transações da criptomoeda Ether e vários tokens. Tudo isso baseado na tecnologia da Blockchain, que surgiu juntamente com o Bitcoin. Em razão disso, muitos consideram o Ethereum uma evolução no conceito da tecnologia da Blockchain.

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(LTC) LITCOIN


FUNDAMENTOS

Litecoin é uma criptomoeda criada pelo graduado no MIT e engenheiro do Google, Charlie Lee, como uma bifurcação do Bitcoin; ou seja, uma moeda alternativa ou “Altcoin”. Aqueles que gostam do Bitcoin, gostarão do Litecoin, já que são muito similares. Ambas moedas foram criadas com o mesmo propósito e com um mecanismo e funcionamento praticamentes iguais. A diferença principal entre estas duas criptomoedas é que as transações de Litecoin são muito mais rápidas e suas tarifas são menores em comparação com o Bitcoin.

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(ADA) CARDANO


FUNDAMENTOS

O Cardano é um projeto de blockchain de código aberto desenvolvido em camadas para executar aplicativos financeiros usados por empresas, consumidores e governos em todo o mundo. Ele pode ser usado para enviar e receber dinheiro digital, garantindo transferências rápidas e diretas que foram protegidas através o sistema de encriptação.

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(DOGE) DOGECOIN


FUNDAMENTOS

Dogecoin é uma criptomoeda igual que o Bitcoin, exceto por ter um logotipo “amigável”. O marketing pode ser conciso: quem não gosta de cachorro? O Dogecoin foi introduzido apenas por diversão em 2013 e ficou bem sério quando o público começou a dar voltas e voltas e colocá-la no status de moeda de celebridade. Também começou a ver certo desenvolvimento, o que só a ajudou a crescer mais entre as outras criptomoedas.

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(TETHER) STABLECOIN DÓLAR


FUNDAMENTOS

O USDT (Tether) é uma stablecoin, o que quer dizer que ela tem um valor estável lastreado em um outro ativo. Nesse caso específico, a moeda tem a sua cotação pareada com o valor do dólar. Ou seja, 1 USDT sempre vai valer o mesmo que US$1. Mas quais são as principais características dessa moeda? E mais importante, quais as suas vantagens para o ecossistema das criptomoedas? Entenda neste artigo!

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(BCH) (BITCOIN CASH)


FUNDAMENTOS

O Bitcoin Cash (BCH) foi criado em 2017 e está entre as principais altcoins em capitalização de mercado. Ele nasceu de uma bifurcação (ou hard fork, o termo em inglês) da rede Bitcoin e o principal objetivo do BCH era substituir o BTC, mas não houve consenso entre a comunidade.

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(BNB) TOKEN UTILIDADAE EXCHANGE BINANCE


FUNDAMENTOS

Binance Coin (BNB) é a criptomoeda interna do ecossistema da Binance, o BNB é um token de padrão ERC-20 e sua ICO teve inicio no dia 14 de julho de 2017 com encerramento no dia 27 do mesmo mês e ano. Durante esse período cerca de 100 milhões de tokens BNB foram vendidos. O montante arrecadado girou em torno de US$ 15 milhões durante o período de vendas.

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais

Saiba Mais

(GLQ) TOKEN ECOSSISTEMA GRÁFICO IDE GRAPHlINQ


FUNDAMENTOS

GraphLinq é uma plataforma de desenvolvimento sem código que permite que qualquer pessoa, desenvolvedores e até mesmo quem nunca codificou uma só linha de código na vida, usando uma função arrasta e solta em uma plataforma online visual IDE

Saiba Mais

Redes sociais

Clique em saiba mais --- Frederick Marinho CEO, Co-Founder

Saiba Mais

PERGUNTAS FREQUENTES


Este exercício exige que você “tire uma fotografia” do ano passado, observando quanto dinheiro entrou e saiu da sua conta. 
Quanto desse recurso foi repassado ao governo em forma de impostos? 
Quanto foi usado para pagar por serviços essenciais, como educação e saúde? 
Quanto foi repassado a dependentes, como cônjuge, filhos ou pais?


ATENÇÃO:  ATUALIZAÇÃO PARA 2020 
Por conta da pandemia do Covid-19, o governo federal decidiu prorrogar para 30 de junho o fim do prazo de entregada da Declaração de Imposto de Renda. Antes, o prazo se encerrava no dia 30 de abril. 



Bitcoin, altcoins e tokens ganharam códigos próprios na declaração deste ano

Com o crescimento da popularidade das criptomoedas - como o bitcoin - entre investidores, também surgem mais dúvidas a cada ano sobre como declarar essas operações à Receita Federal.
Desde 2019, pessoas físicas e jurídicas são obrigadas a informar todas as operações e transferências envolvendo criptomoedas quando o valor, isolado ou conjuntamente, ultrapasse R$ 30 mil reais.

Em 2021, a Receita lançou novos códigos para que os contribuintes possam declarar de maneira mais específica na plataforma.
Tanto a posse como os lucros obtidos com a venda de bitcoins ou outras moedas virtuais devem ser informadas ao Fisco.

Atenção: a declaração de imposto de renda é feita em reais e sua base são sempre os preços de aquisição, não os valores de mercado.

O QUE SÃO CRIPTOMOEDAS?

Criptomoedas são representações digitais de valor, expressadas em moeda estrangeira ou nacional, onde as transações são realizadas por exchanges, que funcionam como corretoras no mercado de ações, conectando pessoas que querem comprar com quem quer vender suas criptomoedas.

COMO DECLARAR BITCOIN OU OUTRAS CRIPTOMOEDAS À RECEITA?
No sistema da Receita Federal, o contribuinte deve buscar a aba "Bens e direitos" e clicar no item "novo".
Neste ano, em vez de selecionar a opção "outros", a Receita criou três novos códigos para declaração de criptoativos:

  • 81 - Criptoativo Bitcoin - BTC 
  • 82 - Outros criptoativos, do tipo moeda digital, conhecidos como altcoins, entre elas: Ether (ETH); XRP (Ripple); Bitcoin Cash (BCH); Tether (USDT); Chainlink (LINK) e Litecoin (LTC). 
  • 89 - Demais criptoativos: criptoativos não considerados criptomoedas (payment tokens), mas classificados como security tokens ou utility tokens.

No campo "Discriminação", é preciso dar detalhes das operações: qual criptomoeda foi adquirida, a quantidade, a data da compra e nome e CNPJ da corretora que realizou a operação - ou nome e CPF se a compra foi feita a uma pessoa física.
Cada operação de compra deve ser declarada individualmente.

Depois disso, o contribuinte deve informar os saldos relativos a cada data nos campos de “Situação em 31/12/2018″ e “Situação em 31/12/2019”. Essas informações podem ser buscadas com a corretora.


TRIBUTAÇÃO DE GANHOS

Se em 2020 o contribuinte tiver vendido bitcoins ou outros criptoativos e tido lucro superior a R$ 35 mil em um mês, o valor será tributado.
Nesse caso, o ganho de capital deve ser declarado no Programa de Apuração dos Ganhos de Capital da Receita Federal até às 23h59 do último dia útil do mês seguinte à venda.
O rendimento é tributado conforme a tabela de alíquotas do Imposto de Renda.






Tabela progressiva do ganho de capital
Ganhos de capitalAlíquota
Até R$ 5 milhões
15%
De R$ 5 milhões a R$ 10 milhões
17,5%
De R$ 10 milhões a R$ 30 milhões
20%
Acima de R$ 30 milhões
22,5%

Esses dados devem ser importados do programa na hora do preenchimento da declaração.
Ganhos inferiores a R$ 35 mil em um mês não são tributados, mas é preciso declarar o lucro na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, no código 5.
Se você possui mais de R$ 5.000 em bitcoins ou outras criptomoedas, deve informar a posse dessas moedas virtuais.

Vendas de moedas digitais acima de R$ 35 mil por mês estão sujeitas a imposto sobre ganho de capital 

RISCO DE CAIR EM MALHA FINA
Desde 2019, a Receita passou a exigir que investidores e exchanges a declarem as transações. As empresas brasileiras precisam informar todas as compras e vendas de criptomoedas que intermediaram.

Já em operações entre pessoas físicas ou usando exchanges no exterior, só é preciso declarar movimentações acima de R$ 30 mil.
Por isso, se o contribuinte deixar de declarar saldos ou rendimentos, é grande a chance de que outra parte (o comprador ou o vendedor, ou a exchange) cite o CPF e gere inconsistência, caindo na malha fina.


Ele tem valor em qualquer lugar do mundo.
É um ativo escasso e descentralizado, como o ouro.
Até hoje, já foram criados 18.480 milhões, e faltam apenas mais 2,520 milhões de unidades.

Através da construção de uma robusta arquitetura de rede, apenas existirão um total de 21 milhões de Bitcoins no mundo. Até o presente momento, 88% de todos os BTC's já foram minerados, os 12% restantes serão ofertados até 2140.



Com o passar do tempo, se tornará cada vez mais valioso. Se o seu receio é a falta de lastro no bitcoin, saiba que as moedas fiduciárias, como o real ou o dólar, também não possuem lastro desde o fim do acordo de Bretton Woods e estão sujeitas a variações do mercado.

Em vez de ter seu valor ligado a governos ou bancos centrais, o bitcoin tem seu valor baseado na tecnologia e na matemática. Ele pode ser enviado pela internet, sem intermediários.
Ou seja, o seu saldo é transferido de pessoa para pessoa – mesmo em transações internacionais.
Um exemplo, existem várias plataformas que facilita a compra e venda de criptomoedas, é possível carregar o saldo da sua conta por transferência bancária e é possível sacar suas criptomoedas em saldo fiduciário para sua conta bancária, basta cadastrar sua conta bancária em um formulário disponibilizado dentro dessas plataformas.
Vale lembrar que para cada transação, seja saque, transferência ou compra de criptomoedas dentro da plataforma, existem taxas.

Todas as operações são registradas em blockchain, que funciona como um livro de registros virtual com dados imutáveis.

Por isso, a moeda digital pode ser comprada e armazenada com segurança em uma carteira virtual de uma instituição financeira. O seu saldo pode, então, ser transferido de pessoa para pessoa de maneira fortemente codificada, sem fraudes ou alterações.

É fato, também, que o bitcoin pode ajudar você a se proteger da inflação ou de crises econômicas, por exemplo.
Quando olhamos para a história dele ao longo dos anos, seu valor sobe de maneira consistente. “Do primeiro momento até hoje, quem comprou bitcoin em 98% dos dias já teve lucro”,

Claro, o preço do BTC apenas sobe se houver demanda. Como qualquer pessoa com o mínimo de pensamento crítico, você já deve estar se questionando porque alguém demandaria um protocolo de computador.


Antes que você se apresse, não custa lembrar: a internet é construída em cima de um pedaço de protocolo, o TCP/IP. E, aparentemente, há uma grande demanda pela rede mundial de computadores na Era da Informação.

Mas voltemos ao Bitcoin. como é de se esperar, após cada Halving do Bitcoin se inicia um ciclo de alta no preço do ativo. Após o primeiro Halving, o BTC se valorizou 9246% frente ao dólar em apenas 13 meses.

Após o segundo Halving, a valorização foi de 2892% contra a moeda norte-americana em 18 meses. Já no terceiro Halving, o ativo acumula alta de 321% em dólar nos últimos 8 meses.
No entanto, a alta do atual ciclo é diferente das duas últimas. Enquanto em 2012 e 2016 a valorização do ativo ocorreu por causa do varejo e dos fiéis do Bitcoin, o terceiro halving inaugurou um novo tipo de HODLer, o investidor institucional.
De maio para cá, os anúncios de bancos de investimento, grandes fundos e investidores carimbados comprando Bitcoin se amontoaram no noticiário especializado.
Dentre os diversos nomes que entesouraram BTC ou anunciaram produtos especificamente voltados ao criptomercado, se destacam: MicroStrategy, Galaxy Digital Holdings, Square Inc., SkyBridge, MassMutual, JPMorgan, Jefferies, Three Arrows, Ruffer Management, PayPal, Facebook e, claro, isso sem incluir o fenômeno do Grayscale Bitcoin Trust (GBTC). Elon Musk (Tesla, SpaceX)
Esta movimentação inédita ocorre porque essas gigantes estão vendo algo que a maioria do mercado ainda não viu: o Bitcoin vem se tornando uma robusta reserva de valor em um mundo onde a moeda fiduciária é cada vez mais subjetiva e desvalorizada.
Comprar Bitcoin, para essas empresas, deixou de ser uma questão ideológica, mas sim uma proteção contra a intensa crise política e monetária que o planeta inteiro passa pelo momento.
É claro, nada dura para sempre. O BTC não permanecerá neste atual ciclo de alta de forma indeterminada.
Assim como nos dois últimos Halvings, o preço do Bitcoin deve encontrar um pico e, então, começar seu período de queda.
Esta certeza é ótima para o ativo, ajuda o mercado a se profissionalizar entre ciclos, atrair novos investidores e continuar sua longa jornada até o ano de 2140.
Ao que tudo indica, ninguém que está lendo este texto hoje estará vivo para observar o dia que o Bitcoin cumprirá o destino de seu algoritmo monetário e se tornará o primeiro ativo da história a ser definitivamente escasso. No entanto, todos nós temos a chance de fazer parte dessa longa jornada cada vez mais inevitável.
Você não precisa acreditar em nada do que está escrito aqui. Tudo o que você precisa fazer é estudar o Bitcoin e verificar se a tese se sustenta por si própria.

O bitcoin nunca foi hackeado e é praticamente impossível que isso aconteça devido à complexidade da sua rede mundial. Criado em 2008 por uma entidade anônima identificada como Satoshi Nakamoto, o bitcoin é baseado em uma plataforma digital de código aberto.


Portanto, programadores de todo o mundo ajudam a auditar e tornar o código seguro e confiável para todos.O que pode acontecer é uma instituição financeira de compra e venda de bitcoins ser hackeada.
Por isso, é importante escolher uma plataforma confiável e que adote protocolos avançados de segurança digital para garantir a integridade dos bitcoins.
Ou seja, são as instituições que podem estar vulneráveis a ataques virtuais, mas não o bitcoin.

Bitcoin não é um golpe financeiro, pirâmide, nem nada do gênero. Na verdade, é a moeda mais democrática e segura porque ela pertence a todos.



É possível comprar ou vender bitcoins a qualquer momento.
Mas é preciso ter cuidado com promessas de grandes retornos financeiros em pouco tempo. Isso, sim, pode ser um golpe.

A moeda digital é para todos. 
Ainda que tenha surgido como um projeto experimental e sido adotada inicialmente por profissionais e entusiastas da ciência da computação, ela evoluiu rapidamente para uma grande rede monetária que pode ser usada por qualquer pessoa.
 “O bitcoin é um ativo importante e, hoje, cerca de 90% do público que possui essa moeda digital é formado por pessoas comuns”, afirma Da Ros.


Ao observar a evolução do bitcoin no longo prazo, é fácil perceber como ele não é tão volátil como pode parecer.
Um dos motivos é a desvalorização do próprio real brasileiro diante do dólar, o que pode influenciar essa percepção. “No longo prazo, a volatilidade é baixa.

Nos últimos meses de 2017, houve um grande pico de valorização da moeda, que chegou a
US$ 20 mil.
Em janeiro de 2018, caiu para US$ 3.500.


Olhando assim, pode parecer extremamente volátil, mas não é.
Se compararmos o valor do bitcoin em janeiro de 2018 com o valor em janeiro de 2017, veremos que houve uma valorização considerável, passando de US$ 1 mil para US$ 3.500”, afirma Da Ros.
Não à toa, a MicroStrategy, maior empresa de business intelligence do mundo, adotou o bitcoin como sua moeda de reserva.

A companhia trocou a moeda fiduciária pela digital e comprou mais de 21 mil unidades em agosto de 2020.
Em nota, a própria empresa chamou a moeda de “ouro digital”.

Hoje à adoção por Bitcoin tem vivido um novo patamar ao comparar com sua primeira alta vivida em 17 de dezembro de 2017 onde sua marca chegou à U$ 20.000 dólares por 1 bitcoin e essa tendência sempre é superar novos patamares pelo fato de novas adoções por grandes instituições e grandes players do mercado como Elon Musk que passou a aceitar bitcoins como forma de pagamento por um carro elétrico em sua empresa Testla, como à PayPal que também passou a aceitar bitcoin, notícia que veio à midia no dia 30 de Março de 2021
Um bitcoin nos dias de hoje na data de 04 de Abril de 2021 possui por enquanto à marca de  U$ 57.300 dólres

A oscilação da cotação do Bitcoin, por sua vez, é muito influenciada pela demanda de oferta e procura, de forma que, quanto maior for a busca pela criptomoeda, maior será o valor cotado para o investimento e o contrário acontece da mesma forma quando a moeda está desvalorizada.


Com a valorização da criptomoeda, suas taxas de transferência também se elevaram.
Ainda assim, não faltam exemplos de itens que podem ser comprados com bitcoin, de carro elétrico a hambúrgueres.


No Brasil, é possível fazer uma tatuagem ou até comprar um imóvel e pagar com a moeda.
Mas o foco do bitcoin é mais parecido com o do ouro: ser uma reserva monetária.

O bitcoin é uma rede descentralizada e, portanto, não pode ser desligada dessa forma.
Um governo poderia até criar leis que proibissem o seu uso, mas isso não afetaria a moeda. Na verdade, governos de todo o mundo estão buscando incluir a criptomoeda em seus sistemas financeiros.

A única coisa que poderia acabar com o bitcoin aqui no Brasil, seria desligar a internet o que seria pouco provável que aconteça, seria uma catástrofe sem precedentes para a infra estrutura, imagine um país sem internet nos dias de hoje.


Uma criptomoeda é um meio de pagamento com característica digital e pode ser usada como dinheiro.

Podendo ser centralizada ou descentralizada que se utiliza da tecnologia de blockchain e da criptografia para assegurar à validade das transações e a criação de novas unidades da moeda.


O Bitcoin, à primeira criptomoeda descentralizada, foi criado em 2009 por um misterioso ser que usou o pseudônimo de Satoshi Nakamoto e desde então, muitas outras criptomoedas foram criadas.
Mais recentemente, tem-se assistido a um fenômeno de explosão de inúmeros tokens que têm sido criados com base no protocolo do Ethereum, principalmente após a onda massiva de Ofertas Iniciais de Moedas (usualmente referida como ICO, do inglês Initial Coin Offering) que teve início em 2017.

Ao contrário de sistemas bancários centralizados, grande parte das criptomoedas usam um sistema de controle descentralizado com base na tecnologia de blockchain, que é um tipo de livro-registro distribuído operado em uma rede ponto-a-ponto (peer-to-peer) de milhares computadores, onde todos possuem uma cópia igual de todo o histórico de transações, impedindo que uma entidade central promova alterações no registro ou no software unilateralmente sem ser excluída da rede.

E vamos abrir um adendo importante aqui!
Assim como qualquer mercado que envolve capital, o mundo das criptomoedas deve ter muita cautela para iniciar um investimento. Existem muitos projetos com criptomoedas, bons mas também muitos projetos criados na onda do "oba oba" por pessoas mas intencionadas visando o objetivo de ganhar dinheiro fácil e não pensam nas consequências que isso pode causar na vida financeira de uma pessoa que está iniciando nesse mercado.      No mundo das criptomoedas é possível criar outras criptomoedas, é claro, tendo conhecimento técnico, mas muitos desses  são projetos sem fundamento e levam muitos iniciantes no mercado, a investir sem ter o cuidado de estudá-los e se iludem com uma alta impulsionada por especulações, por isso estudar o projeto, buscar um especialista ou pagar um curso com foco  para que não se envolva em uma roubada é muito válido você estará investindo em conhecimento e esse ninguém tira de você.

Com criptomoedas, você pode usar para pagar a amigos, comprar aquele novo par de meias que você está planejando ou reservar voos, ️ hotéis para as suas próximas férias, para isso existem plataformas conhecidas como exchanges, são verdadeiros câmbios e onde você troca criptomoedas por moeda fiduciária, por enquanto pois esse processo será extinto com o tempo e o que conhece por moeda fiduciária, não mais existirá dando lugar definitivo às criptomoedas e o mundocaminha para esse dia.
Como à criptomoeda é digital, ela também pode ser enviada para amigos e familiares em qualquer lugar do mundo.
Assim como PayPal ou transferência bancária.
Bem, na verdade não, Criptomoedas são muito mais interessantes!

Já abrindo um adendo, à PayPal já está aceitando criptomoedas como Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum e Litcoin, à notícia veio às mídias na  terça-feira (30) de Março de 2021
Fonte: Olhar Digital
Você vê, os gateways de pagamento online tradicionais são propriedade de organizações, eles guardam seu dinheiro para você, e você precisa pedir a eles que o transfiram em seu nome quando quiser gastá-lo certo?
Com criptomoedas, não existe uma organização, um intermediário, você, seus amigos e milhares de outras pessoas podem atuar como seus próprios bancos executando software livre.

Seu computador se conecta a computadores de outras pessoas, o que significa que você se comunica diretamente, sem a necessidade de intermediários!

Para usar criptomoeda, você não precisa se inscrever em um site com um endereço de e-mail e senha. Você pode baixar uma grande variedade de aplicativos em seu smartphone para começar a enviar e receber criptomoedas em minutos.

Por que eles chamam de criptomoeda?
O nome criptomoeda é uma combinação (acrônimo) de criptografia e moeda . Com a criptografia, usamos matemática avançada para proteger nossos fundos, garantindo que ninguém mais possa gastá-los.

MERCADO BITCOIN


1ª – Mercado Bitcoin


 

Considerada a maior corretora de criptos. Assim o Mercado Bitcoin já alcançou 1 milhão de clientes no Brasil. Além disso, permanece em primeiro lugar no resultado de buscas do Google com o termo Bitcoin.

 

Vantagens:

 

  • Primeira corretora de bitcoins no país, operando desde 2011
  • Plataforma amigável e simples de operar, de fácil navegação tanto para iniciantes quanto para experientes
  • Atendimento diretor, inclusive nos finais de semana
  • Altos investimentos em segurança e criptografia de dados
  • Depósitos por meio de TED, DOC ou transferência bancária

 

Desvantagens:

 

  • É a exchange com as taxas de negociação mais altas em comparação com as demais

 

 

Por fim, para acessar o site da exchange de Bitcoin clique https://www.mercadobitcoin.com.br/

 


NOVADAX



2ª – NovaDAX – melhor escolha

 

Vantagens:

 

  • A exchange brasileira com maior portfólio do país. Cerca de 50 pares disponíveis na plataforma, na qual é possível fazer compra e venda instantânea, utilizar livro de ofertas com BRL e combinações cripto-cripto.
  • Moedas exclusivas com par em real no Brasil e algumas na América do Sul como: Cardano (ADA), Chainlink (LINK), Nuls, IOTA, Tron (TRX), BitTorrent (BTT).
  • API de negociação com pacote SDK em duas linguagens (Java e Python) que otimiza em até 80% o tempo de integração 
  • Aplicativo para IOS e Android completos com todas as funcionalidades disponíveis na plataforma web, incluindo gráficos.
  • OTC para BTC, ETH, USDT e altcoins – mais informações 
  • Função stop-limit completa: a única no Brasil a oferer stop-loss e stop-profit juntos
  • Programa de relacionamento – Novawards: usuários são bonificados com pontos a medida que transacionam (R$ 1 = 1 ponto) e tem desconto progressivos nas taxas, podendo chegar a 0,07% saiba mais
  • Alta liquidez devido a rede internacional – A NovaDAX faz parte de um grupo de tecnologia asiático.

 

  •  Depósito  por transferência bancária (TED e DOC) e agora método PIX, segue mais abaixo, procedimentos para compra utilizando o sistema PIX 

 

Diferenciais:

 

  • 16 moedas na plataforma e todas fazem par com BRL, BTC, USDT e algumas com ETH.
  • Suporte em chat online com time de atendimento humano no horário comercial e atendimento em horário estendido nos outros canais pelo time internacional. 
  • Campanhas Negocie & Ganhe, Competições de Trading e airdrops: listagem de novas criptomoedas de forma mensal na plataforma nas quais os usuários podem ganhar bônus das novas moedas, participar de competições de trading com prêmios bem atrativos. 
  • Indicação de amigos: a cada novo amigo indicado que depositar ao longo do primeiro mês o valor de R$ 100 acumulado, ganha R$ 10 de volta 

 

Quer saber se a Nova Dax negocia agora com o melhor preço do mercado? Baixe o aplicativo Universo Cripto.

 

Website: https://novadax.page.link/PJ92JPsrmqAif4Aw9 


O QUE É O PIX E COMO DEPOSITAR VIA PIX NA NOVADAX

O Pix é o novo sistema de pagamentos do Banco Central. Em comparação com TED e DOC, o Pix é, além de mais rápido, também gratuito.

Este meio de pagamento foi lançado em Novembro deste ano. Como uma empresa que valoriza muito a inovação, a NovaDAX agora aceita depósito por Pix através do Brasil Plural.

Você já experimentou fazer uma transferência via Pix? Se ainda não, preparamos este artigo para você conhecer melhor o que ele é e como você pode depositar via Pix na NovaDAX.

O que é o Pix?

Segundo o Banco Central, “o Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro.”

Quais as caraterísticas do Pix?

1. Rápido: As transações podem ser concluídas em poucos segundos.

2. Disponível: O Pix funciona 24 horas por dia e 7 dias por semana incluindo os feriados.

3. Fácil: Os usuários podem fazer transferências através da leitura de um código QR ou uma chave escolhida dentre CPF, e-mail, celular ou ainda um código aleatório.

4. Barato: É gratuito para pessoa física e os custos são baixos para empresas.

5. Seguro: O Pix foi criado com robustez de mecanismos e medidas para garantir a segurança das transações.

6. Aberto: O Pix tem uma estrutura ampla de participação, possibilitando pagamentos entre instituições distintas.

7. Versátil: O Pix é um instrumento multiproposta, que pode ser usado para pagamentos independente de tipo e valor da transação, entre pessoas, empresas e governo.

Como fazer depósito Pix para NovaDAX?

Para depositar via Pix para a NovaDAX, você deve criar uma ordem de depósito na nossa plataforma. Você vai encontrar um código QR e CNPJ ao criar a ordem, depois deve ler o código ou usar o CNPJ e completar o depósito no App do seu banco.

A ordem de PiX via Brasil Plural é automaticamente aprovada, geralmente, em 30 minutos após o tempo de compensação bancária, sem limitações de horários.

Fique atento ao escolher o banco para criar a ordem de depósito na nossa plataforma. O banco deve ser o mesmo para qual a transferência via Pix foi destinada.

Finalmente, para aprovação automática, certifique-se que o banco escolhido foi o Brasil Plural. Caso realize o Pix para o banco Itaú, o tempo de aprovação seguirá o mesmo de TED e DOC: 3 horas úteis, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.

Confira mais detalhes: https://novadax.zendesk.com/hc/pt-br/articles/360060385853-Como-depositar-por-PIX-?isApp=false

Link cadastro para abertura de conta NovaDax

https://novadax.info/6awEmZcw4ugBfdsU9

FOXBIT


3ª – Foxbit

 

Na sexta posição está a Foxbit. Apesar de não ser uma plataforma de negociação, ela serve para intermediar a compra e venda de BTC’s. Além disso, detém 43% desse mercado no Brasil. Então veja suas vantagens e desvantagens.

 

Vantagens:

 

  • Além de aceitar transferência, TED e DOC, pode ser depositado fundos por meio de cartão de crédito
  • O armazenamento dos Bitcoins é feito em carteira fria na proporção de 95%
  • Possui Central de Ajuda aos seus usuários e atendimento por e-mail, chat e telefone em horário comercial
  • Possui as menores taxas em relação aos seus concorrentes
  • É a PME que mais cresceu em 2019, sendo destaque na revista EXAME

 

Desvantagens:

 

  • Seu sistema de segurança apresentou falhas em 2018, ocasionando algumas perdas
  • Reclamações por falha de suporte

 

Por fim, para acessar clique: https://foxbit.com.br/

 

Quer saber se a Foxbit negocia agora com o melhor preço do mercado? Acesse o site valorbitcoin.net.

BITCOINTRADE


4ª – BitcoinTrade

 

Já a Bitcointrade ocupa a segunda posição entre as melhores exchanges de Bitcoin. Fundada no final de 2017, é uma das mais populares e confiáveis no mercado de criptomoedas. 

 

Vantagens:

 

  • Interface agradável e prática. Assim facilita o manuseio
  • A única com certificado PCI/DSS Compliant. Então dá mais segurança para as operações
  • Também negocia outras criptomoedas: Bitcoin Cash (BCH), Litecoin (LTC) e Ethereum (ETH) e em breve Ripple (XRP)
  • Sem taxa de depósito
  • Atendimento rápido e eficiente. Assim passa confiança para o usuário
  • Possui API para desenvolvedores
  • Tempo de saque relativamente rápido. Então passa segurança ao investidor

 

Contras:

 

  • Taxas poderiam melhorar
  • Volume mediano

 

Diferenciais:

 

  • Possui aplicativo oficial para celular (iOS e Android). Assim facilita o acesso rápido
  • Aceita depósito via cartão de crédito.

 

Website: https://www.bitcointrade.com.br

 

Quer saber se a Bitcoin Trade negocia agora com o melhor preço do mercado? Acesse o site valorbitcoin.net.

BITCÂMBIO


5ª – BitCambio

 

Na quarta posição, a BitCambio opera no mercado de BTC desde 2014. Então, recentemente fez parceria com a plataforma Blinktrade. 

 

Vantagens:

 

  • Plataforma intuitiva de operar. Então se você é iniciante é uma boa opção
  • Taxas competitivas
  • Além disso há Interface para traders iniciantes e avançados
  • Plataforma fornecida pela BlinkTrade (antiga plataforma Foxbit)
  • Atendimento ágil
  • Possui mesa de balcão OTC (Brasil e Argentina)
  • Possui API

 

Desvantagens:

 

  • Ainda não possui outras criptomoedas (altcoins). Assim limita as opções para o usuário

 

Diferenciais:

 

  • Pré-aprovação de depósito. Então mesmo sem ter o depósito de Bitcoin ainda confirmado pela rede, você pode pré-aprovar um depósito de até 3 vezes o saldo total da sua conta.
  • Por fim, a Taxa de 0% para ordem passiva + redução de taxas para ordem ativa à medida que você negocia.

 

Website: https://bitcambio.com.br

BRAZILIEX


6ª – Braziliex

 

Em operação no mercado de criptos desde 2017. Logo a Braziliex é bastante conhecida. Além disso pode negociar Bitcoins e outras criptos. Então vej alguns dados sobre a Braziliex.

 

Vantagens:

 

  • Aceita pagamento em reais não só para Bitcoins, mas para diversas altcoins. Então facilita as transações.
  • Possibilidade fazer pares de BTC com outras altcoins
  • Plataforma de fácil cadastramento e excelente usabilidade
  • Possui função de barganha com o “Stop Limit”
  • Taxa de negociação de 0,50%

 

Desvantagens:

 

  • Depósitos apenas por transferência bancária

 

Por fim, para acessar clique: https://braziliex.com

Cadastre-se na Exchange

https://braziliex.com/?ref=72F7A021B6FCDE7BDDFA51C28DCEFEDB 

BINANCE


8ª – Binance

 

Binance, que é uma das principais corretoras do mundo e vem ganhando destaque dia após dia.

Tudo começou em julho de 2017, quando Changpeng Zhao e Yi He fundaram a Binance em Hong Kong, na China.

Desde a sua criação a startup teve diversos problemas com as restrições legais do maior país da Ásia Oriental, haviam limitações extremas , o que dificultava o crescimento e o progresso da empresa.  

Em setembro de 2017, Zhao e companhia tomaram a melhor decisão possível: deixar a china e transferir seus servidores para o Japão.

Em uma entrevista dada durante uma conferência em Singapura, Zhao pontuou: ” todas as limitações que passamos na China me motivaram em buscar um mercado melhor, migramos para Tóquio, longe dos reguladores chineses e mercadores concorrentes fortes." 

Penso que esse foi um grande passo para a Binance, expandimos nossa empresa em todos mercados fora da jurisdição da China.

Vale recordar que no mês de setembro de 2017 a China proibia realizações de ICOs, como foi noticiado no Btcsoul, o Banco Popular da China emitiu uma ordem proibindo a realização de ofertas iniciais de moedas (ICO) no país.

O que é a Binance?

A Binance é uma das principais e maiores corretoras do mundo das criptos, ela oferece serviços de negociações, listagem, captação de recursos e muito mais. 

Após um ano de sua criação, a Exchange conquistou sucesso absoluto no mercado e se tornou referência quando o assunto é corretoras.

Todo esse sucesso não é à toa, a Binance oferece aos seus usuários um alto poder de processamento sua capacidade de processar, supera 1,4 milhão de pedidos por segundo. 

 Além disso, possui um catálogo vasto, suporta negociações de diversas criptomoedas, entre elas as principais, como Bitcoin, Ethereum, Litecoin, etc.


O fator segurança na Binance

Outro fator que deixou a corretora cair nas graças do povo é a segurança que a mesma passa, – algo determinante e de extrema importância para todos os indivíduos que desejam negociar, a Binance possui uma das melhores estruturas de segurança no mercado de criptomoedas, com arquitetura multicamadas e com vários “clusters” (Cluster é um conjunto de computadores interconectados que funcionam como se fosse um só grande sistema).

Vale destacar que a Exchange Binance é uma corretora para criptomoedas, em outras palavras, é uma corretora que negocia exclusivamente criptomoedas, caso o indivíduo deseje usufruir da plataforma precisará de alguma moeda digital.

A Exchange foi criada com intuito de ser segura, possuir  alcance global e ser descentralizada. Pode-se dizer que conseguiram esse feito.

Criando uma conta Binance

Antes de saber como ela funciona é importante saber como abrir uma conta, algumas pessoas possuem dificuldade para fazer, mas é algo bem simples.

  • Registrar: o primeiro passo é fácil, basta entrar na página inicial da Binance e clicar em registrar, após isso você será redirecionado para a página de registro, onde precisará inserir o endereço de e-mail e criar uma senha.
  • Termos: feito isso, leia todos os termos de uso Binance com atenção e clique em registrar.
  • Você é um robô? Agora, uma das partes mais chatas, provar que você não é um robô, para isso é só completar um quebra-cabeça  que um e-mail será enviado para o seu endereço, após isso basta verificar para concluir o cadastro.

Como a Binance funciona?

Ao entrar no site oficial da Binance os usuários terão duas opções de negociação de criptomoedas:

  • Versão básica:  que é feita para realizar operações mais simples
  • Versão avançada:  para pessoas mais experientes

Na teoria, a versão básica possui um layout mais simples e fácil de entender e apenas informações importantes para fazer negociações são exibidas. 

Contudo, na prática é bem difícil uma pessoa iniciante usar, então, pesquise e leia muito antes de fazer qualquer negociação.

Já a versão avançada fornece diversas informações, gráficos de preços,  análises técnicas, dados de mercado, tudo o que uma pessoa experiente precisa para fazer negociações complexas e como o nome já fala, avançadas.

Utilizando a Binance para negócios básicos

Nesse artigo vamos falar apenas de como utilizar a Binance para negócios básicos, visto que o avançado é muito complexo.

  • O primeiro passo é fazer o login da sua conta que acabamos de explicar como se faz, está no canto superior direito “entrar ou registrar”. Feito isso, é só clicar em Exchange, “Básico” no canto superior esquerdo.  
  • A primeira imagem é um pouco espantosa, diversas informações, muitos números, cores e gráficos, mas se acalme, leia com atenção, sem pressa e vamos para o próximo passo.
  • Escolhendo um par de negociação. A Binance conta com inúmeros pares de negociação, isto é, com inúmeras opções de negociação de determinada moeda contra outra – para ilustrar melhor, apenas para o Bitcoin, esse número é de mais de 140, enquanto outras moedas possuem números diferentes.
  • Negociando com Ethereum. Vamos pegar o Ethereum como exemplo nessa “negociação”. 
  • Vamos selecionar o ETH no canto superior direito, está entre o BTC e o BNB, após selecionar você poderá observar que tem como negociar Ethereum com 140 diferentes pares de negociação. Agora, basta selecionar a criptomoeda que você deseja trocar. Nesse exemplo vamos escolher o Ripple (XRP)
  • Escolhendo o tipo de comércio. Na corretora Binance o usuário pode escolher entre 3 tipos diferentes de comércio, eles são:

1. Limit Orders: essas ordens permitem que os indivíduos definam um preço máximo que desejam pagar por criptomoedas ou o valor mínimo pelo qual estão dispostos a vender. Os comerciantes precisam esperar até que um comprador ou vendedor resolva aceitar o seu preço.

2.  Market Orders: nesse caso, os usuários negociam as criptomoedas no preço atual de mercado, esse tipo de comércio, geralmente, é mais rápido e fácil.

3. Stop-limit orders: os negociadores podem comprar ou vender uma criptomoeda quando ela atinge um determinado preço. Esse método de comércio é usado normalmente, por profissionais.

  • Escolhendo o valor de negociação:  agora, chegou o momento de escolher o valor para negociar, é recomendado nesse começo, escolher um valor baixo, para não perder dinheiro, pelo menos no começo até o indivíduo entender melhor como funciona a Binance e o mercado no geral.

Dito isso, vamos seguindo. Clique em Market (que é o tipo de comércio mais fácil) analise o preço e se estiver satisfeito insira a quantia de sua criptomoeda escolhida. Você pode inserir isso como um valor ou uma porcentagem do Ethereum em sua conta. Pronto, é só clicar em “comprar” que está feito.

Ganhe até 40% de comissão sempre que seus amigos fizerem trades na Binance.

https://www.binance.com/pt-BR/register?ref=IF03ZIBZ

COINEX


7ª – Coinext

 

Com o slogan: “A Exchange mais avançada do Brasil”, a Coinext negocia tanto Bitcoins quanto algumas outras altcoins. Então veja algumas vantagens e desvantagens.

 

Vantagens:

 

  • Site totalmente seguro contra ataque de hackers
  • Autenticação em duas etapas
  • Além disso, a plataforma tem alto desempenho, não apresenta instabilidades
  • Taxas de transações entre 0,25% e 0,50%
  • Possui recursos de stop-loss, trailing stop e fill or kill

 

Desvantagens:

 

  • Relativamente nova mercado, operando desde 2018. Assim, não agrada a alguns investidores

 

Por fim, para acessar clique: https://coinext.com.br

  1. Ganharão R$10 de bônus ao fazer um depósito de R$50 ou mais. O depósito poderá ser feito em Reais ou criptomoedas;
  2. Receba mensalmente a comissão sobre as taxas de negociação geradas por seus indicados;

https://coinext.com.br/index.html?aff=6206

BLOCKCHAIN



O que é o blockchain?
A tecnologia Blockchain nada mais é do que um livro razão público (ou livro contábil) que faz o registro de uma transação de moeda virtual (a mais popular delas é o Bitcoin), de forma que esse registro seja confiável e imutável.
Ou seja, o blockchain registra informações como: a quantia de bitcoins (ou outras moedas) transacionadas, quem enviou, quem recebeu, quando essa transação foi feita e em qual lugar do livro ela está registrada. Isso mostra que a transparência é um dos principais predicados do blockchain.

Como armazena os dados?

Ele armazena essas informações, esse conjunto de transações, em blocos carimbando cada bloco com um registro de tempo e data. A cada período de tempo (10 minutos no blockchain), é formado um novo bloco de transações, que se liga ao bloco anterior.

Como é formada a rede?
Os blocos são dependentes um dos outros e formam uma cadeia de blocos (por isso o nome: Blockchain). Isso torna a tecnologia perfeita para registro de informações que necessitam de confiança, como no caso de uma transação de bitcoin e outras criptos.
A rede do blockchain é formada por mineradores que verificam e registram as transações no bloco.
Para que isso seja possível, os mineradores emprestam poder computacional para a rede. Como incentivo para continuarem colaborando e tornar a rede sustentável e mais segura , eles recebem uma recompensa em moedas digitais.

Como a transação é validada?
O minerador só pode adicionar uma transação no bloco se a maioria simples (50%+1) da rede concordar que aquela transação é legítima e correta. O nome disso é o consenso da rede blockchain. No caso do Bitcoin, o consenso é medido através de poder computacional.
Duas cadeias de blocos podem ser formadas ao mesmo tempo, o impasse será resolvido quando a rede precisar escolher uma das cadeias. No final, ganha a cadeia que tiver a maior quantidade de trabalho.
Resumindo, a tecnologia blockchain é um livro contábil público e distribuído que registra todas as transações de moeda virtual em uma cadeia de blocos, que qualquer um pode participar.
As informações registradas nele são confiáveis, imutáveis e transparentes desde que a maioria da rede se mantenha honesta.

Versão 1.0 Blockchain


Versão 1.0 Blockchain
Blockchain 1.0 

É uma plataforma de computação pública de código aberto popular e o sistema operacional é conhecido como Ethereum e é baseado no uso de tokens que podem ser comprados, vendidos ou trocados. As perguntas de Ethereum foram escritas em uma das sete línguas completas de Turing.
Muitas aplicações foram propostas para a plataforma Ethereum, incluindo aquelas que não são possíveis. As propostas de casos de uso incluíam financiamento, Internet das coisas, produtos agrícolas, eletricidade, preços e apostas esportivas. Ethereum é (desde 2017) a principal plataforma de blockchain para projetos de moeda com uma participação de mercado de mais de 50%.
Em janeiro de 2018, havia mais de 300 DApps, dos quais centenas estão em desenvolvimento.
Por meio da antítese, Ethereum substitui a linguagem bitcoin mais limitada (uma linguagem de script de cerca de 100 scripts) e a transforma em uma linguagem que permite aos programadores escreverem seus próprios programas.
Ethereum garante que os desenvolvedores programem seus contratos inteligentes ou “agentes autônomos”, conforme definido no white paper Ethereum. A linguagem é “Turing-complete”, o que significa que suporta um grande conjunto de instruções de cálculo.

Versão 2.0 Blockchain


Versão 2.0 Blockchain
Blockchain 2.0

É uma plataforma de computação pública de código aberto popular e o sistema operacional é conhecido como Ethereum e é baseado no uso de tokens que podem ser comprados, vendidos ou trocados. As perguntas de Ethereum foram escritas em uma das sete línguas completas de Turing.
Muitas aplicações foram propostas para a plataforma Ethereum, incluindo aquelas que não são possíveis. As propostas de casos de uso incluíam financiamento, Internet das coisas, produtos agrícolas, eletricidade, preços e apostas esportivas. Ethereum é (desde 2017) a principal plataforma de blockchain para projetos de moeda com uma participação de mercado de mais de 50%.
Em janeiro de 2018, havia mais de 300 DApps, dos quais centenas estão em desenvolvimento.
Por meio da antítese, Ethereum substitui a linguagem bitcoin mais limitada (uma linguagem de script de cerca de 100 scripts) e a transforma em uma linguagem que permite aos programadores escreverem seus próprios programas.
Ethereum garante que os desenvolvedores programem seus contratos inteligentes ou “agentes autônomos”, conforme definido no white paper Ethereum. A linguagem é “Turing-complete”, o que significa que suporta um grande conjunto de instruções de cálculo.

Versão 3.0 Blockchain


Versão 3.0 Blockchain
Blockchain 3.0

Blockchains estão mudando com novos protocolos de teste que parecem mudar um sistema conhecido. A última encarnação é chamada de “Blockchain 3.0”

Uma nova empresa chamada COTI projetou um novo bloco sem blocos e minas, eles dizem que resolve o problema da criptomoeda e o retarda. Toda a criptografia foi introduzida para tornar os pagamentos mais baratos, rápidos, seguros e fáceis. Eles provavelmente fizeram tudo, mas não fizeram.

O tempo e o dinheiro exigidos pelos mineiros para executar transações significam que as transações de bitcoin em TPS 3 a 5 (transações por segundo) e Ethereum podem ser ligeiramente melhores para 15 TPS. Este é um problema claro se esperamos que milhões de criptomoedas sejam usadas para compras diárias. Sem falar no pesadelo de lançar a carteira e codificar o consumo de energia.
Blockchain 3.0 é a versão atualizada do Blockchain 2.0, projetada para aumentar as capacidades tecnológicas e resolver problemas existentes, permitindo transações mais rápidas, baratas e eficientes. Uma das coisas que torna o blockchain 3.0 incomum e prático em comparação com o Acyclic Graph (DAG).
Em primeiro lugar, entendemos a lógica da estrutura de dados, DAG. Como o nome sugere, as informações na rede baseada em DAG são extremamente fluidas. Isso significa que as informações não podem ser devolvidas ao remetente. A informação flui apenas em uma direção. Isso garante que os nós não sejam vinculados aos anteriores. Essa estrutura remove o tempo de bloqueio de 10 minutos para bitcoins e 20 segundos para Ethereum, de forma que as transações possam ser processadas quase em tempo real. A rede usa IoT DAG (ITC) e processa 10.000 transações por segundo, o que é muito mais do que um visto.

Uma promissora rede de Blockhain 3.0 tem se destacado e promete até mesmo ser o novo sistema econômico que irá substituir o sistema econômico atual, é a rede Cardano que detém sua criptomoeda com acrônimo ADA, já listada em muitas Exchanges (plataformas de câmbio de criptomoedas) como à Binance, uma das maores Exchanges de criptomoedas do mundo, à NovaDax, Exchange Brasileira, recentemente listada na Conbase, a Exchange pioneira no mercado de Criptomoedas que recentemente anuncia à abertura de um IPO, evento que tem data marcada para o dia 14 de abril. 
Ao contrário de muitos outros blockchains, à Cardano não depende de fundamentos técnicos retirados do Bitcoin ou de outros sistemas de criptomoeda.

Em vez disso, a IOHK, uma das empresas responsáveis pelo desenvolvimento do "Ecossistema Cardano" trabalha com acadêmicos, PHDs em matemática, líderes mundiais em pesquisa fundamental, a maioria das quais está sujeita à revisão acadêmica por pares , com trabalhos apresentados em conferências internacionais de alto nível.
O trabalho em todos os principais componentes e áreas funcionais começa com essa pesquisa para determinar o que é possível e qual é a melhor maneira de realizá-lo.

DEFI


O que significa a sigla Defi? Qual seu papel e importância no mercado financeiro?

4 min de leitura

NFT


NFT entenda o que é esse fenômeno e para que serve

2 min de leitura

TOP NO RADAR


smart contracts


SMART CONTRACTS

2 min de leitura

A 4º REVOLUÇÃO INDUSTRIAL


Indústria 4.0 – Tudo que você precisa saber sobre a Quarta Revolução Industrial.

Quarta Revolução Industrial ou Industria 4.0 é um conceito criado por Klaus Schwab para contextualizar as mudanças tecnológicas que estão impactando a indústria como um todo. Schwab escreveu um livro em 2016 chamado “A Quarta Revolução Industrial” onde ele detalha os impactos da inteligência artificial (IA), internet das coisas (IoT), Big Data entre outras no mundo de hoje.

  1. A Quarta Revolução Industrial (Indústria 4.0)
A Quarta Revolução Industrial ou Industria 4.0 é uma palavra da moda. Mas afinal o que é isso? Conhecemos 3 revoluções industriais. Três transformações radicais na forma de produzir produtos e organizar as tarefas do trabalho.


A Quarta Revolução Industrial ou Industria 4.0 é uma palavra da moda. Mas afinal o que é isso? Conhecemos 3 revoluções industriais. Três transformações radicais na forma de produzir produtos e organizar as tarefas do trabalho.
Você já parou para pensar o que está acontecendo com o mundo? A Quarta revolução industrial impactará nossas vidas completamente. O modo como nos comunicamos, como produzimos, como usamos produtos e etc.
A indústria 4.0 irá mudar curso de nossas vidas, afinal cada elemento que faz parte do nosso dia a dia será interligado um com o outro, formando assim um grande ecossistema orientado à dados.
Dividi este artigo em 4 partes que irão nos guiar através dos principais conceitos sobre a quarta revolução industrial:

  1. A Primeira, Segunda e Terceira Revolução Industrial
  2. O que é a Quarta Revolução Industrial ou Indústria 4.0
  3. Impacto da Quarta Revolução Industrial
  4. A Quarta Revolução Industrial no Brasil
1 – A Primeira, Segunda e Terceira Revoluções Industriais
A primeira revolução industrial foi a da máquina a vapor.
A segunda revolução industrial foi a eletricidade.
A terceira revolução industrial foi a do computador.
A terceira revolução industrial alavancou a robótica, a comunicação via satélite e principalmente nos trouxe a internet.
Porém hoje estamos presenciando uma nova revolução, a revolução digital, também conhecida como quarta revolução industrial ou até mesmo como indústria 4.0.

Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial é uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados , Big Data, Mineração de dados, AI (Inteligência Artificial e utiliza conceitos de Sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas, um novo conceito financeiro baseado em tecnologias desruptivas segurança e criptografia e Computação em Nuvem. 
O foco da Quarta Revolução Industrial é a melhoria da eficiência e produtividade dos processos.

Para entender o conceito de quarta revolução industrial precisamos entender como chegamos até aqui.
Para isto é necessário que passar pelas 3 revoluções que antecedem esta atual.
Segue abaixo um resumo das três primeiras revoluções industriais:

  1. O que foi a primeira revolução industrial
  2. O que foi a segunda revolução industrial
  3. O que foi a terceira revolução industrial
O que foi a Primeira Revolução Industrial?
Após um longo período de atividades de fabricação rural, a primeira revolução iniciou no final do século XVIII e foi até o início do século XIX. A primeira revolução industrial foi a responsável pelo surgimento da mecanização, um processo que substituiu as atividades da agricultura pela indústria como os fundamentos da estrutura econômica da sociedade.
A extração em massa do carvão, juntamente com a invenção do motor a vapor, criou um novo tipo de energia que impulsionou todos os processos graças ao desenvolvimento das ferrovias e à aceleração das trocas econômicas, humanas e materiais.

Outras grandes invenções, como o forjamento e o conhecimento na modelagem de metais, incentivaram e deram suporte à criação das primeiras fábricas e cidades como as conhecemos hoje.
Saiba mais detalhe sobre a 1ª Revolução Industrial
O que foi a Segunda Revolução Industrial?
Quase um século depois, no final do século XIX, novos avanços tecnológicos deram início ao surgimento a novas fontes de energia: eletricidade, gás e petróleo.

Como resultado, o desenvolvimento do motor de combustão começou a usar esses novos recursos em todo o seu potencial. Além disso, a indústria siderúrgica começou a se desenvolver e crescer junto com as demandas exponenciais de aço.
Síntese química também desenvolvida para nos trazer tecidos sintéticos, corantes e fertilizantes.
Os métodos de comunicação também foram revolucionados com a invenção do telégrafo e do telefone, assim como os métodos de transporte com o surgimento do automóvel e do avião no início do século XX.
Todas essas invenções foram possíveis graças à centralização da pesquisa e do capital estruturado em torno de um modelo econômico e industrial baseado em novas “grandes fábricas” e nos modelos organizacionais de produção, como previsto por Taylor e Ford.

Saiba mais detalhe sobre a 2ª Revolução Industrial
O que foi a Terceira Revolução Industrial?
A terceira revolução industrial fez com que as empresas dessem um grande salto.
Quase um século depois, na segunda metade do século XX, surgiu uma terceira revolução industrial com o surgimento de um novo tipo de energia cujo potencial superava seus antecessores: a energia nuclear.
Essa revolução testemunhou a ascensão da eletrônica – com o transistor e o microprocessador -, mas também a ascensão das telecomunicações e dos computadores.

Essa nova tecnologia levou à produção de material miniaturizado que abriria portas, principalmente para pesquisa espacial e biotecnologia.
Para a indústria, essa revolução deu origem à era da automação de alto nível na produção graças a duas grandes invenções: autômatos – controladores lógicos programáveis (PLCs) – e robôs.
Saiba mais detalhe sobre a 3ª Revolução Industrial

2 – O Que é a Quarta Revolução Industrial (Indústria 4.0)

Este nome foi dado pelo governo alemão para seu programa de desenvolvimento de fábricas inteligentes, as quais são baseadas na computação, automação e conexão entre todo seu maquinário.
A Indústria 4.0 era originalmente o nome de um projeto do Governo Federal para promover a digitalização na manufatura.
Desde então, ela foi aceita como um termo geral para produção digitalizada em rede: máquinas e produtos são vistos como componentes em rede e inteligentes que podem trocar dados localmente, globalmente e entre empresas.
A ideia é conseguir transparência e flexibilidade sem precedentes.

Que desafios existem no caminho para a Indústria 4.0?
A Indústria 4.0 envolve desafios técnicos, organizacionais, legais e sociais que frequentemente interagem uns com os outros.
O objetivo é tornar as máquinas mais inteligentes, mas quanto deve uma máquina ou um serviço decidir por si? Que papel os humanos desempenham aqui?
Qual é a base informativa sobre a qual as decisões são tomadas? E quem é responsável em caso de falhas ou danos?
Para muitas pequenas e médias empresas, é um desafio reunir os recursos e as habilidades necessárias em tecnologia da informação e comunicação.
No geral, há falta de profissionais qualificados.

Uma indústria que segue o conceito proposto pela indústria 4.0 é também chamada de indústria inteligente.
O conceito de 4ª revolução industrial ou industria 4.0 propõe unir os sistemas digitais, físicos e biológicos em um só sistema.
Klaus Schwab autor do livro “Fourth Industrial Revolution” em tradução livre “Quarta Revolução Industrial”, disse:
Uma das características da Quarta Revolução Industrial não é mudar o modo que estamos fazendo as coisas, mas nos mudar.

Características da 4ª revolução industrial
Dados são "o novo petróleo"
Se você ainda não ouviu o termo “Os dados são o novo petróleo da era digital” com todo certeza você irá ouvir.

Cada era teve seu recurso primordial, como o carvão e a eletricidade.
Porém, hoje em dia esse objeto é um pouco menos tangível.
Conhecimento é a mercadoria de maior valor para a quarta revolução industrial, pois ele permite aproveitar melhor os recursos disponíveis e produzir com mais qualidade em menos tempo.
Máquinas que aprendem sozinhas (Machine Learning)
Junto com a informação, também vem o aprendizado das inteligências artificiais.
Graças ao grande acervo de ferramentas de dados, como o Big Data, a Nuvem e a Internet das Coisas, as máquinas já podem encontrar novos padrões de atuação, fazer testes e se tornarem mais inteligentes.

Esse processo no qual as máquinas conseguem aprender a realizar determinada tarefa sozinha chama-se machine learning.
Interação entre Equipamentos (Machine To Machine)
IoT são equipamento conectados à internet que interagem entre si e se integram.
Com isso é possível conectar máquinas, produtos, sistemas e pessoas.
Já existe um termo especifico para o IoT na indústria. Este termo é chamado de iIoT, ou Industrial Internet of Things.

A Bosch Rexroth possui um sistema de acionamento e controle que movimenta máquinas e equipamentos capazes de realizar tarefas especificas via radio frequência, assim as estações de trabalho sabem que passos devem ser realizados a cada momento.
Ou seja, as máquinas e equipamentos conversam entre si e realizam praticamente todo o processo de produção sem contato humano.
Até sem iluminação também, o que faz uma redução de custo absurda para a empresa.
Tudo pode ser comandado por sistemas que conectam a produção de uma fábrica na outra em diversos lugares do mundo.
Para que isso se torna-se realidade foi criado a comunicação entre máquinas (M2M ou Machine To Machine) que entre diversas tecnologias está:

  • Robótica
  • Impressoras 3D
  • Computação na Nuvem
  • etc
Os 9 Pilares da 4ª revolução industrial

Muitas empresas já podem ter implementado algumas das tecnologias que formam o Industry 4.0, mas estão apenas usando-as isoladamente, e não em sistemas autônomos interconectados, onde as tecnologias podem cooperar e se comunicar livremente entre si.
Para se manter competitivo no Industria 4.0, é importante ter uma boa compreensão desses nove avanços tecnológicos e começar a avaliar como eles afetarão o setor em que você está e quais benefícios você poderá obter se começar a implementá-los em sua organização.

  1. Realidade Aumentada
  2. Big Data
  3. Robôs Autônomos
  4. Simulações
  5. Manufatura Aditiva
  6. Sistemas Integrados
  7. Computação na Nuvem
  8. Internet das Coisas (IoT)
  9. Segurança da Informação
1 – Realidade Aumentada
A realidade aumentada vai desempenhar um papel importante na indústria 4.0, porque pode nos ajudar a fornecer informações visuais em tempo real para a pessoa certa, no lugar certo e no momento certo.
As soluções de realidade aumentada podem ser usadas com dispositivos portáteis, como celulares e tablets, ou integrados em produtos como óculos ou capacetes.
Essas tecnologias proporcionarão mais flexibilidade, adaptabilidade, melhoria e competitividade do fator humano e melhoria contínua.
Isso também levará à redução dos defeitos introduzidos durante o serviço e manutenção e ao tempo gasto no treinamento de novos funcionários.

2 – Big Data
Big data tem sido um termo popular, que você pode ter encontrado durante os últimos dois anos. As empresas começaram a coletar e analisar grandes conjuntos de dados com a intenção de otimizar a qualidade da produção, economizar energia, reduzir custos de produção, etc.
Com o crescente número de sensores integrados em instalações de fabricação, máquinas e produtos, poderemos aumentar a quantidade também como a qualidade dos dados que coletamos.
Com a análise de big data, poderemos extrair informações valiosas de um grande conjunto de dados e obter melhor qualidade de serviço e produto, prazos de entrega menores e custos reduzidos.
Saiba mais sobre o que é Big Data e quais são os 5 V’s do Big Data

3 – Robôs Autônomos
A utilização de robôs na fabricação não é novidade, mas com o recente avanço tecnológico
avanços os robôs estão se tornando mais autônomos, flexíveis e cooperativos com a capacidade de lidar com tarefas mundanas complexas e comuns. Eles podem ser monitorados e operados remotamente e programados para coexistir e operar no mesmo ambiente de trabalho que os humanos. Além disso, o preço médio e os custos de manutenção de robôs industriais vêm diminuindo linearmente nos últimos 15 anos.

4 – Simulações
Um Digital Twin é uma cópia digital exata de uma fábrica ou instalação de manufatura que pode simular o desempenho do sistema em tempo real. Estas simulações podem ser baseadas em dados em tempo real e podem incluir máquinas, seres humanos e produtos.
Isso permitirá controle e otimização avançados e detecção antecipada de problemas, melhorando a qualidade do produto e reduzindo o tempo de configuração e o tempo de inatividade.

5 – Manufatura Aditiva (Impressoras 3D)
A fabricação aditiva é construída a partir do zero, em comparação com a fabricação negativa, em que o material é removido da forma pré-formada para construir uma peça de precisão.
Na Indústria 4.0, o aditivo Manufacturing, como a impressão 3D, será usado para produzir lotes menores de produtos personalizados com designs leves ou complexos, protótipos, peças de reposição antigas ou peças de baixo volume de alto valor.
Atualmente, peças fabricadas com aditivos tendem a ser 60 a 80% estruturalmente mais fracas do que as peças fabricadas negativas, mas isso provavelmente mudará no futuro próximo, à medida que as tecnologias de manufatura aditiva estão melhorando.

6 – Sistemas Integrados
Embora os sistemas de TI atuais estejam longe de serem totalmente integrados, com o Industry 4.0, empresas, departamentos, funções, fornecedores e clientes se tornarão muito mais coesos e conectados.
Com a integração horizontal e vertical do sistema, a informação e o conhecimento poderão viajar sem interrupções por toda a cadeia de suprimentos e aprimorar os esforços de colaboração entre P & D e produção, bem como clientes e fornecedores.

7 – Computação na Nuvem
Muitas empresas já implementaram alguma forma de solução industrial ou empresarial, e isso vai aumentar muito mais na Indústria 4.0, já que muitas das tecnologias que formam a base da indústria 4.0 (por exemplo, Digital Twin, Internet Industrial das Coisas) exigem compartilhamento de dados entre máquinas , sites e limites da empresa.
Com o aprimoramento das tecnologias de nuvem, mais dados de máquina e produção serão implantados na nuvem, o que resultará em melhor fornecimento de serviços e fornecerá visibilidade e otimização em toda a cadeia de suprimentos.

8 – Internet das Coisas (Internet Industrial)
A Internet Industrial das coisas pode ser descrita como uma rede de dispositivos que possuem inteligência local, o que permite a comunicação entre instalações, máquinas e produtos acabados, bem como inacabados.
Ele incorpora aprendizado de máquinas, tecnologia de big data, dados de sensores, tecnologias de comunicação e automação máquina a máquina.
Em comparação com os seres humanos, as máquinas inteligentes conectadas são capazes de coletar e processar grandes conjuntos de dados com mais precisão e consistência.

9 – Segurança da Informação (CyberSegurança)
Com o aumento da conectividade na fabricação, o risco de ameaças cibernéticas e ataques cibernéticos também aumentará.
Portanto, é crucial que as empresas que operam na indústria 4.0 tenham foco na segurança cibernética e saibam como podem proteger seus dados e minimizar os riscos relacionados.

3 – O Impacto da Quarta Revolução Industrial
As Desvantagens da quarta revolução industrial pode haver desvantagens ao implementar práticas de automação de máquina em seu processo.
Como as máquinas automáticas não são adequadas para todas as aplicações, você pode descobrir que elas:
Não é possível executar tarefas complicadas ou não repetitivas
embora as máquinas ofereçam aumentos de qualidade e redundância, a tecnologia de automação atual não conseguiu resolver o problema da produção complexa.
Os humanos, pelo menos neste momento, são os únicos trabalhadores capazes de realizar tarefas de produção personalizáveis ou complexas.

Ter altos custos iniciais
enquanto as máquinas automatizadas acabarão por poupar dinheiro a longo prazo, elas exigem um investimento inicial significativo. Como proprietário ou gerente de uma empresa, você terá que encontrar uma maneira de encaixar esse investimento em seu orçamento geral.

Exigir manutenção e treinamento
Seus funcionários atuais precisarão ser treinados para implementar, operar e manter adequadamente os sistemas automatizados para garantir sua funcionalidade contínua.

Os Benefícios da quarta revolução industrial

É fato que já possível juntar e analisar dados de toda linha de produção. Desde a extração da matéria prima até o produto na prateleira do super mercado. Isso dá poder para identificar problemas antecipadamente, agilizando todas as etapas do processos, melhoria na qualidade dos produtos e redução dos custos.
Há benefícios claros que vêm com sistemas automatizados. A implementação da automação robótica no seu processo de montagem pode ajudá-lo:

Aumente a produtividade

as máquinas automáticas não se cansam, não fazem intervalos e muitas vezes superam os trabalhadores humanos na produção. Você provavelmente verá uma diminuição no tempo de produção e um aumento na produção.
Melhore a redundância
em um setor onde a precisão e a qualidade são essenciais, é muito menos provável que as máquinas automatizadas causem erros de produção ou sacrifiquem a qualidade da produção pela velocidade.

Melhor segurança
as máquinas podem realizar tarefas em ambientes perigosos onde os seres humanos são incapazes de operar. Com a automação em vigor, você provavelmente verá uma diminuição nos acidentes de trabalho e nas reivindicações de compensação do trabalhador.

Poupança e lucro

com máquinas automatizadas instaladas, há economias potenciais a serem obtidas com a redução das reclamações médicas dos funcionários, maior produção e produtos de maior qualidade.
Os robôs vão roubar seu emprego!
Um dos termos mais pesquisado no google é “os robôs vão roubar seu emprego”. Mas será que isto é verdade? Em partes sim.
Com o crescimento da inteligência artificial, IoT e robótica as empresas vêem um chance de economia. Obviamente a implantação de robôs inteligentes em uma linha de produção por exemplo é algo extremamente caro. Porém a longo prazo esse investimento vale a pena.
Robôs não faltam no serviço, não ficam doentes, não reclamam que o salário está baixo e principalmente trabalham 24 horas por dia 7 dias por semana.

Este é a realidade mais dura.
A verdade é que como a história nos mostra serviços braçais são automatizados.
Não há como fugir disso, mais cedo ou mais tarde toda tarefa que é realizada manualmente será automatizada.
Este é o grande ponto. Se você realiza uma tarefa manual, sim, provavelmente seu trabalho será substituído por um sistema ou um robô.

Vantagens e desvantagens da substituição do homem pela máquina
Robôs substituindo o homem não é algo novo. Na lavoura, grande parte do trabalho dos agricultores foram substituídos por máquinas que limpam, semeiam e hidratam a terra. Ou seja, trabalho manual sendo substituído por máquinas.
Claro que com o avanço da IA esse impacto será muito maior agora.

4 – A Indústria 4.0 no Brasil
O Brasil precisa implementar com urgência um projeto de desindustrialização que enfatize a Indústria 4.0, na qual a produção é integrada ao Big Data, inteligência artificial e Internet das Coisas, entre outras tecnologias, para elevar o nível de automação e como base para novas formas de organização de sistemas de produção.
Essa visão foi expressa pelos participantes do I Congresso Brasileiro de Indústria 4.0, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) em parceria com o Centro de Indústria do Estado de São Paulo (Ciesp), o capítulo de São Paulo da Aprendizagem Industrial Nacional. (SENAI-SP) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) em 5 de dezembro de 2017, em São Paulo.

O objetivo do evento, que contou com a participação de representantes de empresas e agências de fomento, desenvolvimento e inovação, foi discutir como o Brasil pode construir vantagens competitivas no contexto da indústria 4.0.
Segundo dados apresentados por José Ricardo Roriz Coelho, vice-presidente da FIESP e chefe de seu Departamento de Competitividade e Tecnologia, o Brasil enfrenta um processo drástico de desindustrialização no sentido de que sua capacidade industrial está declinando rapidamente.

A participação da indústria brasileira na indústria global caiu quase pela metade nos últimos 20 anos, de 3,47% em 1995 para 1,84% em 2016, observou ele. Sua contribuição para o produto interno bruto (PIB) neste ano foi de 11,1%, a mesma de 1953.
A participação do setor industrial no PIB no Brasil recuou até o que era há 65 anos. Como resultado, a produtividade.
A industrialização foi o impulsionador do aumento da produtividade por um longo período, explicou, permitindo que o Brasil alcançasse os Estados Unidos até certo ponto nessa frente.
Em 1980, quando a indústria respondia por 20,2% do PIB, a produtividade no Brasil alcançava 40,3% da produtividade nos EUA. Em 2015, no entanto, foi de 24,9% na mesma base, retornando ao patamar observado em 1950.
Com a queda da participação da indústria no PIB do Brasil, a produtividade em comparação com os EUA também recuou quase 65 anos. Esta é uma das principais causas de preocupação, disse ele.
Enquanto o Brasil passou por um processo de desindustrialização cada vez mais profundo, economias de alta e média tecnologia, como EUA, Alemanha, Japão e China, investiram pesadamente para acelerar a migração para a Indústria 4.0, continuou Roriz.

Uma pesquisa de 2016 da PwC cobrindo 2.000 empresas em 26 países previa investimentos anuais de US $ 907 bilhões na Indústria 4.0 até 2020. Essa soma correspondia a 5% de sua receita, mas as empresas disseram que esperavam cortar os custos operacionais em US $ 421 bilhões e aumentar receita de US $ 493 bilhões por ano.
A Europa, por exemplo, planeja investir € 1,35 trilhão na Indústria 4.0 nos próximos 15 anos, com as empresas alemãs contribuindo com € 250 bilhões.

A China planeja investir € 1,8 trilhão nos próximos anos para modernizar sua indústria.
Se o Brasil quiser competir com esses países, precisamos urgentemente de um projeto de reindustrialização com ênfase na Indústria 4.0, disse ele.

Vantagens Competitivas
O Brasil tem uma série de pontos fortes que podem ajudar a enfrentar os desafios colocados pela nova realidade da Indústria 4.0, de acordo com os participantes do evento.
Essas vantagens incluem uma base industrial diversificada e fábricas operadas por empresas líderes dos principais países desenvolvidos.

Vários obstáculos terão que ser superados, no entanto, melhorando a infra-estrutura tecnológica, criando linhas de crédito apropriadas e desenvolvendo competências e capacidades em tecnologias de importância fundamental para a implementação da Indústria 4.0, como robótica avançada, manufatura aditiva (também conhecida como Impressão 3D), realidade aumentada e materiais funcionais, observaram os participantes.

Algumas dessas tecnologias já foram exploradas por startups de tecnologia, universidades e instituições de pesquisa no estado de São Paulo, observou o CEO da FAPESP, Carlos Américo Pacheco.
Existe uma base mínima de competências relacionadas à manufatura avançada e à Internet das Coisas, por exemplo, instaladas nas universidades e no setor empresarial. Não estamos começando do zero nesta corrida, disse Pacheco.
O Programa de Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP apoiou um grande número de startups de tecnologia com projetos em áreas relacionadas à fabricação avançada.

Entre as mais de 200 empresas apoiadas anualmente pelo programa, 45 estão desenvolvendo projetos focados na fabricação avançada, de acordo com Pacheco.
O crescente número de startups apoiadas pelo PIPE está interessado em desenvolver projetos relacionados à automação, inteligência artificial, fotônica, robótica e digitalização. E essas competências foram desenvolvidas no Estado de São Paulo, afirmou.

Por outro lado, existem novas competências que são mais recentes e exigem muito mais atenção em termos de apoio a projetos para desenvolvê-las, acrescentou. Eles incluem realidade aumentada, impressão 3D e materiais inteligentes ou funcionais, como metais especiais com ligas leves e de alta resistência, alta performance, cerâmicas avançadas, compósitos e polímeros.
Notamos um aumento significativo no número de projetos apoiados pelo PIPE em áreas como a Internet das Coisas, big data, computação em nuvem e fabricação avançada. Mas estes são desenvolvimentos muito mais recentes e merecem mais atenção, disse Pacheco.

Em maio de 2017, a FAPESP lançou uma chamada de propostas, aberta até 1º de fevereiro de 2018, para selecionar firmas ou consórcios que desejassem fazer parceria com a Fundação na criação de novos centros de pesquisa em engenharia em manufatura avançada.

O Conselho de Administração da FAPESP aprovou recentemente uma estratégia pela qual a instituição apoiará projetos de pesquisa para desenvolver tecnologias em áreas consideradas críticas, como agricultura de precisão, Internet das Coisas e cidades inteligentes, aeronáutica e espacial, e manufatura avançada, acrescentou Pacheco.
Planejamos estimular projetos nessas áreas, que escolhemos como prioridades, com base em consórcios envolvendo universidades, empresas e institutos de pesquisa, disse ele.
Os Desafios da Quarta Revolução Industrial 4.0 no Brasil

No Brasil, essa é uma realidade ainda distante, mas há setores que têm se esforçado para trabalhar nessa expansão, particularmente peças automotivas, agronegócios e alimentos e bebidas. Há também um movimento positivo da indústria e instituições de ensino superior e técnicas para entender e implementar iniciativas voltadas para a Indústria 4.0.
Ao adotar este conceito na prática, uma empresa pode obter consequências positivas de maneira rápida e eficaz.
No setor de autopeças, minimizar os erros substituindo processos humanos por dados integrados, do chão-de-fábrica à esfera corporativa, traz maior transparência, bem como aumento de qualidade e produtividade, permitindo que toda a operação seja rastreada, reduzindo a incidência de peças incorretas para os clientes, por exemplo. Isso é possível integrando o uso da tecnologia da informação à tecnologia de operação; ou seja, não usar planilhas para executar ordens de produção manualmente para automatizar esse processo com software.

Para alcançar com sucesso o nível do Industry 4.0, a implementação deve ser realizada passo a passo de maneira modular e escalonável, oferecendo um atraente retorno do investimento. Isso serve como um incentivo para futuras instalações.
Diante de tantas vantagens a serem obtidas, a realidade da base industrial no Brasil mostra que há um longo caminho a percorrer para atingir um nível de maturidade expressiva.
Além de formar profissionais, os líderes do setor precisam poder visualizar a importância desse tipo de investimento e avaliar retornos financeiros tangíveis no curto prazo.
Com tal estratégia, será possível superar e acelerar o desenvolvimento desse canal em todo o país, ampliando o desempenho das empresas e garantindo mais concorrência no ambiente atual.

Conclusão
Para concluir todo este guia onde abordos todos os conceitos que definem a quarta revolução industrial nada melhor do que ouvir do própria criado do conceito a sua definição do que é a industria 4.0:
Dentro desse contexto de profundas mudanças tecnológicas e sociais – porque os dois sempre andam de mãos dadas durante as revoluções industriais – o que está nos levando à digitalização global, a segurança cibernética industrial se tornará um setor de liderança. Posicionado no coração deste setor, Sentryo se orgulha de ser visto como pioneiros.
As nova tecnologias estão permitindo grandes ganhos de produtividade e enorme dinamismo em toda cadeia de produção.
A gestão de estoque e a logística são agora mais ágeis e eficientes.
Estamos presenciamos uma grande mudança nas formas de produção e distribuição de produtos.
Mudanças que abrem enormes possibilidades para o futuro que demandaram profissionais altamente qualificados para operar estas tecnologias, ajustá-las e criar outras.
No final, cabe a você decidir se a automação industrial é a escolha certa para o seu processo.
É imperativo que as empresas acompanhem o cenário tecnológico em evolução para aumentar o rendimento, minimizando os custos contínuos.
Referências.




VOCÊ SABIA DISSO?


SOBRE NÓS


Somos investidores e entusiastas natos da tecnologia Blockchain, essa que nôs trouxe o Bitcoin, a primeira criptomoeda e a mais importante da história da criptografia econômica ou mais conhecida como criptoeconomia e para alguns, economia distributiva e disruptiva.

Nós acreditamos que as pessoas precisam ter autonomia para administrar seus ativos e tomar decisões conforme suas crenças e valores pessoais.

Para ajudar nossos leitores a alcançar esse objetivo, usamos a tecnologia da informação para romper fronteiras e de forma bem didática, transformar a maneira com que enxergamos o conceito arcaico financeiro e como podemos abrir os olhos para um novo conceito de investimento, uma nova classe de ativos financeiros.

Essa é a nossa essência e por isso acreditamos em três palavras fundamentais: "Liberdade, Segurança e Transparência".
A Cripto Educa, o convida a participar de um movimento de transformação econômica que já está movendo o mundo.

Os nossos investimentos em tecnologia e conteúdo digital nos trouxeram até aqui, somos um corpo com a missão de disseminar ao máximo de pessoas, a tecnologia que está revolucionando o mercado financeiro com uma nova visão e maneira de lidar com valores.

Mais do que conteúdo digital, existe uma família por trás da Cripto Educa, pessoas que acreditam na nova economia e trabalham gerando ainda mais conteúdos relevantes para alimento de seu conhecimento nesse novo mercado, trazendo à tecnologia para o dia a dia e transformando a sua relação com o seu dinheiro mais segura e sem intermediários.

Vem com a gente!


SOBRE NÓS

CRIPTOCAMISETAS


FERAMENTAS


7 Coisas que um Iniciante deve fazer para ter Sucesso
1 min de leitura

7 Coisas que um Iniciante deve fazer para ter Sucesso

Futuro ou presente? Criptomoedas é uma excelente opção para quem acredita e está disposto a investir. Listamos 3 sites que vão te auxiliar na sua trajetória:

Leia Mais  
Biscoint
1 min de leitura

Biscoint

Melhor preço de Bitcoin no Brasil Compare e encontre em tempo real os melhores preços efetivos nas maiores corretoras de Bitcoin do Brasil, considerando as taxas.

Leia Mais  
LISTAGEM EM TROCAS DE CRIPTO
1 min de leitura

LISTAGEM EM TROCAS DE CRIPTO

Listando em CoinMarketCap Se você estiver familiarizado com o setor de criptomoedas, você deve saber que existe uma plataforma web especial que centraliza o valor de mercado, preços, volume de negociação e assim por diante em todas as moedas criptografadas / tokens - CoinMarketCap.com.

Leia Mais  

COMO INVESTIR EM BITCOIN



1) Rede descentralizada
Por meio da blockchain, é possível enviar Bitcoins para qualquer lugar do mundo, sem precisar da intermediação de nenhuma empresa ou instituição.
Pelo seu computador ou smartphone, você pode enviar dinheiro do Brasil para o Japão, sem depender do banco.

2) Alta velocidade
Quando fazemos transferências bancárias dentro do próprio país, as transações costumam ser instantâneas.
E para enviar para o exterior? É uma grande burocracia!
Você precisa preencher documentos específicos, pedem códigos de IBAN, SWIFT, etc. que dá muita dor de cabeça.
Depois de feito todo o procedimento burocrático, o valor demora alguns dias (ou até semanas) para chegar a seu destino.
Com o Bitcoin, você consegue enviar para o exterior em questão de horas (ou até minutos).

3) Custos mais baixos
No início, o Bitcoin conseguia realizar transações muito rápidas e com custos praticamente irrelevantes.
Conforme tem crescido sua adoção, as transações têm congestionado a blockchain e feito com que os custos tenham aumentado muito para quem quer uma transação com maior velocidade.
Ainda é possível pagar centavos pelas transações com Bitcoin, mas isso pode comprometer um pouco a velocidade da sua transação.

4) Funcionamento 24 horas
Ao contrário de bancos e empresas em geral, a blockchain funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana.
Se você quiser enviar recursos às 22h no dia de Natal, conseguirá enviar da mesma maneira que nos horários comerciais.

5) Transações irreversíveis
Uma vez realizada e confirmada a sua transação, ela não poderá mais ser desfeita.
Por um lado, isso traz muita credibilidade ao receber um pagamento.
Por outro, você precisa ter muito mais atenção ao lidar com seu dinheiro, pois não terá a quem recorrer caso transfira algum valor errado ou para um endereço errado.

6) Anonimato parcial
Quando você realiza transações via Bitcoin, os agentes participantes da transação são identificados somente pelo endereço público de onde estão enviando as moedas.
Não é necessário informar nome, RG, CPF ou qualquer outro dado.
Isso é considerado um anonimato apenas parcial, pois, se a pessoa sabe que está negociando com você, também fica sabendo que aquele endereço é seu.
A lógica é semelhante a utilizar um nickname em um fórum. Você tem aquele nome que representa sua pessoa, mas a maioria não sabe quem é você de verdade.

7) Escassez
As moedas que conhecemos, como real, dólar, euro, entre outras, podem ser infinitas, pois o Governo pode emitir mais moeda quando quiser.
O Bitcoin, por sua vez, tem um limite de unidades que existirão.
Desde sua criação, já estava em suas regras que no ano de 2140, haverá exatamente 21 milhões de Bitcoins.
Hoje, existem pouco menos de 17 milhões de unidades (você pode consultar aqui: https://coinmarketcap.com/currencies/bitcoin/).

8) Divisibilidade
Muitos pensam que nunca conseguirão investir em Bitcoin, pois o preço dele está muito alto (na casa dos 30 e poucos mil reais).
Porém, assim como as outras moedas, o Bitcoin também é divisível, mas na verdade ele tem 8 casas após a vírgula.
Portanto, você poderia comprar 0,00000001 Bitcoin (ou 1 satoshi, como é chamado o “centavo” do Bitcoin), que seria bem menos de 1 centavo de real aos preços de hoje.

9) Mineração
Novos Bitcoins são gerados pelo processo de mineração.
Minerar, na prática, significa resolver problemas matemáticos bastante complexos, que somente computadores com superprocessamento são capazes de fazer, com o objetivo de validar as transações realizadas na blockchain.
Quando algum computador consegue resolver o problema, ele envia a resposta para a blockchain, para que os outros computadores tirem a prova de que aquilo está correto.
Se houver a concordância, significa que a transação realizada foi confirmada e o minerador recebe Bitcoins (ou satoshis) como recompensa.

10) Livre mercado
O preço do Bitcoin varia de acordo com o mercado.Como não existe nenhuma instituição por trás, não há como manipular ou represar preços forçadamente e podem existir (e realmente existem) grandes players do mercado que movimentam quantidades enormes de Bitcoins a seu bel prazer.
No entanto, mesmo eles têm uma quantidade finita de dinheiro e não podem manipular o mercado sozinhos por tanto tempo.
Por esse motivo, os preços inevitavelmente seguem seu rumo de acordo com a demanda do mercado.

PRINCIPAIS CARACTERÍSITCAS DO BITCOIN


09Aug

Nessa semana, o bitcoin teve o seu maior valor em cinco meses. A criptomoeda subiu 20% e ultrapassou a marca dos 5 mil dólares pela primeira vez desde novembro. Essa valorização alertou muitos investidores, de leigos a entusiastas, para a compra da cripto e a esperança de ainda mais valorização.

O mercado de criptomoedas é muito volátil, sendo um ramo muito novo e em muitos países ainda não regulado, como aqui no Brasil. Por isso, uma compra de alto valor por significar um desequilíbrio muito grande no preço da cripto, incentivando assim um fenômeno que chamamos de “efeito manada”.

Foi o que aconteceu nesses dias, um pedido avaliado em 100 milhões de dólares nas exchanges Coinbase, Kraken e Bitstamp. Uma única ordem que foi gerenciada em três corretoras diferentes, isso resulta em uma movimentação de 20 mil bitcoins.

Por conta dessa valorização, a Exame procurou nosso CEO, João Canhada, para avaliar o comportamento da cripto.

O que é Bitcoin


“É natural que haja um aumento de procura quando tem notícias sobre a alta do bitcoin, mas ainda estamos longe dos níveis de 2017”, disse João Canhada a Exame.

Mesmo longe de seu patamar mais alto, o bitcoin deve subir no longo prazo, na avaliação de Canhada. Ele arrisca até uma projeção: 8.600 dólares para o preço do bitcoin até o fim deste ano. “O próximo boom deve ser só em 2021. Isso porque a cada quatro anos a oferta de bitcoins é reduzida mundialmente pela metade, seguindo as regras de criação da criptomoeda. Sempre que isso acontece, seu preço costuma subir até 10 vezes o valor que estava quatro anos antes. Foi o que vimos acontecer em 2017. Se a regra se confirmar, em 2021 o valor pode ultrapassar os 200 mil dólares. Mas são apenas expectativas.”

Apesar de todas as especulações, é necessário tomar bastante cuidado ao investir em criptomoedas, já que os ativos são de altíssimo risco. De uma forma mais direta e clara: se não estiver pronto para correr riscos, procure saber mais antes de investir e comece sempre com pouco.

Leia na integra  
1 min de leitura
30May

Este é um artigo de blog genérico que você pode usar para adicionar conteúdo / assuntos de blog em seu site. Você pode editar todo esse texto e substituí-lo por qualquer coisa que você diga no seu blog.

O Bitcoin é uma moeda ainda muito volátil, o preço desta cripto pode variar muito em um curto período de tempo. É possível se proteger da volatilidade do Bitcoin? Se sim, como fazer isso? 


O Bitcoin é um ativo muito recente, e acaba de completar 10 anos de sua existência. Devido a sua tecnologia inovadora e seu tempo tempo de vida, o mercado não sabe como posicionar um preço a essa moeda.

É por isso que vemos o preço do Bitcoin subir 20% em um dia e descer 6% em outro, tal volatilidade é normal no mercado de criptomoedas. Ela é uma fonte de possíveis rendimentos absurdos, já pensou ganhar 20% em um dia? Isso é mais do que anos em títulos de renda fixa.

Mas não se engane, as recompensas são tão grandes quanto os riscos. É muito comum vermos pessoas perdendo grandes somas de recursos ao se aventurarem sem o devido conhecimento no mercado de criptomoedas.

Saiba que é possível se proteger da volatilidade do Bitcoin e não perder tanto dinheiro. E vamos te mostrar como.


As ordens do dia

O primeiro passo para não perder todo o seu capital é entender como o mercado funciona e quais os recursos disponíveis. O recurso mais importante para um trader é saber como operar em uma exchange e principalmente como usar cada ordem disponível na plataforma.

Como assim? Veja, você pode ir até o livro de ofertas e colocar uma ordem de compra a Mercado, dessa forma a compra será feita com o preço atual. Há vários tipos de ordens, uma delas é a stop-loss.

A ordem stop-loss se traduz literalmente como “parar perda”, e isso já diz muito do que ela faz. Vamos dar uma exemplificação melhor ainda:

Imagine que você comprou bitcoin quando ele chegou em R$11.000, mas você não quer lidar com a volatilidade da criptomoeda, então é possível colocar um limite para o máximo de dinheiro que pretende perder nessa operação. Imaginemos que seu limite de perda é de R$200, então você coloca uma ordem de stop em 10.800 e assim que o preço chegar nesse patamar a exchange vai imediatamente começar a procurar por um comprador.


Se protegendo do Real

Viu como é fácil se proteger das grandes variações no mercado de criptomoedas? Esse novo mercado te abre outras oportunidades, como por exemplo, se proteger da volatilidade da nossa moeda.

Com o advento das stablecoins ficou fácil comprar uma moeda completamente pareada no dólar mas com as vantagens da tecnologia blockchain. Uma moeda pareada no dólar, como assim?

Na Foxbit nós temos o TrueUSD, um token pareado no dólar de 1:1, ou seja, cada token equivale a um dólar. Sabendo disso você pode dormir tranquilo ao fazer trade de criptomoedas, se protegendo tanto da volatilidade do Bitcoin, quanto da volatilidade do real.

Agora que você sabe como se proteger da volatilidade do Bitcoin, é hora de investir! Clique aqui e compre seu bitcoin com segurança.



Leia na integra  
1 min de leitura

PAÍSES MAIS AVANÇADOS EM CRIPTOMOEDAS


ESTADOS UNIDOS

ROMÊNIA

REPÚBLICA TCHECA

POLÔNIA

CORÉIA DO SUL

COMO SE PROTEGER DO SOBE E DESCE?



1) Risco de mercado
O risco de mercado tem relação com o preço de um ativo.
No caso do Bitcoin, como dito logo acima, o preço se movimenta livremente, podendo ter oscilações muito bruscas.
Para se ter uma ideia, o preço em 2017 variou de US$ 1.000,00 a US$ 19.000,00, ou seja, chegou a multiplicar por 19 vezes dentro de um único ano.
E agora está em cerca de US$ 10.000,00, o que representa uma queda de quase 50%.
Sem contar que chegou a voltar aos patamares de cerca de US$ 6.000,00 também neste ano de 2018, o que seria uma queda de quase 70% em relação ao valor de US$ 19.000,00.
Isso significa que, se você comprar o ativo muito sobrevalorizado, corre o risco de ter grandes prejuízos no curto prazo.
No entanto, se você a tecnologia e o futuro do Bitcoin forem de sucesso, os preços atuais deixarão saudades.


2) Risco de não adoção

Para uma moeda ter sucesso, é necessário um grande fator, que se chama adoção.
Aproveito aqui para dizer que o Bitcoin não tem lastro em nada (e muitos usam esse argumento como motivo para não comprar).
Porém, a verdade é que NENHUMA moeda atualmente tem lastro.
O padrão ouro extinguiu-se já há bastante tempo e, hoje, nem mesmo o dólar é lastreado em ouro.
As moedas estatais são utilizadas simplesmente pelo fato da adoção. Ou, melhor dizendo, da imposição dos Governos.
E, como o Bitcoin não tem nenhum Governo para impor seu uso, pode acontecer de nunca vir a ser adotado em massa.
No entanto, vale a pena dizer que é uma moeda com grande crescimento em adesão nos últimos anos, embora ainda longe de se tornar realmente globalizada e de uso cotidiano.

3) Risco de proibição
Além de os Governos não aderirem ao uso do Bitcoin, eles podem ainda proibir e caracterizar seu uso como crime.
Uma das justificativas de quem é contra é falar que o Bitcoin tem sido usado para lavagem de dinheiro, tráfico, pornografia, fraudes e pirâmides.
É claro que, com o Bitcoin, isso pode se tornar mais fácil. Mas seria o mesmo que querer proibir a internet pelo fato de ela facilitar esse tipo de prática também.
Vale lembrar que a própria internet, no seu início (e que não faz tanto tempo assim), era usada somente por nerds, hackers, criminosos, pedófilos, etc.
Em pouco tempo, ela começou a ser amplamente utilizada pelo cidadão comum, que enxergou nela diversas vantagens de uso em seu dia a dia.
Imagino que o Bitcoin pode seguir um caminho parecido e, como alguns países já sinalizam regulamentações para seu uso (inclusive a Receita Federal já tem criptomoedas em seu regulamento), acho bastante improvável uma proibição aqui no Brasil.

4) Risco de perda
O Bitcoin tem uma característica muito interessante de que você é quem tem poder total sobre o valor que tiver guardado em sua wallet (falarei sobre ela a seguir).
Portanto, caso você esqueça a senha, perca seu hardware e não faça um backup adequado, não terá a quem recorrer para recuperar seus Bitcoins.
A ideia dele é que você seja seu próprio banco e tenha a responsabilidade total sobre seu dinheiro.

Como comprar bitcoin
Agora que você já conhece as características e os riscos do Bitcoin, como fazer para comprar?
Primeiramente, ele é negociado em uma exchange, que é semelhante a uma corretora de valores, mas funciona somente para negociar Bitcoin e outras criptomoedas.
Normalmente, existe pouca burocracia para se criar conta em uma exchange. O processo costuma ser muito rápido.
Feito isso, você envia em reais para lá e faz a compra do seu Bitcoin.
Tendo o Bitcoin, o ideal não é deixar na própria exchange. Porém, ao se fazer isso, a chave privada não fica em seu poder, e você corre o risco de perda dos Bitcoins por fraude na exchange ou invasões de hackers.
É muito importante que você tenha também uma wallet para armazenar os Bitcoins sob seu controle.
Essa wallet pode ser on-line, pode ser um software que você salva em seu computador, pode ser um hardware comprado (semelhante a um pen-drive, mas com tecnologia diferente) ou uma paper wallet (na qual você imprime a chave privada para acesso posteriormente).
 
E será que o bitcoin precisa ser declarado no imposto de renda? Para quem não sabe como fazer a declaração, criei em 2017 o curso chamado “Imposto de Renda nos Investimentos”, que ensina como declarar Tesouro Direto, títulos privados, ações e fundos imobiliários. Neste ano, estou incluindo a declaração de criptomoedas também.

Entendeu o que é Bitcoin? Vai comprar alguma criptomoeda? Se ficou alguma dúvida, deixe um comentário!

Vitor Hernandes
Vitor Hernandes é paulistano e tem 28 anos. Fundador do blog Jornada do Dinheiro. Pós-graduando em Finanças, Investimentos e Banking (FIB) pela PUC. Tradutor de formação, investidor por vocação e educador financeiro como missão de ajudar a população brasileira. Eterno aluno, pois sempre há algo novo a aprender, estuda educação financeira e investimentos por hobby, além de atuar no mercado financeiro desde 2011. Os fundos imobiliários são seus investimentos preferidos.
As opiniões expostas neste artigo são baseadas na visão do autor e não necessariamente refletem o entendimento do Yubb.






PRINCIPAIS RISCOS DO BITCOIN


PRINCIPAIS RISCOS DO BITCOIN
CAPÍTULO 1

Uma carteira Bitcoin é o primeiro passo para se usar Bitcoin.
Por quê?


Sem uma carteira, você não pode receber, armazenar ou gastar bitcoins.
Você pode pensar em uma carteira como sua interface pessoal para a rede Bitcoin, semelhante à forma como sua conta bancária online é uma interface para o sistema monetário comum.
As carteiras Bitcoin contêm chaves privadas; códigos secretos que permitem que você gaste seus bitcoins.
Na realidade, não são os bitcoins que precisam ser armazenados e protegidos, mas as chaves privadas que dão acesso a eles.
Resumindo:
Uma carteira Bitcoin é simplesmente um aplicativo, site ou dispositivo que gerencia chaves privadas Bitcoin para você.



CAPÍTULO 2

Tipos de Carteira

Carteiras de Hardware
bitcoin hardware wallet


A Ledger Nano S é um exemplo de uma carteira de hardware.Uma carteira de hardware é um dispositivo físico eletrônico, desenvolvido com o único propósito de proteger bitcoins.A principal inovação é que a carteira de hardware deve estar conectada ao computador, telefone ou tablet antes que os bitcoins possam ser gastos.
As três carteiras de hardware mais populares são:
  • Ledger Nano S
  • KeepKey
  • Trezor
Carteiras de hardware são uma boa escolha se você busca segurança e um armazenamento Bitcoin prático e confiável.
As carteiras Bitcoin de hardware mantêm as chaves privadas separadas dos dispositivos vulneráveis conectados à internet.
Suas chaves privadas são mantidas em um ambiente offline seguro na carteira de hardware, totalmente protegidas mesmo se o dispositivo estiver conectado a um computador infestado de malwares.
Como os bitcoins são digitais, cibercriminosos poderiam, potencialmente, acessar a "carteira de software" do seu computador e roubá-los, acessando sua chave privada.
Gerar e armazenar chaves privadas offline usando uma carteira de hardware garante que os hackers não tenham nenhuma maneira de acessar seus bitcoins.
Hackers teriam que roubar a carteira de hardware em si, mas mesmo assim, ela pode ser protegida com um código PIN.
Não se preocupe com a sua carteira de hardware ser roubada, perdida ou danificada. Contanto que você crie um código de backup secreto, você sempre pode recuperar seus bitcoins.

Pense em uma carteira de hardware como seu próprio cofre de aço subterrâneo. Se você possui uma quantidade significativa de bitcoins, você deve considerar comprar uma fortemente! 

Por que as carteiras de hardware são boas?
  • A forma mais fácil de armazenar bitcoins com segurança
  • Fácil de proteger e fazer backup
  • Menos margem de erro; a instalação é fácil mesmo para usuários menos técnicos
Por que as carteiras de hardware são ruins?
  • Eles não são grátis!
Carteiras Quentes
Carteiras quentes são carteiras Bitcoin que funcionam em dispositivos conectados à internet como um computador, telefone celular ou tablet.
As chaves privadas são códigos secretos. Como as carteiras quentes geram suas chaves privadas em um dispositivo conectado à internet, essas chaves privadas não podem ser consideradas 100% seguras.

Pense em uma carteira quente como sua própria carteira: você a usa para guardar algum dinheiro, mas não sua poupança. Carteiras quentes são ótimas se você fizer pagamentos frequentes, mas não é uma boa escolha para o armazenamento seguro de bitcoins. 



Por que as carteiras quentes são ruins?
  • Não é seguro para o armazenamento protegido de grandes quantidades de bitcoins
Qual Carteira é Melhor para Você?
Por que você está usando Bitcoin?
Para investir ou economizar? Então uma carteira de hardware vai manter suas moedas seguras.
Caso contrário, uma carteira de software irá enviar e receber bitcoins sem problemas. O melhor de tudo é que as carteiras de software são gratuitas.
Cada carteira tem seus prós e contras, e diferentes carteiras são desenvolvidas para resolver problemas diferentes.
Algumas carteiras podem ser voltadas para a segurança, enquanto que outras carteiras podem ser mais focadas na privacidade.
Suas necessidades específicas devem determinar a carteira que você usa, já que não existe uma "melhor carteira Bitcoin".


  • Abaixo, listamos as carteiras que você pode comprar ou baixar. Sugerimos usar as carteiras listadas ou pesquisar antes de comprar ou fazer o download de qualquer carteira.
  • Todos os dias, novas carteiras Bitcoin fraudulentas são adicionadas à Google Play Store e à loja de aplicativos da Apple, projetadas para roubar os bitcoins das pessoas.
  • Nós listamos somente carteiras que publicaram e abriram seu código.



CAPÍTULO 3

Carteiras de Hardware: Mantenha suas Moedas Seguras

Carteiras de hardware não são grátis.
bitcoin hardware wallet

As três carteiras de hardware mais populares: KeepKey, Ledger Nano S e Trezor.Mas o preço pode valer a pena se você possui uma quantidade significativa de bitcoins. Uma carteira de hardware protegerá algumas centenas de Bitcoin de forma tão eficaz quanto alguns milhões.Como Funcionam as Carteiras de Hardware
As carteiras de hardware são dispositivos seguros e offline. Elas armazenam suas chaves privadas offline para que elas não possam ser hackeadas.
Isso significa que você pode até usá-la em um computador infectado por malwares.
Por Que uma Carteira de Hardware com Tela é Importante
Na tabela abaixo, você verá que mostramos quais carteiras de hardware possuem telas.
As telas fornecem segurança extra, verificando e exibindo detalhes importantes da carteira. Uma vez que a carteira de hardware é quase impossível de hackear, sua tela é mais confiável do que os dados exibidos em seu computador.


Visão Geral das Melhores Carteiras Bitcoin de Hardware


COMPRAR

Ledger Nano S Buy Learn MoreA Ledger Nano S é a mais barata das três carteiras de hardware com tela; custa cerca de US$59. A Ledger, uma das mais conhecidas empresas de segurança Bitcoin, lançou o dispositivo em agosto de 2016.





TREZOR One Buy Learn MoreA TREZOR foi lançada em agosto de 2014 como a primeira carteira Bitcoin de hardware, oferecendo armazenamento seguro de bitcoins, juntamente com a praticidade de gastá-los com a facilidade de uma carteira quente. TREZOR é um dispositivo pequeno, do tamanho de um polegar.




COMPRAR
KeepKey Buy Learn MoreA KeepKey foi lançada em setembro de 2015 e foi a segunda carteira de Bitcoin de hardware a oferecer uma tela. A tela maior do KeepKey oferece alguns recursos de segurança a mais que você não encontra na Nano S e na Trezor.


CAPÍTULO 4

Carteiras Quentes
Apenas um rápido lembrete:
Carteiras quentes são carteiras Bitcoin que funcionam em dispositivos conectados à internet como um computador, telefone celular ou tablet. Como as carteiras quentes geram chaves privadas em um dispositivo conectado à internet, essas chaves privadas não podem ser consideradas 100% seguras.

Pense em uma carteira quente como sua própria carteira: você a usa para guardar algum dinheiro, mas não para sua poupança. Carteiras quentes são ótimas se você fizer pagamentos frequentes, mas não são uma boa escolha para um armazenamento seguro de bitcoins.


Carteiras Bitcoin Online (Carteiras Web)
As carteiras web armazenam suas chaves privadas online, onde são criptografadas com uma senha selecionada pelo usuário. Embora elas oferecem o menor nível de segurança, as carteiras Bitcoin online têm a vantagem de serem acessíveis a partir de qualquer dispositivo conectado à internet.
GreenAddress é uma carteira Bitcoin multi-assinatura disponível via web, desktop, Android e iOS. A GreenAddress é compatível com carteiras de hardware como a TREZOR, a Ledger Nano e a HW.1."Multi-assinatura" significa, nesse contexto, que o site exige uma confirmação manual sua para que suas moedas sejam movimentadas; isso aumenta muito a segurança.


Carteiras Bitcoin para Android
Há uma grande seleção de carteiras para Android. Desde que as carteiras Bitcoin foram originalmente banidas pela Apple, os desenvolvedores passaram grande parte de seu tempo desenvolvendo para Android.

 


Samourai Wallet







MyceliumMycelium é a carteira Bitcoin para Android mais popular. É muito fácil de usar para enviar e receber pagamentos. Fazer backup de sua carteira também é simples, já que a Mycelium deixa tudo muito claro, com instruções de configuração e backup.


  


EdgeEdge é uma carteira Bitcoin fácil de usar, para iPhone e Android. Sua característica de login familiar faz com que o aplicativo seja tranquilo para pessoas novas no Bitcoin. A carteira também cria backups automáticos, para que você não precise se preocupar com os aspectos técnicos da realização de backups manuais.


GreenBitsGreenBits é a versão nativa do Android da GreenAddress. É uma carteira multi-assinatura que também suporta carteiras de hardware como a TREZOR e a Ledger.

Bitcoin WalletBitcoin Wallet, ou "Schildbach Wallet", foi a primeira carteira Bitcoin móvel. A Bitcoin Wallet é mais segura do que a maioria das carteiras Bitcoin móveis, porque ela se conecta diretamente à rede Bitcoin. A Bitcoin Wallet tem uma interface simples e apenas a quantidade necessária de recursos, tornando-se uma ótima carteira e uma ótima ferramenta educacional para iniciantes Bitcoin.



Carteiras Bitcoin para iOS e iPhone

A Apple baniu as carteiras Bitcoin da App Store em fevereiro de 2014, mas reverteu sua decisão alguns meses depois. Felizmente, agora existem muitas opções para os usuários do iOS. 


Com o DropBit, tudo o que você precisa é da lista de contatos, já no seu telefone, e você pode enviar a primeira quantia de Bitcoin para alguém. Você não precisa que o destinatário tenha um endereço Bitcoin ou tenha sua carteira já estabelecida. Enquanto o aplicativo é chamado DropBit, chamamos esse processo de envio para um novo usuário via SMS "enviando um DropBit".



BreadwalletConsideramos a breadwallet, juntamente com a Copay (abaixo), a melhor carteira Bitcoin para iPhone. É de código aberto e proporciona ao usuário o controle total sobre suas chaves privadas. Também tem uma interface limpa que torna o envio e recebimento de bitcoins um processo agradável e super simples.





Carteiras para Desktop
As carteiras para desktop são baixadas e instaladas em seu computador. Se privacidade for sua principal preocupação, esse tipo de carteira Bitcoin é uma boa opção, já que não precisa de dados de terceiros.





ElectrumA Electrum é uma carteira Bitcoin leve para Mac, Linux e Windows. A Electrum foi criada em novembro de 2011. As principais características da Electrum são: suporte para carteiras de hardware (como a TREZOR, a Ledger Nano e a KeepKey) e armazenamento Bitcoin seguro usando um computador offline. A Electrum é uma boa opção tanto para iniciantes quanto para usuários avançados.



CAPÍTULO 5


Bancos de Bitcoin: $ 1 Bilhão Perdido em Invasões
Uma última coisa a se ter em mente quando se trata de carteiras bitcoin é que há uma diferença entre uma carteira e um banco. Alguns usuários da Bitcoin veem o Coinbase como uma carteira Bitcoin, mas empresas como essa operam muito mais como bancos.
Lembre-se:
As chaves privadas são o que os usuários precisam proteger para usar a rede Bitcoin com segurança sem serem roubados. Quando você entrega o controle sobre suas chaves privadas a outra pessoa, você está basicamente fazendo um depósito naquela instituição financeira - assim como um depósito em qualquer banco.
Não armazene moedas em casas de câmbio! Usuários Bitcoin perderam mais de US$1 bilhão de bitcoins em invasões e fraudes de câmbio. Controle suas próprias chaves privadas.

Não armazene moedas em casas de câmbio! Usuários Bitcoin perderam mais de US$1 bilhão de bitcoins em invasões e fraudes de câmbio. Controle suas próprias chaves privadas. 


Isso não quer dizer que os bancos de bitcoins sejam inerentemente ruins. Empresas como a Coinbase fizeram maravilhas ao trazer mais usuários para o ecossistema. É simplesmente importante lembrar que quem controla as chaves privadas controla o bitcoin anexado a essas chaves.
Uma má compreensão desse ponto levou a centenas de milhões de dólares americanos sendo perdidos no passado, por isso é importante compreender essa diferença crítica em como chaves privadas de Bitcoin podem ser armazenadas.
Compreender como funcionam as carteiras Bitcoin é um aspecto importante para se usar essa nova tecnologia com segurança. O Bitcoin ainda está em seus primeiros anos de desenvolvimento e, com o tempo, as carteiras se tornarão muito mais fáceis para os usuários.
No futuro próximo, certos dispositivos podem eventualmente vir com carteiras pré-instaladas que vão interagir com o blockchain sem o conhecimento do usuário.
Por enquanto, é vital ter em mente que as chaves privadas são o que você precisa proteger se quiser manter seus bitcoins a salvo de hackers, erros de usuário e outros possíveis problemas.


CAPÍTULO 6

Roubo e Fraudes

Não importa qual carteira você escolha, lembre-se:
Seu bitcoins só estão seguros se a chave privada foi gerada de forma segura, continua a ser um segredo, e - o mais importante - é controlada apenas por VOCÊ!
Aqui estão dois exemplos em que os usuários foram roubados deixando bitcoins sob o cuidado de terceiros:
  • A invasão no Bitfinex, na qual os usuários perderam US$70 milhões
  • O fracasso do Mt Gox, no qual os usuários perderam US$450 milhões ou mais
Para evitar roubos, fraudes e qualquer outra perda de fundos, siga estes três princípios básicos:
  1. Gere suas chaves privadas em um ambiente seguro e offline. (exceto se usar quantias triviais, nesses casos as chaves podem ser criadas em uma carteira quente).
  2. Crie backups de suas chaves privadas. Isso ajuda a proteger contra a perda de seus bitcoins devido a falhas de disco rígido ou algum outro problema ou acidente. Idealmente, você deve ter um conjunto duplicado de backups guardados para proteger contra a possibilidade de incêndio, roubo, etc.
  3. Criptografar carteiras para fornecer segurança adicional. Isso ajuda a evitar o roubo físico de seus fundos no caso de roubo do seu dispositivo ou carteira de hardware.
Proteger seus bitcoins corretamente é o passo mais importante para qualquer usuário Bitcoin.
Com Bitcoin você tem o privilégio - mas também a responsabilidade - de proteger seu próprio dinheiro. Houve inúmeros golpes relacionados a Bitcoin que poderiam ter sido evitados se as pessoas não confiassem seus bitcoins a outros.
É uma boa regra nunca confiar seu dinheiro a alguém.


What’s in the Box
O Ledger Nano X é a mais nova carteira de hardware do Ledger.
A principal idéia por trás do dispositivo é que é a maneira mais fácil de proteger seu Bitcoin e cryptocurrency.
Depois de testar o dispositivo, posso confirmar que essa carteira de hardware com criptografia é muito fácil de usar.




Ledger Nano S Review
E se você deseja garantir a criptomoeda, o Ledger Nano S é uma das maneiras mais fáceis e econômicas.
O lendário autor, desenvolvedor e palestrante do Bitcoin, Andreas Antonopoulos, acredita que as carteiras de hardware são a melhor solução de armazenamento para a pessoa comum:
Existem soluções mais complexas, mas se você não for um desenvolvedor top de linha, perder dinheiro por acidente é mais provável do que ser hackeado.
O Nano S e outras carteiras de hardware simplificam a segurança para você.


TREZOR T Review
O TREZOR Modelo T é uma carteira de hardware Bitcoin / Altcoin de segunda geração fabricada pela SatoshiLabs. A linha TREZOR estreou em 2014 com o TREZOR One (T-One) e se manteve como uma das soluções mais populares de armazenamento em criptografia de criptografia até hoje.

TREZOR One Review
TREZOR One é uma carteira de hardware Bitcoin e lançada em agosto de 2014. Foi a primeira carteira de hardware Bitcoin, oferecendo armazenamento a frio seguro, além da capacidade de gastar com a conveniência de uma carteira quente.


KeepKey Review
O KeepKey é uma carteira de hardware Bitcoin segura que foi lançada em 2015. Como o TREZOR e o Ledger Nano S, é fácil de configurar, mas também possui alguns recursos mais avançados, tornando-se uma ótima opção para novos e experientes usuários de Bitcoin!















O QUE É UMA CARTEIRA BITCOIN?


Se manter seguro em um mundo que está cada vez mais conectado é altamente recomendável. Para manter seus Bitcoins protegidos você pode utilizar dois tipos diferentes de carteiras. Utilize um “carteira quente” para gastos e uma carteira “a frio” para poupar seus Bitcoins e não “mexer” neles.

DICAS DE SEGURANÇA PARA MANTER SEUS BITCOINS PROTEGIDOS


Você acabou de comprar um pouco de bitcoin. Parabéns! Agora você é um membro oficial da rede bitcoin e sua transação de compra sempre fará parte do blockchain, enquanto a internet existir para a humanidade.

 

Mas então, o que fazer agora? O que você pode realmente fazer com seu bitcoin? O que você deve fazer com seu bitcoin?

 

Existem três opções:

 

  • Você pode usá-lo para pagar por bens ou serviços. Um número crescente de pequenos comerciantes e grandes empresas agora está aceitando pagamentos em bitcoin.
  • Você pode negociá-lo, negociando bitcoin por moedas fiduciárias (Real, Dólar, Euro, etc.) ou outras criptomoedas.
  • Você pode “não fazer nada”. O Bitcoin é um investimento de longo prazo. Agora que você comprou Bitcoin, não precisa fazer mais nada.
  • Comprar mais Bitcoin quando o preço cair. Isso mesmo, você não leu errado. “- Ah, mas não é arriscado comprar enquanto cai? Não! Pelo contrário. A grande máxima do mercado é “Compre na baixa e venda na alta” e não o contrário. Confie: valerá a pena a longo prazo, é o que a maioria dos especialistas afirmam.
  • Investir parte dele em um robô de trading. Uma das empresas brasileiras que oferecem operações automáticas com Bitcoin que buscam rentabilidade é o Bitverso.

 

Mas, antes de comprar, vender ou apenas guardar seus bitcoins, verifique se ele está armazenado com segurança. A seguir, algumas dicas de segurança para guardar seus Bitcoins com segurança.

COMPREI MEU PRIMEIRO BITCOIN: O QUE FAZER AGORA?


A premissa por trás de uma carteira quente é que ela é usada apenas para gastar. Pense nisso como passear com dinheiro que é usado como dinheiro, no dia-a-dia. Você mantém pequenas e médias quantidades de Bitcoin em sua carteira quente. 

 

Normalmente, as carteiras quentes são mantidas no seu dispositivo móvel e usadas para gastos do dia-a-dia. 

 

Para uma carteira fria (cold wallet), também chamada de carteira de armazenamento a frio, a premissa é manter sua poupança de Bitcoin, ou seja, seu investimento. E você não vai mexer diariamente no dinheiro que tem investido, certo? 

 

As carteiras frias podem ser armazenadas completamente offline. Por exemplo, com carteiras de papel que você mesmo pode criar, que é uma maneira super econômica e segura de armazenar suas moedas offline. 


Concluindo

 

Em conclusão, se você deseja evitar cair fraudes on-line e não deseja correr o risco de ser um alvo fácil para golpistas e hackers. Além disso, fique sempre de olho em notícias do momento, para ficar por dentro do que é bom ou não. Uma recomendação é baixar o aplicativo Universo Cripto, que fornece notícias sobre o mercado em tempo real.

 

Assim utilize estas dicas acima para permanecer seguro e manter seu Bitcoin seguro. Então em caso de dúvidas, comente abaixo e tentaremos te ajudar ou procure um especialista de sua confiança.

O QUE SÃO CARTEIRAS “QUENTES” OU “FRIAS”? E “HARDWARE” WALLETS?


Outro método é usar uma carteira de hardware (hardware wallets). Essas estão entre as carteiras mais seguranças existentes e possuem muito mais recursos que uma carteira simples de papel.

 

Assim, entre os recursos adicionais, estão inclusos assinatura offline de chaves e defesa contra malware e outros tipos de ataques. As carteiras de hardware são dispositivos físicos vendidos pelos fabricantes, como a Ledger e Trezor

 

Preparamos uma lista para você de como manter os seus Bitcoins protegidos:

 

  • Sempre ative o 2FA para todas as suas contas;
  • Para ativar o 2FA, prefira o aplicativo Authy ao invés do Google Authenticator, pois este possui backup;
  • Utilize senhas fortes de mais de 16 caracteres e use um gerenciador de senhas como o LastPass;
  • Nunca reutilize senhas. Ou seja, ao criar contas em exchanges diferentes, não cadastre a mesma senha;
  • Nunca realize login em contas de Bitcoin em ẂIFI público, lan-houses, cyber-cafés;
  • Nunca compartilhe sua senha com ninguém e nem com funcionários de exchanges;
  • Nunca compartilhe sua seed (senha de recuperação do Bitcoin);
  • Nunca compartilhe sua chave privada Bitcoin com ninguém;
  • Não reutilize endereços Bitcoin (a maioria das carteiras modernas não faz mais isso);
  • Não poste seu endereço de e-mail, endereço residencial ou número de telefone nas mídias sociais;
  • Se possível invista num antivírus pago e mantenha sempre o antivírus do computador atualizado. Evite clicar em links e sites suspeitos;
  • Sempre faça backup da sua carteira e faça-a periodicamente;
  • Para carteiras de armazenamento a frio (Cold wallet) e senhas de reserva em casa, guarde-as em um cofre à prova de fogo.

SEGURANÇA NA HORA DE ESCOLHER AS MELHORES EXCHANGES: ALGUNS CUIDADOS IMPORTANTES


Assim como qualquer outro tipo de investimento, comprar Bitcoin também envolve riscos. Portanto, tenha sempre muito cuidado com tudo que envolva a sua segurança digital.

 

Ou seja, utilize senhas fortes, de preferência senhas alfanuméricas (aquelas com letras e números). Assim, alterne entre letras maiúsculas e minúsculas e também utilize caracteres especiais (símbolos como @ # &).

 

Além disso, busque utilizar softwares que fazem a autenticação de dois fatores, como Google Authenticator e Authy. Pois eles oferecem uma camada adicional de segurança no momento de efetuar o login em sua conta.

 

Quanto a questão de guarda das criptomoedas, a recomendação é para não deixá-las nas carteiras das exchanges. Mas sim transferi-las para algum tipo de carteira virtual de criptomoedas, onde só você poderá ter acesso.

OUTROS TIPOS DE CARTEIRA


Novos milionários estão sendo criados quase que diariamente porque eles sabem como investir em Bitcoin. Bitcoin teve ganhos de até 800% durante 2017 e 2018, e agora é o melhor momento para se adentrar no investimento em Bitcoin. Fizemos uma extensa pesquisa e descobrimos que a eToro é a melhor corretora para investir em Bitcoin.

Qual a melhor forma de armazenar Bitcoin?

Antes de comprar Bitcoin ou qualquer outra criptomoeda, você precisa de um lugar para guardá-los. Esse lugar é chamado de “carteira”. Essa carteira funciona assim, em vez de realmente guardar seus Bitcoin, essa “carteira” guarda a chave privada que permite acessar seu endereço de Bitcoin (que também é sua chave pública).
Na verdade, uma carteira geralmente possui várias chaves privadas, e muitas pessoas que compram Bitcoin têm várias carteiras. As carteiras podem estar no seu computador e / ou smartphone, em um dispositivo de armazenamento físico, mais conhecido como “Hardware wallet” ou até mesmo em um “pedaço de papel” as paper wallet.

As carteiras de Bitcoin são seguras?
Isso depende. A opção mais segura é uma carteira de hardware que cujo funcioanmento é offline, sem conexão com a internet. Com as Hardware wallet, não tem perigo de sua carteira ser hackeada, suas chaves serem roubadas e seu Bitcoin roubado. Mas, tem um problema, você não pode perder a carteira, se perder seu Bitcoin já era, mas há uma solução, basta você fazer um backups das chaves.
Que tipo de carteiras eu não recomendo usar?
A opção menos segura é uma carteira on-line, pois o controle das chaves privadas são mantidas pela plataforma que você estará usando, esse tipo de armazenamento é o mais fácil de configurar e usar. A dica é, guardar pequenas quantias nesse tipo de carteira, apenas para fazer alguns pagamentos, mas não para guardar todos os seus Bitcoins.
Vale destacar que seja qual for a opção escolhida, tudo dependerá da sua estratégia. Quer comprar e vender Bitcoin de maneira rápida, ganhando dinheiro aproveitando a volatilidade do mercado? Use uma carteira online. Quer comprar Bitcoin, holdar pensando na aposentadoria? Use uma hardware wallet ou uma paper wallet.
Mas lembre-se, tenha cuidado. Faça o backup de tudo e não se esqueça de mostrar a uma pessoa de confiança como ter acesso aos seus Bitcoin caso aconteça alguma coisa com você.
Portfólios de investimento – Adicione Bitcoin ao seu
É um conceito quase universalmente aceito que a maioria dos portfólios deve incluir uma combinação de investimentos, como ações, títulos, fundos mútuos e outros veículos de investimento. Além disso, todos os profissionais concordam que um portfólio também deve ser balanceado. Ou seja, o portfólio deve conter investimentos com diferentes níveis e tipos de risco para ajudar a minimizar o impacto geral se uma das participações da carteira de investimentos cair significativamente.

Muitos investidores iniciantes cometem o erro de colocar todos os ovos na mesma cesta. Por exemplo, se você investir em uma ação e essa ação disparar, pode fazer uma fortuna. Por outro lado, essa ação pode perder todo o seu valor, resultando em uma perda total do seu investimento. Divulgar seu investimento em várias classes de ativos deve ajudar a reduzir o risco de perder todo o seu investimento. No entanto, lembre-se de que não há garantia de que qualquer estratégia de investimento será bem-sucedida e de que todo o investimento envolve risco, incluindo a possível perda do principal.

Algumas pessoas evitam o investimento em Bitcoin, porque, na maioria das vezes, requer conhecimentos financeiros e informáticos muito avançados para negociar com sucesso e manter os ganhos através de complicados sistemas como por exemplo as carteiras de criptomoedas. Apesar disso, na atualidade, já existem opções profissionais que facilitam a adição de Bitcoins aos portfólios de investimento de maneiras diferentes, incluindo opções para iniciantes. O Bitcoin teve um crescimento meteórico em 2017, superando todos os veículos de investimento tradicionais, e não parece que sua trajetória vá desacelerar em breve.
Um dos maiores conselhos para os iniciantes em investimentos sempre é: “a tendência é sua amiga“. Isso significa que você não precisa tentar ser a pessoa mais inteligente por aí e tentar escolher um investimento na parte superior ou inferior de um mercado. Em última análise, vá com a multidão, porque ela determina a condução do mercado.

Devo investir em Bitcoin?
[/su_note]Sim, porque o preço da moeda está em um nível baixo e estável, o que torna este o momento perfeito para comprar Bitcoin. Além disso, porque o Bitcoin é limitado a um número específico de moedas, seu valor só aumentará à medida que sua demanda aumentar e sua oferta for reduzida. A única coisa que você tem que considerar, será a estratégia sobre como investir em Bitcoin, que dependerá do seu apetite pelo risco.Quanto devo investir em Bitcoin?
A maioria das pessoas compra frações da criptomoeda de acordo com o seu próprio interesse. Um Bitcoin é dividido em oito casas decimais, e a menor fração de um Bitcoin se chama Satoshi(0,00000001) o que significa que você pode comprar frações de Bitcoin, e fazer um investimento muito mais fácil e rápido.

Qual é a melhor maneira de investir em Bitcoin?
O como investir em Bitcoin é igual a como investir em qualquer outro ativo, e existem várias maneiras de lucrar com o crescimento dessa criptomoeda. Por exemplo, você pode investir na própria criptomoeda, pode comprar ações em algo que tenha exposição ao Bitcoin, ou pode comprar derivados da própria criptomoeda. Essas opções são bastante comuns em todos os ativos, e uma opção adequada ao seu portfólio de investimentos dependerá de seus desejos particulares.]

1. Ações
Este é um método indireto de investimento Bitcoin, já que esta criptomoeda descentralizada, não está no mercado de ações, então você teria que investir em ações de empresas que estão aplicando a tecnologia blockchain que o Bitcoin criou em 2009, nos seus negócios.
Exemplos dessas empresas são Microsoft, Oracle e IBM, que estão desenvolvendo tecnologias baseadas no blockchain do Bitcoin e estão posicionadas nos mercados de ações.

2. ETFs
Os fundos de criptomoedas ou os fundos de investimento Bitcoin são modelados da mesma forma que os fundos mútuos ou os fundos negociados em bolsa (ETFs = Exchange Traded Funds).
Você pode depositar seus Bitcoins em uma conta gerenciada por um investidor ou equipe de investimentos experiente, e eles podem trocar seus Bitcoins em seu nome. Eles vão receber uma comissão sobre os lucros e cobrar uma taxa.
Esta opção é frequentemente usada apenas por que detém portfólios de criptomoedas significativos quando procuram formas de investir em Bitcoin, porque as taxas retiram uma grande parte do lucro para titulares de contas menores.

3. Comprar Bitcoin
É possível investir em Bitcoin comprando através de corretoras e sites de exchange, e os procedimentos e regras para comprar através deles são semelhantes: você vai no site deles, registra seu endereço email, adiciona um método de pagamento e prossegue com a compra.
Não obstante, a grande diferença entre eles se reflete na facilidade para comprar Bitcoin, a facilidade de uso da plataforma, as comissões que eles têm em relação às negociações, e acima de tudo, as facilidades oferecidas aos usuários que começam e não sabem como investir em Bitcoin.
Isso acontece devido ao fato de que muitas dessas plataformas e sites de exchange, como Bittrex, Binance ou Coinbase estarem focadas em usuários experientes em investimentos, e, em relação às criptomoedas como Bitcoin, as mesmas estão focadas em usuários com amplo conhecimento em tecnologia da informação.
Por causa disso, nós preferimos a eToro pelas facilidades que oferece e as suas ferramentas, que facilitam o uso da plataforma para qualquer usuário. No entanto, disponibilizamos nossas revisões detalhadas das principais corretoras e sites de exchange, para que você possa tomar uma decisão informada sobre como investir em Bitcoin e outras Altcoins.

4. Minerar Bitcoin
No mundo do investimento Bitcoin, a mineração tornou-se muito competitiva, porque com as grandes instalações de empresas, processamento de dados e os pools que aparecem e desaparecem, muitas dúvidas surgem sobre como começar a minerar Bitcoin, e se ainda vale a pena.
No entanto, devido ao aumento na dificuldade de mineração, todos os fatos a considerar antes de iniciar uma operação de mineração de Bitcoin, e à competitividade incremental mencionada anteriormente, até o momento, comprar Bitcoin é muito mais lucrativo e simples do que sua mineração.

Quais são os melhores sites de investimento em Bitcoin?
Corretoras
Nós recomendamos a eToro pelas facilidades que oferece para investidores iniciantes e experientes no mundo dos investimentos. Você pode dar uma olhada em nossa guia sobre como investir em Bitcoin com eToro, além de conferir as nossas revisões de corretoras como a IQ Option ou a Olymp Trade, para se informar com mais detalhe e tomar uma decisão informada.

Exchanges
Como explicado antes, os sites de exchange não oferecem ferramentas de investimento Bitcoin, porque somente funcionam como ferramenta para eles mesmos ganharem lucros através da troca de moedas e criptomoedas, e estão focadas em usuários experientes, além das múltiplas histórias de ataques de hackers e desaparições desses sites.
Apps de investimento em Bitcoin
Seu smartphone é um excelente recurso para monitorar seus investimentos, porque está com você quase o tempo todo, e há muitos aplicativos por aí que ajudam você a manter o dedo no pulso do mercado do investimento Bitcoin. Você pode dar uma olhada nos aplicativos de sites de negociação de Bitcoin e ações que já revisamos, caso você queira aproveitar ao máximo seu smartphone.
Estratégias de investimento Bitcoin
Como qualquer outro ativo de investimento, Bitcoin pode ser negociado através de várias estratégias, principalmente a curto e longo prazo.
Tudo isso depende principalmente do investimento inicial feito na criptomoeda, dos riscos que você deseja assumir e do objetivo que você deseja atingir com base nesses investimentos.
Diferentes tipos de investidores em Bitcoin

investmentInvestidores de longo prazoGrandes investidores, como exemplificado pelos gêmeos Winklevoss, dedicam grandes somas de dinheiro no investimento de Bitcoin para obter lucros de longo prazo usando uma estratégia chamada HODL. Seu risco de perda também é muito alto, devido à grande aposta feita em um investimento de longo prazo.
Investidores de curto prazo
Investimentos de curto prazo são estratégias mais seguras e recomendadas para investidores que querem obter lucros da maneira mais rápida e segura possível. Essa também é a estratégia mais comum para investidores de moedas fiduciárias e criptomoedas como Bitcoin, já que os resultados são mais rápidos e os riscos muito menores.

Perguntas Mais Frequentes

Quão lucrativo é investir em Bitcoin?
Muito. De acordo com especialistas, seu preço vai disparar perto dos US$60,000 no final deste ano, tornando este o melhor momento para investir em Bitcoin.

O Bitcoin é um investimento seguro?
O Investimento Bitcoin cria uma oportunidade para expandir um portfólio de investimentos de sucesso, além do que oferece uma grande porta de ingresso no mundo dos negócios do futuro.
Devo investir em Bitcoin ou Ethereum?
O Bitcoin é a criptomoeda mais negociada do mundo, enquanto que a Ethereum fica logo a seguir, com um grande potencial de investimento.

Qual e a criptomoeda mais forte?
Bitcoin é a criptomoeda por excelência, e de acordo com especialistas, seu preço vai disparar perto dos US$60,000 no final deste ano, tornando este o melhor momento para todos aqueles que perguntam como investir em Bitcoin
Qual é a melhor maneira de investir em Bitcoin?
Comprar Bitcoin ou derivados da criptomoeda é a melhor maneira de começar no investimento Bitcoin, devido às muitas facilidades que oferece

É difícil começar no investimento Bitcoin?
Na atualidade, existem sites que oferecem ferramentas desenvolvidas por investidores especializados, os quais permitem aos iniciantes em investimentos copiar os seus negócios e gerar ganhos rapidamente. Começar no investimento Bitcoin é mais fácil hoje do que nunca.

É possível prever o preço futuro do Bitcoin?
É possível prever o preço futuro do Bitcoin, analisando os gráficos de preços desta criptomoeda, bem como monitorando continuamente as mudanças no valor do dólar norte-americano, e as posições regulatórias dos governos em todo o mundo, em relação ao Bitcoin.

Quando o Bitcoin terminará de se gerar?
A mineração de Bitcoin é projetada para reduzir o número de blocos (e Bitcoins que eles geram) pela metade a cada quatro anos, e isso significa que o bloco final que cria novos bitcoins ocorreria no ano de 2140, e, por ser uma criptomoeda deflacionária, seu valor continuará a aumentar.




OUTROS TIPOS DE CARTEIRA

-


Golpe rouba Bitcoins de usuários brasileiros da Trezor - prejuízo considerável
2 min de leitura

Golpe rouba Bitcoins de usuários brasileiros da Trezor - prejuízo considerável

Este é um artigo genérico que você pode usar para adicionar conteúdo / assuntos de artigos em seu site.

Leia Mais  

-


Cinco dicas para proteger sua carteira de criptomoedas contra golpes
2 min de leitura

Cinco dicas para proteger sua carteira de criptomoedas contra golpes

Este é um artigo genérico que você pode usar para adicionar conteúdo / assuntos de artigos em seu site.

Leia Mais  

Litecoin Whitepaper


Litecoin Whitepaper
O Litcoin não possui Whitepaper mas coletamos informações fundamentais relacionadas ao projeto e expusemos para que você não fique sem informação a respeito desse projeto.

História
Litecoin foi lançado através de um cliente de código aberto no GitHub em 7 de outubro de 2011 por Charlie Lee, um funcionário do Google e ex-Diretor de Engenharia da Coinbase. [2] [3] A rede Litecoin entrou no ar em 13 de outubro de 2011. Era um fork do cliente Bitcoin Core, diferindo principalmente por ter um tempo de geração de bloco reduzido (2,5 minutos), número máximo de moedas aumentado, algoritmo de hashing diferente (scrypt, em vez de SHA -256), e uma GUI ligeiramente modificada.
Durante o mês de novembro de 2013, o valor agregado de Litecoin experimentou um crescimento massivo que incluiu um salto de 100% em 24 horas.

Em maio de 2017, a Litecoin se tornou a primeira das 5 principais criptomoedas (por valor de mercado) a adotar a Testemunha Segregada. Mais tarde, em maio do mesmo ano, a primeira transação da Lightning Network foi concluída por meio da Litecoin, transferindo 0,00000001 LTC de Zurique para São Francisco em menos de um segundo.
Diferenças do Bitcoin
Litecoin é diferente em alguns aspectos do Bitcoin.

1. A Rede Litecoin visa processar um bloco a cada 2,5 minutos, em vez dos 10 minutos do Bitcoin. Isso permite que o Litecoin confirme transações muito mais rápido do que o Bitcoin.

2. Litecoin usa scrypt em seu algoritmo de prova de trabalho, uma função de memória sequencial que requer assintoticamente mais memória do que um algoritmo que não é difícil de memória.

3. Devido ao uso do algoritmo scrypt pelo Litecoin, dispositivos FPGA e ASIC feitos para minerar Litecoin são mais complicados de criar e mais caros de produzir do que para Bitcoin, que usa SHA-256.
Não há whitepaper Litecoin. No entanto, eles fizeram uma apresentação em vídeo para mostrar sua tecnologia.
Você pode ver o vídeo aqui:


PODCAST RÁDIO BITCOIN - clique em "..." depois em seguir no spotfy para acessar outros podcasts


CRIPTONÁRIO


CRIPTONÁRIO

Os termos estão em português e inglês. Para facilitar a busca, procure o conceito que deseja conhecer a definição com a função Ctrl+F de seu teclado.



  • A
     Altcoin
Geralmente refere-se a qualquer criptomoeda que não seja o bitcoin.
De certa forma, essa denominação vem se tornando obsoleta porque o bitcoin está perdendo participação de mercado para outras criptomoedas.

Ataque de 51% (51% percent attack) 
Protocolos abertos de blockchain são vulneráveis a ataques que poderiam tirar proveito da necessidade de consenso.
Se mineradores são capazes de controlar 51% dos nós que operam a rede, eles podem manipular regras fundamentais e assumir o controle do sistema adotando suas próprias mudanças no código e substituindo a necessidade de outros envolvidos no sistema concordarem com essas mudanças antes de serem implementadas.

Ativos digitais (digital assets)
Descrever uma criptomoeda simplesmente como moeda é considerado uma maneira empobrecida para explicar o que são ativos digitais emergentes.
O termo criptomoeda pode ser um pouco confuso (uma vez que, em certa medida, os tokens digitais não satisfazem todas as funções de dinheiro).
Ao invés disso, denominar criptomoedas como ativos digitais traduz melhor valor intrínseco destes instrumentos.

Assinatura múltipla (multi-sig)
Rrefere-se a um endereço de criptomoeda que necessita de mais de uma chave privada para transferência de fundos.
A função de assinatura múltipla é comumente usada em transações comerciais nas quais uma empresa não quer que apenas uma pessoa tenha as chaves de um endereço.
Também é utilizada em transações feitas por meio de uma conta-garantia (escrow) ou quando aplicações necessitam camadas extras de segurança.

Tecnicamente falando em fim assinatura criptográfica é um mecanismo matemático que permite que alguém prove ser o proprietário. No caso do Bitcoin, a carteira Bitcoin e suas chave(s) privada(s) são ligadas por alguma mágica matemática. Quando o seu programa Bitcoin assina uma transação com a chave apropriada, toda a rede poderá ver que a assinatura é igual aos bitcoins que forem gastos. No entanto, não existe uma maneira para o mundo adivinhar a sua chave privada para roubar os seus bitcoins ganhos com seu trabalho suado.

Asset

Refere-se a um ativo. No mundo das criptomoedas, refere-se a um tipo de Token que pode representar qualquer coisa (física ou não) e é transferida digitalmente.

Airdrop
Distribuição de criptomoedas completamente gratuita. Elas são distribuídas entre todos os usuários que atendem a vários requisitos.

Altcoin

Uma altcoin, ou moeda alternativa, é bastante autoexplicativa. Uma altcoin é toda alternativa de criptomoeda ao Bitcoin - . Altcoins podem diferir da Bitcoin de todas as formas possíveis, como mecanismos de mineração, métodos de distribuição de moedas ou a capacidade de criar aplicativos descentralizados. Embora o Bitcoin seja inovador e massivamente influente, ele tem alguns problemas que os desenvolvedores estão tentando consertar com seus próprios produtos. Existe uma altcoin que faz transações mais rápidas, existe outra que é menos volátil, uma que é mais privada e assim por diante. Há mais de um milhão e meio de altcoins no mercado no dia em que este texto é escrito, de acordo com a coinmarketcap.com. As Altcoins estão desempenhando um papel muito importante expandindo os limites das possibilidades de blockchain e o escopo das aplicações.

Altura de bloco (Block Height)
É um número que indica a posição de um bloco específico dentro da cadeia de blocos (blockchain). Como o hash do bloco, ele também pode ser usado como um identificador para localizar um determinado bloco.
Árvore Merkle (Merkel tree)
Nome que recebe a estrutura que relaciona todas as transações de um bloco e as agrupa entre pares com o objetivo de obter um hash que atua como um identificador único (chamado Root Hash) para todas essas transações.

ASIC
Acrónimo em inglês de circuito integrado de aplicação específica, são equipamentos de informática especializados em cálculos computacionais concretos. Há uma variedade de ASICs especializados em mineração de criptomoedas. Inicialmente eles foram desenvolvidos para o algoritmo Bitcoin, mas agora podemos encontrá-los para quase todos os algoritmos existentes.

ASIC Resistant
Protocolo implementado dentro de uma criptomoeda, que impede o uso de ASICs para mineração. Isso acontece em criptomoedas baseadas em mineração por prova de trabalho (PoW) com o objetivo de evitar a centralização da mineração em poucas mãos com muito dinheiro.
Ataque de 51%
Tentativa de obter o controle de uma criptomoeda, obtendo 51% ou mais do poder da rede ou das criptomoedas da rede.



  • B
     Baleia (whale) 
É uma pessoa ou entidade que possui uma posição importante, ou seja uma grande quantidade, em criptomoedas.
As baleias podem influenciar o preço quando vendem.

À medida que as criptomoedas amadurecem, ou o valor de mercado (market cap) delas aumenta, é possível que as baleias tenham uma influência menor nas flutuações de preços das moedas digitais.
Bifurcação da rede (fork): divisão no código que sustenta o sistema da blockchain.
A blockchain pode ser bifurcada por uma série de motivos: desde atualizações de códigos planejadas até cenários de mudança completa do sistema.

As bifurcações simples de rede (soft forks) referem-se a atualizações ou alterações de código planejadas e que não alteram a estrutura base ou o funcionamento do sistema da blockchain.
Uma bifurcação complexa da rede (hard fork) é uma mudança que pode ter impactos consideráveis na blockchain e nas moedas relacionadas.
As bifurcações complexas de rede são difíceis de implementar, e devido à necessidade de consenso para gerenciar as redes descentralizadas, como o bitcoin e o ethereum, pode resultar em duas redes diferentes.

Bit
Bit é uma unidade de medida comum usada para designar uma subunidade de um bitcoin - 1.000.000 bits é igual a 1 bitcoin (BTC). Esta unidade é geralmente mais conveniente para representar preços de bens e serviços.

BTC
BTC é uma unidade de medida comum usada para designar um bitcoin.

Baleia (whale)
Um termo simbólico que descreve uma pessoa ou grupo de pessoas coordenadas entre si que acumulam grandes quantidades de uma moeda e são capazes de mover o mercado (a maré) para aumentar ou diminuir os preços (as ondas).

BIP
Bitcoin Improvement Proposal é um procedimento que foi consolidado como padrão para propor novas funcionalidades no Bitcoin. Este procedimento foi proposto e descrito no BIP0001 por Amir Takir em 2011.

Bitcoin (minúsculo)

Refere-se à unidade de medida. É a unidade de conta da rede Bitcoin. Um bitcoin é divisível em 100 milhões de pedaços, satoshis.

Bitcoin (maiúsculo)
Rede e protocolo de pagamento de usuário aberto e gratuito, não pertencente a nenhuma empresa ou governo, que gerencia um livro descentralizado chamado Blockchain através de matemática avançada (criptografia).

Bitcoind
Primeiro cliente Bitcoin a implementar um protocolo de comando usando chamadas de procedimento remoto. É licenciado pelo MIT em versões de 32-bit e 64-bit para sistemas baseados em Windows, Mac OS X e GNU/Linux.

Bitcoin Cash (BCH)
É uma criptomoeda que nasceu em 1º de agosto de 2017 como resultado da mais notória bifurcação da rede Bitcoin até agora. Nasceu com o objetivo de alcançar a realização de pagamentos e oferecer maior capacidade de transações por segundo, menos comissões e validação mais ágil. Seu símbolo mais comum em mercados e locais onde é aceito é o BCH.

Bitcoin Evangelist
Nome dos usuários que se dedicam à difusão do Bitcoin tornando conhecida sua operação, vantagens e precauções.

Blockchain
É o primeiro tipo de rede distribuída baseada em criptografia na qual a informação é armazenada em um conjunto de blocos entrelaçados. Permite a validação de informações e a troca de valores entre pares sem autoridade emissora central ou administrador central.

Blockchain permisionada (Permissioned Ledger)
É uma blockchain privada onde seus nós devem ser previamente autorizados por uma entidade central. As transações incorporadas no livro-razão, tiveram um teste de consenso limitado e foram feitas por participantes confiáveis, sendo mais simples de manter e mais rápidas que as redes de acesso aberto.

Blockchain pública (Public Ledger)
Ao contrário de uma blockchain permitida, a blockchain pública, como o Bitcoin, é completamente livre e pública, qualquer um pode fazer parte dela e ninguém a controla. Eles são resistentes à censura, pois nenhuma entidade central é impedida de impedir que uma transação ocorra.

Block Explorer (Explorador de blocos)
Web site onde você pode ver as informações e o estado das transações de uma rede pública blockchain, e, portanto, verificar o estado de uma transação realizada com uma certa cryptomoeda.

Bloco
Um elemento fundamental da blockchain criada pelos mineiros e que permite vincular as transações realizadas em uma rede. Os blocos são criados em intervalos de tempo e ligam novas transações a transações existentes na cadeia de blocos. Se podemos dizer que a blockchain é como um livro de contabilidade digital, cada bloco seria cada uma das páginas desse livro.

Bloco Génesis
O primeiro bloco que foi gerado na rede Bitcoin. Foi extraído por Satoshi Nakamoto em 3 de janeiro de 2009.

Bloco Órfão

São blocos que foram resolvidos corretamente, mas por diferentes razões os demais nós da rede não o aceitam por consenso.


  • C
     Carteira
A carteira Bitcoin é mais ou menos o equivalente a carteira física na rede Bitcoin. A carteira na realidade contém a sua chave(s) privada que permite que você gaste os bitcoins alocados a ela na corrente de bloqueio. Cada carteira Bitcoin pode mostrar a você o balanço de todos os bitcoins que controla e deixa que você pague uma quantia específica a uma pessoa específica, exatamente como uma carteira real. Isto é diferente de cartões de crédito onde você é cobrado pelo comerciante.

Confirmação
Confirmação significa que uma transação foi processada pela rede e é altamente improvável que seja revertida. As transações recebem uma confirmação quando são incluídas em um bloco e para cada bloco subseqüente. Mesmo uma única confirmação pode ser considerada segura para transações de baixo valor, embora para quantias maiores como $ 1.000 USD, faça sentido esperar 6 confirmações ou mais. Cada confirmação diminui exponencialmente o risco de uma transação invertida.

Cadeia de blocos (blockchain)
É uma tecnologia que visa a descentralização como medida de segurança.
São bases de registros e dados distribuídos e compartilhados que possuem a função de criar um índice global para todas as transações que ocorrem em um determinado mercado.
Funciona como um livro-razão, só que de forma pública, compartilhada e universal, que cria consenso e confiança na comunicação direta entre duas partes, ou seja, sem o intermédio de terceiros.

Está constantemente crescendo à medida que novos blocos completos são adicionados a ela por um novo conjunto de registros. Os blocos são adicionados à blockchain de modo linear e cronológico.
Cada nó — qualquer computador conectado à essa rede tem a tarefa de validar e repassar transações — obtém uma cópia da blockchain após o ingresso na rede.
A blockchain possui informação completa sobre endereços e saldos diretamente do bloco gênese até o bloco mais recentemente concluído.
A blockchain é vista como a principal inovação tecnológica do bitcoin visto que é a prova de todas as transações na rede.
Seu projeto original tem servido de inspiração para o surgimento de novas criptomoedas e de bancos de dados distribuídos.

Carteira digital (wallet)
Peça vital do sistema de criptomoedas e algo que os usuários precisam ter familiaridade para armazenar com segurança suas moedas digitais.

As criptomoedas são desenhadas usando chaves criptográficas pública e privada.
A chave pública é uma série única de letras e números que é visível a todos e pode ser identificada na blockchain.
A chave privada é mantida apenas pelo usuário custodiante da moeda digital e é necessária para acessar os fundos e completar transações.
Ou seja, a chave pública pode ser compartilhada com outras pessoas com o objetivo de, por exemplo, receber fundos.
Já a chave privada jamais pode ser revelada ou armazenada de maneira digital, pois pode ser roubada por hackers.
Existem vários tipos de carteiras, incluindo carteiras em papel e carteiras-dispositivo (hardware wallet) que são usadas para armazenar as moedas digitais de maneira off-line.
Este dois exemplos são considerados formas de armazenamento frio (cold storage ou cold wallet).
Por outro lado, a forma de armazenamento quente (hot storage ou hot wallet) é uma carteira que pode ser acessada on-line, o que facilita realizar transações, mas pode ser vulnerável a ataques.
Uma carteira digital em seu celular é um exemplo de hot wallet.

Conheça Seu Cliente (Know Your Customer, KYC) 
São procedimentos que pretendem evitar que pessoas utilizem criptomoedas para lavagem de dinheiro ou para financiar outras atividades criminosas.

Obrigam as corretoras de criptomoedas à exigirem de seus usuários informações básicas de identificação antes de permitir transações entre moedas fiduciárias e criptomoedas.

Consenso (Consensus)
Este é o pilar central das blockchains abertas, como a do bitcoin e de outras criptomoedas.
Atingir o consenso é um processo de tomada de decisão complexo, contudo é necessário para que um sistema opere de maneira verdadeiramente descentralizada.
O consenso é obtido a partir dos usuários que rodam nós (computadores) da rede e sinalizam suas preferências em relação a alterações no código e atualizações.
Se uma quantidade suficiente de nós aceitar uma mudança no código, então aquela alteração é implementada por todos os participantes da rede antes que novos blocos sejam adicionados na blockchain.

Contrato inteligente (smart contract)
A possibilidade de usuários interagirem em um ambiente não confiável e poderem verificar informações sem a necessidade de terceiros é a proposta do contrato inteligente da ethereum.
Os contratos inteligentes podem ser definidos antecipadamente pelas partes, executados em algoritmo e verificados na blockchain, tudo sem a necessidade de um intermediário.

Contratos inteligentes podem ser usados para economizar tempo e dinheiro, e é esperado que tornem-se cada vez mais úteis e populares, pois cada vez mais dispositivos estão conectados à internet executando interações mais complicadas com o passar do tempo.

Corretora ou casa de câmbio (exchange)
Plataforma on-line para comprar e vender criptomoedas utilizando moeda tradicional emitida pelo governo (moeda fiduciária), ou para executar trocas entre diferentes criptomoedas.
A maioria das corretoras legítimas que aceita moeda fiduciária para compra de criptomoeda adere, em algum nível, ao procedimento conhecido como “Conheça Seu Cliente (Know Your Customer, em inglês)”, destinado a prevenir lavagem de dinheiro e outras atividades criminosas.
Essas medidas exigem que os clientes revelem informações básicas de identificação antes de realizarem transações.
As corretoras têm níveis diferentes de exigência de identificação dos seus clientes, de modo que seus usuários devem compartilhar informações em relação a quanto e com que frequência estão trocando criptomoeda por moeda fiduciária.

Criptomoeda (Cryptocurrency)
Esta palavra geralmente refere-se a tokens digitais ou moedas digitais que são produzidas por um sistema de blockchain, como o bitcoin e o ethereum.
Existem outras formas de dinheiro digital, como unidades de valor produzidas dentro de video games ou, até mesmo, sistemas alternativos de dinheiro baseados em plataformas digitais, como o e-gold.
Porém, estes sistemas não são criptomoedas.
Devemos notar também que mesmo se uma blockchain tiver um token digital associado, ele pode não ser necessariamente considerado uma criptomoeda.
Como o próprio nome diz, criptomoedas apoiam-se em criptografia para prover segurança e proteger (ou ao menos blindar) a identidade dos usuários.
Criptomoedas compartilham algumas características do dinheiro tradicional respaldado pelo governo, pois algumas são usadas como reserva de valor ou meio de troca.
Contudo, criptomoedas continuam a ser reguladas diferentemente ao redor do mundo.
Em alguns países, criptomoedas são consideradas dinheiro, em outros elas são reguladas como commodities ou valores mobiliários.

Checksum
Função Hash que tem a missão de detectar mudanças acidentais dentro de uma sequência de dados e proteger a integridade dos mesmos, verificando que não há alterações entre a verificação inicial e a transmissão final.

Chave privada
Um conjunto de caracteres de qualquer tipo que são gerados aleatoriamente e têm a função de uma senha única e intransferível. Ele é gerado com base em um algoritmo matemático e é sempre acompanhado por outro texto chamado chave pública. Ao contrário da chave pública, a chave privada NUNCA deve ser revelada, dada ou perdida.

Chave pública
Identificador pessoal baseado na nossa chave privada que podemos partilhar sem medo com outras pessoas. Em criptomoedas são usadas para gerar endereços para os quais outras pessoas podem enviar criptomoedas.

Coinbase (conceito)
Também chamada “Generation Transaction”, é um tipo de transação especial no protocolo de criptomoedas como Bitcoin, que ao contrário de uma transação normal, a origem da transação vem “do nada”. Ocorre quando um mineiro cria um bloco e é o tipo de transação pela qual novas criptomoedas entram em circulação.

Coinbase (Exchange)
Casa de câmbio localizada em São Francisco, Califórnia, que permite a troca de criptomoedas por dinheiro fiduciário e vice-versa.

Cold Wallet
Carteira que não está conectada à blockchain, mas cujas moedas estão dentro da blockchain. Pode ser um USB que armazena moedas ou uma folha de papel com um código QR.

Collectible token (token coleccionável)
São elementos coleccionáveis da cadeia de blocos Ethereum da ERC-721, em que cada ficha se refere a um elemento único com um determinado valor. O que se tornou mais popular é o CryptoKitties, mas há muitos outros.

Comissão de rede
É a comissão que cada usuário de Bitcoin paga ao realizar uma transação nesta rede e faz parte dos incentivos que os mineiros recebem pelo seu trabalho para manter a rede ativa e operativa. Cada criptomoeda estabelece o valor mínimo das comissões.

Consenso
O consenso é baseado no fato de que todos os membros da blockchain devem concordar com a validação dos blocos e seu conteúdo.

Criptomoeda
É um tipo de token criptográfico baseado na tecnologia blockchain que atua como um ativo monetário, pois permite a transferência e a reserva de valor.

Criptografia assimétrica
También denominada criptografía de clave pública se utiliza para enviar mensajes en base a un par de claves, una es la clave pública y la otra la clave privada. Ambas participan en el cifrado de la información trasferida, así como en la verificación de que la información original no ha sufrido alteraciones.

Criptografia simétrica
Chamado criptografia de chave secreta ou uma chave, que serve para criptografar e descriptografar a mensagem no remetente e no destinatário, que concordaram com a chave para usar para criptografar a mensagem enviada pelo remetente e descriptografá-la pelo destinatário.

Cypherpunk (também cipherpunk)
Surge da mistura de ‘cipher’ e ‘cyberpunk’, e é o termo usado para nomear ativistas que promovem o uso de criptografia e tecnologias que garantem a privacidade do indivíduo na troca de informações e valor através da mídia digital. Esta denominação foi formalmente estabelecida e difundida a partir de 1992 por Timothy May e John Gilmore, entre outros. As idéias, motivações e propostas da cultura cypherpunk são condensadas desde 1994 em um documento intitulado ‘Cyphernomicon’


Efeito de rede (network effect) 
Refere-se à ideia de que algo se torna mais valioso à medida que mais pessoas o usam.
Empresas e serviços de tecnologia baseadas em usuários são bons exemplos.
O Facebook, por exemplo, torna-se mais valioso à medida que mais pessoas usam a plataforma.
No universo cripto, o bitcoin tem efeito de rede pois foi a primeira grande moeda a atingir uma base ampla de usuários.

Gás
Otermo refere-se ao custo necessário para concluir transações na rede ethereum.
O gás é um reflexo de recursos computacionais que a blockchain do ethereum necessita para verificar e armazenar uma transação.
A ideia por trás do gás é a cobrança de uma taxa que tornará o sistema mais sustentável, especialmente quando o ethereum alterar sua forma de obtenção de consenso de prova de trabalho (proof-of-work) para prova de participação (proof-of-stake).

Hash 
Hashing é o processo de verificação da blockchain que utiliza um algoritmo de hash seguro (no caso do bitcoin, o algoritmo de hash seguro é chamado de SHA 256).
As mineradoras usam o hashing para acessar a blockchain e competir por novos bitcoins.
O processo requer alto poder computacional, portanto, as mineradoras tentam continuamente construir plataformas mais sofisticadas, o que contribui para o seu poder de hash.

Hodl
Essa é uma das palavras que inspirou o desenvolvimento do criptonário.
É uma palavra específica do universo cripto que surgiu em uma conversa famosa sobre bitcoin. “Hodl” é um trocadilho com a palavra hold (manter, segurar, deter).
É um jargão da internet muito conhecido pelos entusiastas das criptomoedas. “Hodl” significa resistir à venda dos ativos digitais durante uma queda de mercado, ou quando uma moeda perde muito valor.

Imutabilidade (Immutability)
Rrepresenta uma viagem sem volta. Imutabilidade significa que, uma vez que um bloco é verificado e adicionado à blockchain, o conteúdo daquele bloco (como os detalhes das transações) não pode ser editado ou alterado.
O conceito de imutabilidade é a chave para a confiança e funcionamento da blockchain.
Desenvolvedores da ethereum viraram manchete quando decidiram substituir a imutabilidade da sua rede após o ataque hacker, em 2016, à plataforma The DAO (A Organização Autônoma Descentralizada, uma espécie de plataforma para desenvolvimento de dApps).
O histórico da rede foi revertido para recuperar os milhões de dólares que haviam sido sequestrados pelo golpista digital e, consequentemente, devolvê-lo aos investidores originais.

A decisão resultou em um hard fork (bifurcação na rede) que criou duas redes: ethereum (nova rede) e ethereum classic (rede original).

Internet das coisas (Internet of things)
Descreve um cenário de hiperconectividade no qual dispositivos, desde itens domésticos até redes inteiras de energia, estão conectados à internet.
Presume-se que a hiperconectividade ou a coleta e monitoramento de informações em tempo real levará à melhoria da qualidade de vida e aumento da eficiência (em termos de uso de energia, por exemplo).
A infraestrutura de internet existente hoje é um fator limitante para o aumento da capacidade da internet das coisas.
A tecnologia blockchain, principalmente por meio dos contratos inteligentes (smart contracts) e redes confiáveis, é vista como um componente chave para o desenvolvimento da internet das coisas.

Internet do dinheiro (Internet of value)
A internet que existe hoje é categorizada como a internet da informação.
O surgimento da blockchain e das criptomoedas tem possibilitado a existência de sistemas de valor que não estão relacionados a sistemas financeiros tradicionais, mas que também podem ser usados para armazenar, verificar e transferir valores, tais como votos eleitorais, direitos autorais e propriedade intelectual.
Assim como a internet mudou a forma como nos informamos e nos comunicamos, uma nova maneira mais segura para a troca de valor está prestes a revolucionar os setores comercial e financeiro, com a criação de bens e serviços que ainda não existem.

Investimento em protocolos (protocol investing)
Estratégia que exige que investidores se concentrem em escolher e investir em protocolos de blockchain que formam base para os sistemas das criptomoedas.
Bitcoin é um protocolo, assim como ethereum e outras moedas digitais.
A lógica implícita do investimento em protocolos é que, à medida que mais aplicativos, produtos e serviços são criados, o protocolo base torna-se mais valioso.

Livro-razão distribuído (distributed ledger)
Este é outro termo, mais descritivo, que representa o que é blockchain.
Livros-razão distribuídos utilizam, como base, redes de pessoa para pessoa (peer-to-peer) para criar um sistema confiável de verificação, no qual computadores, dispositivos diversos e indivíduos conectados à internet possam trocar valor sem a necessidade de nenhum tipo de intermediário.

Lunático (moon kid)
Pessoa que defende a teoria de que o valor das criptomoedas atingirá proporções astronômicas.
Geralmente, essas pessoas postam memes nas redes sociais relacionando o aumento do valor de determinada moeda à foguetes sendo lançados ao espaço, e coisas do tipo.
Tais memes são rotulados com frases como “para a lua” (to the moon).
Os garotos da lua são sempre otimistas durante as ondas de alta (bull trend) e relativamente silenciosos durante os períodos de baixa (bear trend). Nunca tome conselhos de investimentos de um lunático.

Mão de alface (weak hand)
Oposto do hodler (aquele que segura as moedas digitais como investimento de longo prazo).
Tampouco podemos chamá-lo de operador de mercado (trader).
O “mão de alface” se livra das suas moedas durante as baixas de mercado por não entender o verdadeiro potencial ou a vantagem da tecnologia. Não seja um “mão de alface”.

Minerador (miner)
Pparte fundamental do sistema de prova de trabalho para validar e manter a blockchain.
As mineradoras dedicam poder computacional (hash power) para resolver problemas matemáticos, o que resulta na criação de linhas de códigos de dados verificados que são adicionados à blockchain.
As mineradoras são recompensadas por seu trabalho recebendo novas criptomoedas caso sejam as primeiras a verificar um bloco (que pode conter centenas de transações individuais).
Um novo bloco também contém dados do bloco anterior, ou seja, o sistema é construído sobre si mesmo, evitando fraudes ou alterações uma vez que é difícil voltar e manipular um bloco individualmente.
Embora a mineração, ou prova de trabalho, seja interessante na perspectiva computacional, requer muita energia e equipamentos especializados para explorar os principais sistemas da blockchain.

Moeda fiduciária (fiat)
É o dinheiro tradicional. Moedas legalmente reconhecidas, criadas e controladas pelos governos, geralmente através de bancos centrais ou de alguma agência centralizada similar.
O fornecimento das moedas fiduciárias mais modernas não está vinculado a qualquer commodity, como por exemplo o ouro, e pode ser criado pelos governos para lidar com percalços financeiros ou econômicos, levando a situações inflacionárias, que geralmente desvalorizam a força da moeda.

Oferta Inicial de Criptomoeda (Initial Coin Offer, ICO)
Foi assim que alguns projetos de criptomoedas surgiram.
As ofertas iniciais de criptomoedas são uma espécie de cruzamento entre campanhas de financiamento coletivo e oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do mercado de ações.
A principal diferença é que existe uma barreira de entrada pequena para entrar em uma ICO.
Com esforço mínimo, qualquer um pode escrever um artigo técnico e propor uma nova rede ou um novo token com base em uma rede já existente.
É provável que as ofertas iniciais de moedas futuras sejam examinadas pelos reguladores com mais rigor.

Pagamento de pessoa para pessoa (peer-to-peer payment)
A confiabilidade de uma transação digital de pessoa para pessoa foi uma das maiores motivadoras para a criação e a rápida adesão do bitcoin.
A ideia era simples: como os usuários poderiam fazer negócios entre si através da internet sem a necessidade de envolver um intermediário, como um banco, uma empresa de cartão de crédito ou outro serviço de pagamento.
A remoção do intermediário significava que os usuários precisariam de outra maneira para poder confiar uns nos outros antes de executar uma transação.

Para suprir essa necessidade surge a blockchain.
Pessoas, grupos e empresas agora têm um sistema confiável para enviar ativos digitais de um lado para o outro sem a necessidade de passar por um intermediário.
O objetivo dos sistemas da blockchain é tornar as transações mais rápidas e baratas.
Usuários também podem realizar micropagamentos, ou seja, pequenas frações que antes eram muito pequenas para serem rentáveis.

Poder de computacional de mineração (hash power)
As moedas digitais são criadas quando mineradores resolvem complexos problemas matemáticos ao verificar e armazenar dados em blocos.

Criar esses blocos requer uma quantidade cada vez maior de poder computacional.
O poder computacional de mineração é uma medida da capacidade de uma mineradora ou um equipamento de mineração usado para criar e manter blocos.
As mineradoras que procuram lucrar, especialmente por meio da mineração de moedas mais estabelecidas, buscam continuamente maneiras de aumentar seu poder de hash.
Algumas empresas têm criado operações de mineração elaboradas e caras para aumentar o poder de hash, mas o processo requer altos custos de energia.

Protocolo aberto (open protocol)
Blockchains como o bitcoin e o ethereum são protocolos abertos que permitem a participação de qualquer usuário ligado a um computador.
Por sua natureza, protocolos abertos são descentralizados, isolando-os de alguns tipos de falhas de segurança.
Protocolos abertos dependem do consenso para tomar decisões e implementar mudanças no código que alimenta a blockchain.

Prova de participação (proof-of-stake)
aAssim como prova de trabalho, a prova de participação é um algoritmo utilizado para encontrar consenso em uma cadeia de blocos.
Ao invés de usar poder computacional complexo (que requer muita energia) para verificar transações e criar blocos, as provas de participação da blockchain são verificadas por usuários que possuem a moeda.
A confiança da Blockchain é garantida pelo proprietário, diferente do modelo de prova de trabalho.
A lógica é de que os mineradores que participam do modelo de prova de participação trabalhem para manter a integridade da blockchain com intenção de manter o valor da moeda digital.
Também existe aleatoriedade integrada no modelo prova de participação projetada para evitar a centralização do poder.

Prova de trabalho (proof-of-work)
Sistema para verificar e manter uma transação da blockchain, utilizado por muitas moedas digitais.
A prova de trabalho requer alto poder computacional para resolver um problema, mas permite verificação com mais facilidade, tornando-se uma ferramenta útil para prevenir coisas como spam de e-mail e outros vírus.
No universo cripto, a prova de trabalho é usada para incentivar as mineradoras a dedicar o poder computacional para verificar transações da blockchain.

Sem necessidade de permissão (permissionless)
Uma das principais características da blockchain ou dos livros-razão distribuídos é que eles não possuem necessidade de permissão, ou seja, qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode baixar um nó (um software para computador) e se tornar parte da rede.
Os usuários do nó podem acessar os dados criptografados do bloco.
Hospedar um nó, ou oferecer energia do computador para ajudar a criar e manter a rede, é diferente de ser um minerador.

Testemunha segregada (Segregated Witness, SegWit)
Refere-se à uma mudança no código do bitcoin.
O SegWit incorpora alguns reparos importantes na blockchain com o objetivo final de aumentar a eficiência das transações de bitcoin.
Antes de ser ativado na rede, em agosto de 2017, houve muito debate entre mineradores e desenvolvedores em torno dessa alteração do código. O SegWit abre caminho para que outras propostas de escalabilidade da rede do bitcoin sejam implementadas.



  • D
    DAICO
Evolução de uma ICO. O investimento é integralmente arrecadado na fase da ICO, mas os fundos são liberados à medida que o progresso é alcançado no desenvolvimento, metas estabelecidas são alcançadas ou financiamento contratado é necessário. O DAICO foi criado para que os investidores tenham controle de liquidez.

DAPP
São aplicativos descentralizados que são executados de forma autônoma, armazenando os dados dentro do blockchain e operando de acordo com os parâmetros estabelecidos.

É uma entidade autônoma de código aberto que pode ser atualizada ou modificada por um grupo de usuários mediante consenso.
O objetivo de um dApp é remover a necessidade de autoridade central, como governos ou corporações.
Exemplo: um aplicativo de compartilhamento de caronas (como o Uber) sem nenhuma empresa por trás.
As transações entre as pessoas ocorre por meio do aplicativo sem a existência de um intermediário.

O bitcoin pode ser considerado um dApp
Um dos primeiros dApps da rede do Ethereum foi hackeado, o que gerou uma enxurrada de controvérsias e levou a rede do ethereum a passar por um hard fork (bifurcação da rede).
Os dados dos usuários em um dApp são criptografados em uma blockchain pública para prevenir a existência de um ponto único de falha.
dApps também usam tokens de uma blockchain existente ou produzem seus próprios tokens para incentivar a manutenção e operação da aplicação. O site Github possui um extenso documento técnico sobre aplicações descentralizadas.

DAO (Decentralized Autonomous Organization)
A tradução é Organização Autônoma Independente. Eles são sistemas open source e descentralizados que não precisam de um operador humano ou controlador financeiro. Eles podem operar independentemente de seus desenvolvedores e terceiros, uma vez que os requisitos pré-acordados sejam atendidos e refletidos em um smart contract (contrato inteligente).

Deflação
Processo da economia em que o custo dos produtos diminui fazendo com que o valor do dinheiro fiduciário aumente, provocando assim uma monopolização do dinheiro fiduciário para adquirir os produtos ao menor preço possível.

Descentralização
Elemento fundamental em uma criptomoeda e uma das propriedades básicas. Baseia-se no fato de que usuários e não empresas privadas, estados ou outros órgãos centralizados, que validam operações e determinam o valor de uma moeda.

Descentralizado
Termo usado para indicar que por trás de uma criptomoeda e sua rede de blockchain não existe uma empresa privada, agência ou estado que a regule, controle ou manipule.

Dificuldade
É o valor que indica o grau de complexidade do problema que deve ser resolvido em uma Prova de Trabalho da rede blockchain. É variável e seu valor depende da potência da rede e da potência do minerador, ajustando-se automaticamente de acordo com o estado da rede.

Endereço Bitcoin

É um identificador que contém entre 27 e 34 caracteres alfanuméricos e geralmente começa com 1 ou 3. Eles são gerados de forma simples por meio de um tipo de programa chamado wallet ou carteira. Bitcoin é um sistema baseado em criptografia assimétrica, então quando você gera um endereço Bitcoin, você gera duas chaves: publica e privada. Um endereço de Bitcoin é simplesmente a chave pública, que você usa para receber o dinheiro e exibir seu “número de conta” Bitcoin.

Change Address
Estes são endereços implementados em carteiras Bitcoin que permitem que a ‘mudança’ seja devolvida ao usuário. Essa mudança é semelhante à que recebemos quando compramos e a diferença entre o valor dado e o valor cobrado pela loja é devolvida para nós.

DLT (Distributed Ledger Technology)
Acrônimo de Distributed Ledger Technology. É um termo que engloba toda a categoria de redes descentralizadas ou sistemas de consenso distribuídos que existem. A categoria de ‘redes DLT’ compartilha a característica de que eles não precisam de um banco de dados central ou de uma entidade central que toma decisões. O primeiro DLT funcional e operacional era a rede blockchain do Bitcoin, que funciona continuamente desde 2009.

Doble gasto
Operação fraudulenta de dinheiro de natureza digital que se baseia em usar duas vezes as mesmas moedas para comprar ou pagar alguma coisa. Esse tipo de falsificação é um dos principais problemas que o Bitcoin resolve.

Endereço
O endereço Bitcoin é semelhante ao endereço físico ou a um email. É a única informação que você precisa fornecer a alguém para pagá-lo com Bitcoin. Uma importante diferença, no entanto, é que cada endereço deve ser usado para uma simples transação.


  • E
     ECDSA (Elliptic Curve Digital Secure Algorithm)
O sistema de criptografia de curva elíptica é utilizado para obter a chave pública a partir da chave privada, podendo assinar transações. É impossível obter a chave privada da chave pública.

EIP (Ethereum Improvement Proposal)
É um padrão para fazer propostas de melhoria para o Ethereum e que deve ser aprovado pela comunidade. Eles são de um formato específico e fornecem informações técnicas específicas sobre a proposta e uma justificativa da proposta. Existem diferentes tipos de EIP.

ERC-20 / ERC-223 / ERC-721 / ERC-777 / DEFI / NFT / BIP
São as denominações de diferentes padrões para a criação de tokens criptográficos baseados na rede Ethereum.

BINANCE CHAIN - BEP2
BINANCE SMART - BEP20 (BSC)
outros padrões criados pela Binance (Exchange)


  • E
     Escrow
São contratos de depósitos em garantia onde o dinheiro está em fase de reserva através de um terceiro que garante o cumprimento das partes envolvidas.

Ether
Criptomoeda da rede Ethereum

Ethereum
Uma rede de código aberto baseada na tecnologia blockchain, cuja proposta é o desenvolvimento de aplicações descentralizadas com a intenção de evitar censura, tentativas de fraude ou a interferência de terceiros nelas.

EVM (Ethereum Virtual Machine)
Máquina virtual Turing completa cuja missão é executar o código do EVM. Os nós do Ethereum operam dentro do EVM para manter o consenso do blockchain.

Exchange
Casa de câmbio digital que permite trocar dinheiro fiduciário por moedas criptomoedas e / ou criptomoedas entre si.

Exchange centralizado (CEX)
Casa de câmbio digital centralizada que permite o depósito de fundos em uma conta ou carteira dentro da exchange e é a própria plataforma que faz a troca para nós, de acordo com os parâmetros de dados.

Exchange descentralizado (DEX)

Casa de câmbio digital descentralizada baseada em blockchain e código fonte aberto. Ninguém tem o controle de uma DEX, são os compradores e vendedores que negociam entre pares através de um aplicativo de troca de pares.

Exchange híbridas (Hybrid Crypto Exchange o HEX)

Casa de troca digital híbrida que oferece as funcionalidades e liquidez das plataformas CEX, bem como a confidencialidade e segurança das plataformas DEX. Esses sistemas ainda estão em desenvolvimento.

  • F
     Faucet
Esses são sites que fornecem uma pequena fração de criptomoeda para executar uma ação simples (por exemplo, preenchendo um captcha). Eles foram criados para promover o Bitcoin e qualquer um poderia acessar essa criptomoeda e distribuí-la. Hoje existem faucets de quase qualquer criptomoeda no mercado.

Fee
Comissão que é cobrada quando qualquer transação é feita dentro de uma blockchain

Fiat
Dinheiro fiduciário em uso corrente. A moeda em papel que os diferentes estados ou conjuntos emitem. Exemplos: Euro, Dólar, Yuan, Rublo, Libra, etc.

FUD
Acrônimo de Fear, Uncertainty e Doubt. Em português : Medo, Incerteza e Dúvida. Termo para definir um estado de espírito das pessoas dentro de um mercado em face de uma possível queda nos preços dos ativos, seja por evidência objetiva ou rumores e notícias negativas.

Full node (nó completo)
São todos os nós que verificam completamente todas as regras de uma criptomoeda. Em Bitcoin, o software para nós completos é chamado Bitcoin Core.



Gasto Duplo
Se um usuário malicioso tentar gastar os seus bitcoins em dois recipientes ao mesmo tempo, isto é gasto duplo. Bitcoin mineração e a corrente de bloqueio estão ali para criar um consenso na network sobre qual das duas transações será confirmada e pode ser considerada válida.

  • G
    Github
O maior repositório de código aberto gratuito do mundo. Aqui é onde podemos encontrar o código Bitcoin e todas as contribuições feitas para ele. Neste local, desenvolvedores e pesquisadores publicam seu software ou código para que todos tenham acesso e possam modificá-lo ou utilizá-lo em seus sistemas.



  • H
    Halving
Evento que serve para reduzir pela metade a recompensa dos mineiros da Proof-of-Work que operam na rede blockchain. Cada criptomoeda define a cada cuantos blocos esse ajuste automático é feito. Em Bitcoin, é a cada 210.000 blocos de minados.

Hard fork
Bifurcação forçada de um blockchain, que geralmente é dada quando uma mudança muito importante é implementada no código de software de uma rede e a nova versão dele não reconhece os blocos do outro.

Hash
Termo usado para se referir a ‘funções de resumo ou funções hash’. Tecnicamente, uma função hash é um código de saída (exclusivo e alfanumérico) que obtemos de uma string de entrada, o que nos permite saber se a cadeia original foi alterada.

Hashcash

Medida contra spam em e-mails, blogs e fóruns. Medida que executa um pequeno trabalho de computador com o processador do seu computador como um pagamento e verificação que indica que não é um sistema automatizado que envia milhares de e-mails ao mesmo tempo.

Hashrate
O poder total de processamento de um blockchain ou o que é o mesmo, é a quantidade de valores hash que podem ser feitos em um período de tempo. É usado como um hash de referência de velocidade.

HODL
Erro tipográfico de um usuário do fórum Bitcointalk em 2013. O usuário alterou Holding (manter ou manter) por Hodling. O erro tornou-se popular e agora é comumente usado como um acrônimo para “Hold on to dear life” ou “preserve como se fosse vida”.

HOLD
Termo usado para expressar que uma ou mais criptomoedas são mantidas ou salvas, mesmo que isso esteja perdendo valor no mercado.

Hot Wallet

Carteira que está sempre conectada ao blockchain. As moedas armazenadas podem ser rapidamente trocadas com outros membros da rede ou usadas para fazer trading.

Hybrid PoS/PoW

São redes blockchain que combinam o Teste de Trabalho e o Teste de Participação para obter consenso na rede. Essas redes buscam paridade entre mineradores e detentores ou eleitores, através de um sistema de gestão comunitária onde ambos participam.


  • I
     ICO (Initial Coin Offering)
O significado em português é oferta inicial de moeda, é o que é chamado de criação de um token como meio de financiamento de um projeto baseado em uma rede blockchain em sua fase de desenvolvimento.
Inflação
Processo da economia onde o custo dos produtos aumenta fazendo com que o valor do dinheiro fiduciário diminua, fazendo com que as pessoas gastem apenas em produtos básicos.



  • K
    KYC (Know Your Costumer)
Sua tradução literal é: “Conheça seu cliente”. Processo pelo qual uma entidade ou empresa que realiza um negócio ou transação deve ser identificada com o outro ator com o qual ela realiza a operação. A ideia é verificar a legitimidade e a existência do cliente.

kWU (Thousands Wight Units)
Unidade de peso usada para comparar o tamanho das diferentes transações de bitcoins entre si em proporção ao limite máximo de tamanho de bloco dado por consenso. Cada Weight Unit é representada por 1/4000.000 do tamanho máximo de um bloco.



  • L
    Lambo
Termo usado para obter grandes benefícios com uma criptomoeda ou ficar rico com isso. Refere-se a comprar um Lamborghini com os benefícios obtidos.

Ledger
Sua tradução é Livro Maior e consiste em um registro contábil de todas as transações em um arquivo ou banco de dados desde o início do dinheiro e do comércio. As redes do tipo blockchain de criptomoedas têm a possibilidade de criar livros digitais distribuídos. Existem diferentes tipos de livros na era digital.

Licencia MIT
Uma licença gratuita que permite a qualquer pessoa obter uma cópia deste software e dos arquivos de documentação associados. Permite tratar o software sem restrições, incluindo direitos de uso, cópia, modificação e fusão, publicação, distribuição, sublicenciamento e / ou venda de cópias do software.

Lightning Network
Um sistema de micro-pagamento descentralizado que gera um canal para transações, que visa simplificar as transações e reduzir as taxas. Está em fase de desenvolvimento e pode ser implementado no blockchain de qualquer criptomoeda.

Light Wallet
São carteiras para Bitcoin ou outras criptomoedas instaladas em nossos equipamentos e que ocupam menos espaço em nosso disco rígido e permitem uma sincronização mais rápida, já que não é necessário o download das informações completas do blockchain para utilizá-lo adequadamente.

Litecoin (LTC)
Criptomoeda que decorre da implementação do código Bitcoin com uma série de modificações, entre elas a freqüência de emissão dos blocos e o número de unidades monetárias a serem distribuídas.
Foi lançado por Charlie Lee em 7 de outubro de 2011, e seu logotipo é prata porque aspira a ser a “prata” do mundo da criptografia, onde o “ouro” seria o Bitcoin.

Locktime
É o tempo que uma transação Bitcoin deve esperar para que um minerador adicione a transação ao seu hash da raiz Merkle para formar o próximo bloco que fará parte do blockchain.


  • M
    Mainnet
É a principal rede de Bitcoin, onde as transações desta criptomoeda são registradas e ocorrem. Os bitcoins da mainnet são aqueles que têm valor real.
Master Private Key
Esse tipo de chaves privadas é gerado nas carteiras hierárquicas determinísticas e é baseado em dados derivados da semente raiz.

Master Public Key
Ela permite que você crie quantos endereços públicos desejar de uma carteira Bitcoin baseada em uma chave privada master, que implementa um compromisso que impede que um invasor gaste o que está armazenado nessa carteira. Geralmente é usado para habilitar armazenamento e gastos off-line ou o que é o mesmo, as operações são realizadas com um computador não conectado à rede e o resultado é transportado em um USB para um computador conectado à rede. É o sistema usado por carteiras físicas ou de hardware.

Masternode
Computadores que são responsáveis por processar transações blockchhain e receber uma recompensa quando um bloco é extraído. Para criar um masternode, você precisa de uma quantidade importante de criptomoedas para as quais é desenvolvida.

Mempool
É a abreviação de Memory Pool. Conjunto de transações não confirmadas em um blockchain. Cada vez que uma transação é feita, ela entra diretamente no banco de dados, após o qual os mineiros realizam grupos de transações para construir os blocos.

Mineração
A mineração por criptomoeda é o processo de resolver um problema matemático para dar segurança a uma rede distribuída. Minar é recompensado financeiramente: a mineradora recebe novas criptomoedas recentemente emitidas pelo programa, além das comissões das transações que ele adiciona ao bloco.

Mineiro
Qualquer coisa que tente resolver o desafio matemático de uma rede blockchain baseada em Proof Of Work. Geralmente, são componentes de hardware de computador dedicados exclusivamente à resolução desses problemas.

Moeda Off-Ledger
É uma moeda que é emitida fora do livro razão e usada neste ledger. Por exemplo, poderia ser um livro-razão distribuído de uma moeda fiduciária nacional.

Moeda On-Ledger
É uma moeda que é emitida no ledger e que é usada dentro dela. Qualquer criptomoeda está em conformidade com isso, como Bitcoin, Ethereum, Litecoin, etc.
Multisignal (multi–assinatura)
São wallets que exigem mais de uma chave para que as transações sejam autorizadas. Serve para distribuir a responsabilidade da posse das criptomoedas e para evitar roubos, manipulações ou outros, sem que o resto dos membros esteja ciente disso.



  • N
Dentro da rede blockchain, os nós são computadores que se conectam à rede e possuem uma cópia atualizada do blockchain. Juntamente com os mineiros, eles são os fiadores de que a rede funciona corretamente. Os nós no Bitcoin são muito importantes porque ajudam a manter a rede descentralizada.

Nonce
Significa “umber that only used once” (número que é usado apenas uma vez) e é de importância vital com o hash na verificação dos dados da rede blockchain do Bitcoin.



  • O
    OP_Code
Os códigos de operações do Bitcoin Script são uma série de instruções em linguagem de máquina que permitem a execução ou execução de certas tarefas específicas.

Oráculo
Os oráculos são sistemas automatizados que obtêm informações de diferentes mídias ou usuários para introduzi-los na rede blockchain que será usada em contratos inteligentes. É algo contribuído pela rede Ethereum.

Output (Salida)
Em uma transação de bitcoin ou criptomoedas, cada output ou saída refere-se aos endereços para os quais o dinheiro é enviado. Ou seja, as direções para as quais as moedas “saem”.



  • P
    P2P (Peer-to-peer)
São redes peer-to-peer ou também chamadas ponto-a-ponto. Refere-se a redes descentralizadas onde a informação é compartilhada entre dois usuários através de conexão à rede ou à Internet sem outro intermediário do que um software que os conecta.

P2PKH (Pay To Public Key Hash)
É o nome técnico que os endereços padrão do Bitcoin recebem, eles são de propriedade de um único usuário. Todos começam com o número 1.

P2SH (Pay To Script Hash)
É o nome técnico que os endereços multi-assinatura do Bitcoin recebem, eles são de propriedade de dois ou mais usuários e impedem um indivíduo de gastar as moedas livremente. Todos começam com o número 3.

Proof-of-Stake (PoS)
Em português, pode ser traduzido por ‘teste de participação’ e é um sistema de validação para as transações de uma rede baseada em uma série de masternodes que armazenam criptomoedas em uma wallet ou carteira.

Proof-of-Work (PoW)
Em português ‘prova de trabalho’ é um sistema de validação das transacções de uma rede resolvendo operações matemáticas através de equtipos de computadores especializados.

Pizza Day Bitcoin
É comemorado em 22 de maio de 2010, quando Lazslo Hayneck trocou 10.000 Bitcoins por duas pizzas na rede americana Papa John’s. É considerada a primeira transação de bitcoins para um bem material.

Pool (mineração)
Combinação de recursos de vários mineiros para obter um maior poder de mineração e, assim, obter maiores recompensas pela abertura de blocos. Há alguns que são públicos e alguns são privados.

Plataforma de desenvolvimento (Development Plataforms)
Ambientes especiais focados no desenvolvimento e criação de aplicativos suportados em um blockchain. São sistemas de desenvolvimento na nuvem que permitem um desenvolvimento bastante ágil.

Pump
Termo em inglês que expressa um aumento notável e repentino no valor de uma criptomoeda. Podem ser provocados por uma pessoa ou grupo destes ou por algum evento importante que gere um movimento massivo de compras de uma criptomoeda.


  • Q
    Queima de tokens
É a eliminação de um determinado número de tokens pela equipe de desenvolvedores de um projeto específico. Todos os tokens queimados param automaticamente de funcionar e têm valor.



  • R
    Recompensa de bloco (Block Reward)
Aquisição de criptomoedas após a resolução de um bloco. É obtido como compensação pelo trabalho realizado pela validação dos blocos.

Rede centralizada
A informação é distribuída a partir de um único ponto.
Rede descentralizada
Sistema baseado em nós, onde a informação é distribuída em um esquema de árvore. Os nós centrais distribuem informações para os nós intermediários e estes, por sua vez, podem decidir se distribuir ou não as informações.

Rede distribuida
Qualquer receptor de informação pode ser um transmissor de informação. Os destinatários escolhem a fonte de informação que consideram. Redes sociais e mais especificamente o Twitter podem representar este esquema, onde o receptor de informações também pode fornecer informações.

Substituir por taxa (Replace-by-fee)
Sistema para modificar uma transação não modificada. Para evitar ataques de negação de serviço, é necessário que a nova transação, que substitui a anterior, pague sua comissão e a comissão da transação que deve substituir.

Ripple
É considerada a criptomoeda do sistema bancário tradicional e é classificada como criptomoeda centralizada. Ele é projetado para transações bancárias, tornando-as ágeis, validadas em questão de segundos e com comissões extremamente baixas.



  • S
    Satoshi
Um satoshi é a unidade mínima na qual um bitcoin pode ser dividido e é equivalente a 0,00000001 Bitcoin (BTC). Deve seu nome ao nome do criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto.

Satoshi Nakamoto
Pseudônimo da pessoa (ou grupo de pessoas) que desenvolveu e disseminou a ideia original do Bitcoin e da primeira rede blockchain do mundo. O nome real é desconhecido ou se é uma pessoa física, grupo de pessoas ou empresas.

Stablecoin
Stablecoins são criptomoedas cujo valor está atrelado a um outro ativo estável. Atualmente, as stablecoins mais usadas no mundo são pareadas no dólar, mas elas também podem ser pareadas em commodities, ouro, imóveis, moedas fiduciárias de economias desenvolvidas, uma combinação de todas essas opções ou em qualquer outro ativo que seja relativamente estável.

Essas criptomoedas foram desenvolvidas com o objetivo de minimizar o problema da volatilidade do preço das criptomoedas. Por exemplo, uma stablecoins ligada ao dólar terá sempre o mesmo valor que a moeda fiduciária, na proporção 1 para 1. Isso significa que o valor das stablecoins é sempre o mesmo da moeda fiduciária na qual ela está atrelada.


  • Tether  (USDT) 
O Tether  é uma stablecoin colateralizada com o dólar americano desenvolvida sobre a rede Bitcoin blockchain, através do Omni Layer Protocol.  O token foi criado por uma empresa do mesmo nome, registrada em Hong Kong. A empresa disponibiliza um link em que é possível conferir o balanço dos fundos do USDt.

  • TrueUSD  (tUSD) 
TrueUSD é um token ERC20, baseado na tecnologia do Ethereum e colaterizado com o dólar. A stablecoin foi criada pela plataforma TrustToken, que desenvolveu parcerias com bancos registrados que detém os fundos que garantem a colateralidade dos tokens, de forma que a TrustToken não tem acesso direto aos fundos. Os investidores do TrueUSD tem certificados de saldos garantidos, garantia legal contra a apropriação indevida do USD subjacente.

  • USD Coin (USDc)
A USD Coin é uma stablecoin nativa da Ethereum, lançada e desenvolvida pelo CENTER, um projeto de código aberto que recebe contribuições da Circle e da Coinbase. O USDC é emitido por instituições regulamentadas responsáveis por mantêm as reservas da moeda fiduciária equivalente aos tokens emitidos. Os emissores são obrigados a relatar suas reservas de USD e a Grant Thornton LLP emite relatórios sobre essas as reservas mensalmente.

  • Paxos Standard Token (Pax)
O Paxos Standard (PAX) é um stablecoin pareada em dólares americanos. A Paxos, a empresa por trás da PAX, tem uma carta do Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York, que permite que ela ofereça serviços regulamentados no mercado de ativos digitais.

  • Gemini (gUSD)
A stablecoin Gemini (gUSD) é emitida pela Gemini Trust Company LLC, uma exchange e custodiante de criptomoedas de Nova York fundada pelos irmãos  Winklevoss. A gUSD é colateralizada com o dólar, cuja custódia é mantida pelo State Street Bank e Trust Company. A gUSD é auditada mensalmente pela BPM, LLP, uma firma de contabilidade pública.

  • Dai (DAI)
Dai (DAI) é uma stablecoin cujo valor é pareado em USD, mas, diferente da maioria das stablecoins do mercado, ela não tem autoridade central. Sua estabilidade é mantida pelos smarts contrats. Quando o Dai vale mais de US $ 1, os automaticamente o algoritmo trabalha para diminuir o preço. E quando o Dai vale abaixo de US $ 1, os algoritmos trabalham para aumentar o preço.

Scrypt

É um algoritmo criptográfico mais leve e rápido que o SHA-256, portanto, o tempo de processamento é menor e são necessários componentes mais simples , como processadores e placas gráficas de uso comum.

SegWit

A tecnologia Segregated Witness representa uma mudança no formato das transações Bitcoin que foi proposta pela empresa Blockstream e cujo desenvolvimento foi feito pelo Bitcoin Core. Foi implementado através de um Soft Fork na rede Bitcoin. Outras criptomoedas como Litecoin ou DigiByte também o adotaram.

SHA-256

É o algoritmo criptográfico que é usado na rede Bitcoin para a mineração desta criptomoeda e a criação de seus endereços. SHA significa ‘Secure Hash Algorithm’, um conceito desenvolvido pela Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA).

Shitcoin

É uma palavra pejorativa que se refere a uma altcoin que não tem valor, ou está prevista para falhar devido à inconsistência de seu código, equipe ou projeto.
É um conceito pensado em inglês e consiste nas palavras merda (merda) e moeda (moeda), literalmente significa: moeda de merda.

Smart Contract

Também chamado de ‘contrato inteligente’, é um contrato digital entre duas ou mais partes, para bens, serviços ou qualquer coisa imaginável. Uma vez cumpridos todos os requisitos, é resolvido automaticamente e as partes recebem o previamente acordado.

Soft fork

Pequena atualização do código de software de uma rede blockchain que é compatível com as versões anteriores e não faz com que a rede seja dividida dando origem ao que seria chamado de hard fork.

Solidity

É uma linguagem de programação usada no Ethereum para programação de contratos inteligentes.

SWAP (Atomic SWAP)

A palavra “Swap” significa “intercâmbio “. Atomic Swap é um termo usado para definir um recurso que permite a troca de criptomoedas que operam em diferentes cadeias de bloco, mas sem intermediários. Por exemplo, para mudar de Bitcoin para Ethereum, uma casa de câmbio centralizada é atualmente necessária, uma vez que são cadeias de blocos diferentes. O Atomic Swap permite que você envie seus bitcoins para a pessoa que lhe dá os ethereums em troca de uma única transação blockchain que é refletida nas duas cadeias de blocos.



  • T

     Testnet

É uma rede secundária do Bitcoin para realizar testes com criptomoedas sem valor real. Muito útil para desenvolvedores ou pessoas que querem experimentar a rede Bitcoin sem temer a perda de suas moedas.

Timestamp

O timestamp é um registro de data e hora que é calculado de acordo com diferentes parâmetros e contribui para a verificação de informações na rede.

To the Moon

Literalmente significa: ‘para a lua’. Expressão originalmente usada para dizer que o valor do Bitcoin iria subir muito valor. Agora seu uso é generalizado para todas as criptomoedas.

Token

No mundo das criptomoedas, um token é a representação digital do valor de um ativo (físico ou não). Há uma série de padrões para criá-los e atualmente a rede Ethereum é a que abriga mais de 80% dos tokens existentes.

Trading

Intercâmbio moedas em tempo real para obter lucro.

Transaction block

Grupo de transações de rede agrupadas em um bloco que recebe seu hash e é adicionado ao blockchain.



  • U

UASF (User Activated Soft Fork)

Mecanismo no qual um Soft Fork é executado em uma data específica forçada pelos nós, também conhecida como a ‘maioria econômica’. Eles exigem muito apoio e uma ótima coordenação no setor. Foi proposto para a ativação do SegWit na proposta BIP148.

UAHF (User Activated Hard Fork)

Conjunto de regras criadas por desenvolvedores que são obrigatórias e que alteram o software do nó. Ele permite que os blocos inválidos anteriores sejam válidos novamente após um dia, sem a necessidade de uma maioria hash para ser aplicada.

Unidad de procesamiento gráfico (GPU)

São chips dedicados ao processamento de gráficos ou operações de ponto flutuante, permitindo aliviar a carga de trabalho dos processadores ao jogar videogames, aplicativos 3D interativos ou cálculos matemáticos. Podemos encontrá-los em cartões de expansão especializados, também chamados de cartões gráficos ou integrados no mesmo pacote do processador.

Utility Token

Eles representam o direito de usar um produto ou serviço que terá uma função específica dentro do ecossistema de um projeto. Eles não pretendem ser um investimento, mas oferecem aos usuários acesso a um produto ou serviço futuro. Para diferenciar-se dos ICOs, eles geralmente são definidos como eventos de geração de token (TGE) ou eventos de distribuição de token (TDE)



  • V

Vanity address (Endereço Vanity)

É um endereço que começa com um conjunto de caracteres escolhidos pelo usuário que o cria. Realmente consiste em um endereço ‘personalizado’ dentro do Bitcoin, e é obtido por um procedimento de força bruta.

Vanitygen

Gerador de endereços Bitcoin Vanity através da linha de comando.



  • W

     Wallet

É o software que permite armazenar e transacionar criptomoedas sem permissão ou mediação de ninguém. Existem diferentes tipos (web, desktop ou mobile), existem até wallets físicas chamadas cold wallets.

Wallet determinista hierárquica (HD Wallet)

São carteiras com uma hierarquia determinista que podem ser compartilhadas parcial ou totalmente entre diferentes sistemas, cada um com ou sem a capacidade de gastar moedas. Este tipo de carteira não gera sua chave pública como resultado de sua chave privada, mas através de um algoritmo de curva elíptica matemática.

Wallet Física (Hardware Wallet)

Estão na categoria Cold Wallet e geralmente são unidades de formato USB que se conectam ao computador e nos permitem armazenar nossas criptomoedas com segurança e chaves privadas. Elas geralmente oferecem a opção de adicionar um PIN para desbloquear a unidade.

Wallet Móvil (Smartphone/Tablet)

Aplicativos para Android, iOS ou outro sistema operacional para terminais portáteis que permite armazenar e gerenciar nossas criptomoedas, além de efetuar pagamentos de maneira rápida e fácil.

Wallet Online

São wallets diretamente nas páginas da web onde uma chave pública é oferecida e a chave privada é armazenada no site da empresa ou organização. Um exemplo seria aquele oferecido pelas diferentes exchanges. Existem projetos que também oferecem a possibilidade de ter wallets online.

Wallet em Papel (Paper Wallet)

Processo pelo qual a chave privada de um endereço Bitcoin (ou qualquer outra criptomoeda) está em um pedaço de papel. Dessa forma, você pode enviar fundos para o endereço associado, sem correr o risco de que a chave privada esteja em um programa com uma conexão com a Internet. Por sua vez, este processo também é uma Cold Wallet ou Cold Storage. Quando você quiser recuperar o controle dos fundos, você deve inserir essa chave em um cliente (da criptomoeda correspondente) com uma conexão com a Internet.

Wallet PC ou desktop

São programas de computador especiais projetados para armazenar nossas criptomoedas e nos oferecer uma chave pública e são protegidos por uma chave privada. Eles têm a característica de serem muito seguros e permitem que você veja todo o histórico de transações.

Whitepaper

Documento técnico que descreve as principais características ou propriedades de um projeto com base na tecnologia blockchain e sua correspondente criptomoeda.

COIN 360


PARCERIA


Wellington P2P:Peer To Peer do Mercado de Criptomoedas

O compromisso é com você, à Wellington P2P atende o mercado de Criptomoedas há 4 anos e sempre com a mesma constância, responsabilidade, seriedade e o fundamental, velocidade com foco total e um suporte dedicado

Clique aqui
Wellington P2P
     

ADASH:Rede de Recompensas em Ada Cardano por Sistema Proof Of Stake (PoS)

Adash Stake Pool, é uma piscina de mineração e estaca de moeda Ada Cardano, única a usar o sistema PoS (Proof Of Stake), com sucesso. Construída na primeira rede Blockchain 3.0 de Cardano, conhecida por ter como objetivo se tornar um novo sistema financeiro global, concorrendo ou rivalizando com os sistemas financeiros atuais.

Clique aqui
ADASH